O empreendedor galáctico também é deste mundo
O empreendedor galáctico também é deste mundo

O empreendedor galáctico também é deste mundo

Seja na crise ou fora dela, em um negócio próprio ou como funcionário, ser empreendedor e ter empreendedores nas empresas é muito importante para que os negócios prosperem

É da minha, da sua e das nossas gerações. Também pode ser de qualquer gênero, religião, raça, zona ou nação. Eles e elas fazem parte desta galáxia, estiveram e estão entre nós. E muitas vezes eles se encontram logo ali, bem do outro lado do espelho.

Visionários, determinados, criativos, persistentes, corajosos, organizados e planejadores. Não importa a altura, a circunferência, a idade ou o peso, todos são grandes e importantes. Fazem da rotina, a mudança; da organização, o caos criativo; das falhas, novos aprendizados; de um erro, novas tentativas; dos problemas, ideias; da escuridão, a luz; da nuvem, o arco íris; da dúvida, uma inovação; e do abacaxi, uma estrela.

Walt Disney e o seu rato. Steve Jobs com a maçã. Travis Kalanick do Uber. Abílio Diniz e o Pão de Açúcar. Roberto Marinho com a Rede Globo. Luiz Seabra e a Natura. Alberto Saraiva e o Habib’s. Alexandre Costa com a Cacau show e tantos outros exemplos de empreendedores bem sucedidos.

Tem as Marias, as Joaquinas, os Josés e os Serafins. O brasileiro é um empreendedor nato, por sua criatividade e determinação para enfrentar e superar crises. Existem milhares de negócios bem sucedidos por aí, pequenos ou grandes, com ou sem apoio do Sebrae ou outras organizações. O brasileiro não foge à luta e é gigante pela própria natureza. Vendedores de salgadinhos, hot dogs, donos de salões de beleza, tapiocarias, empresas de serviço, consertos, tecnologia da informação, autopeças, restaurantes, marmitas e tantos outros.

Além das inovações e novos negócios, são muitos os casos de melhoria do próprio negócio, como aconteceu com as Havaianas, que em fase de declínio e alta perda de vendas, reformulou a tempo toda sua estratégia e hoje é líder no seu segmento. Isso também é empreendedorismo na veia. Melhorar processos, reduzir custos, fortalecer a imagem dos produtos, agilizar os serviços e aprimorar a qualidade.

As donas de casa são excelentes empreendedoras. Mestras por natureza em gerir, fazer mais com menos, reduzir custos, diminuir etapas no processo e produzir mais em menos tempo. Um ingrediente vira três receitas. Nada se desperdiça e tudo se reaproveita.

Seja na crise ou fora dela, em um negócio próprio ou como funcionário, ser empreendedor e ter empreendedores nas empresas é muito importante para que os negócios prosperem. Para criar, inovar, gerar novas soluções e maneiras para aprimorar métodos e processos. Deixar de fazer mais do mesmo e começar a fazer um pouco diferente, melhor, mais redondo para o cliente.

É um ótimo momento para refletir, incentivar e desenvolver perfis empreendedores que você tem e vê ao seu redor. E também para desenvolver a si mesmo para aprimorar as suas competências profissionais, melhorar seu currículo, ganhar visibilidade e criar novas oportunidades. O empreendedor não é só o que abre o próprio negócio, por isso há muito que pode ser feito em todos os âmbitos. O caminho é largo e o final não se vê daqui, é preciso começar a percorrer.

Neste tempo e galáxia, é hora de empreender.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento