O desenvolvimento pessoal tem fim?
O desenvolvimento pessoal tem fim?

O desenvolvimento pessoal tem fim?

Entenda por que a prática contínua é a chave para uma vida profissional plena.

Eu sempre ouço pessoas dizendo frases como "você não precisa mais ler livros de não-ficção". Elas pensam que já são graduadas demais para qualquer iniciativa de desenvolvimento pessoal.

"Parei de ouvir podcasts" é outra dessas declarações. Sempre que ouço algo assim, uma palavra vem à mente: arrogância.

Quando as pessoas dizem que já não querem mais aprender, o que realmente dizem é que são boas demais para o conhecimento que outras pessoas estão compartilhando.

Elas dizem "não preciso disso, eu sei fazer melhor". E esse é exatamente o tipo de pessoa com quem não me envolvo.

Seguir tendências vs. Focar nos fundamentos

Eu costumava trabalhar no escritório de uma academia durante os meus anos na universidade. Nesse período, percebi que havia dois tipos de pessoas que se matriculavam. O primeiro é o tipo de pessoa que quer fazer o exercício da moda. E há muita gente nessa categoria.

Lembra do Tae Bo? O que diabos era aquilo?

E a dieta Atkins? E todas as variações de aulas de spinning? Teve também o frenesi da Zumba. E da Ioga. Eu também lembro quando o Crossfit se tornou popular.

Hoje, todos querem subir montanhas. Sim, sim, eu entendo, você assistiu a Free Solo e agora pensa que pode fazer o mesmo.

Sempre há pessoas que embarcam nas modas apenas pela popularidade. Elas seguem qualquer coisa que for novidade.

Os clientes se matricularam, foram à academia por alguns meses e nunca mais foram vistos.

O segundo tipo são as pessoas que focam nos fundamentos. Elas não se importam com as tendências. Em vez disso, são conduzidas por objetivos inerentes -- que podem ser qualquer coisa, desde perder peso até desenvolver força.

Essas pessoas só se importam com os resultados. Elas perguntam: quais são as estratégias comprovadas? Quais são os fundamentos de determinada prática?

Naturalmente, o último grupo é bem pequeno. Mas as pessoas que focam no básico são aquelas que persistem. Há mais de 10 anos que deixei o trabalho na academia, mas ainda encontro algumas das pessoas que conheci lá na minha atual academia.

Mesmo os mais experientes meditadores permanecem meditando

O que estou tentando dizer é que quando você decide seguir uma determinada direção na vida, essa direção se torna o seu estilo de vida. E pessoas que terminam um estilo de vida nunca o iniciaram de fato.

Elas apenas esperam por uma tendência. É exatamente a mesma coisa com o desenvolvimento pessoal. Então quando você se deparar com tolices dizendo que você deveria parar de ler e começar a viver, ignore.

Se você está disposto a se comprometer, não se canse de repetir as coisas fundamentais.

Acabei de ler Mindfulness in Plain English (Consciência em Inglês Básico, sem edição em português), do monge budista Bhante Gunaratana. Uma das coisas que aprendi do livro é que mesmo os mais experientes meditadores permanecem repetindo o básico. Eles meditam como iniciantes. E nunca param de meditar.

É um estilo de vida. Então por que tantas pessoas desistem de algo? Por que aquelas pessoas desistiram da academia? Por que algumas pessoas param de ler livros de desenvolvimento pessoal? Falta de paciência. Gunaratana diz o seguinte:

Paciência é a chave. Paciência. Se você não aprender mais nada com a meditação, você vai aprender a ter paciência. Paciência é essencial para qualquer mudança profunda.

Pergunte-se: o que estou tentando melhorar em mim? Se tivermos as intenções erradas, como tentar impressionar os outros ou nos tornarmos ricos, vamos desistir assim que não conseguirmos resultados imediatos.

Mas se você tem um motivador interno, automaticamente terá mais paciência. Quando as razões externas perdem a influência, então você terá adotado a mentalidade de iniciante.

E essa é a chave para o sucesso duradouro. Quando você adota essa mentalidade, jamais tem a empáfia de dizer algo como "cansei de praticar". Você também vai descobrir que não sabe muito depois de ler alguns livros.

Repita os fundamentos

Tudo na vida tem seus rudimentos, seja malhação, dieta, filosofia ou meditação. Foque nos fundamentos e repita exaustivamente.

Nunca esqueça os fundamentos. Eles vão manter você humilde, mas também vão lhe desenvolver.

Os melhores jogadores de basquete do mundo praticam o lance livre milhares de vezes. Kobe Bryant reconhecidamente fez 100 mil lances livres no intervalo de duas temporadas. Ele não se esqueceu dos fundamentos. Tim Duncan, outra sumidade do basquete, chegou até a ser apelidado de "O Grande Fundamento", porque ele construiu a carreira usando apenas movimentos básicos de basquete. Alguns diriam que ele é entediante. Eu diria que ele é eficaz.

Portanto não, você nunca pode se dar por satisfeito em relação à prática dos fundamentos. Nem pode cansar de se desenvolver. É um processo que termina junto com a própria vida.

Até lá, continue se desenvolvendo, meu amigo.


O artigo foi publicado no blog do autor e cedido gentilmente ao Administradores.com.

Imagem do topo: Ksenia Makagonova

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Darius Foroux

    Darius Foroux

    Darius Foroux é escritor e pesquisador de assuntos relativos a produtividade, procrastinação e realização de projetos. Acesse seu blog.

    café com admMinimizar