“O caminho estreito e o largo” – A Gestão de Pessoas, ou RH, deve ser exemplo em demonstra

O artigo fala sobre a importância de retornar para o candidato mesmo para dar um resultado negativo de processo seletivo. Fala das frustações que um candidato sofre ao não receber retorno de sua participação.

Quem de nós já não participou de um processo seletivo e ficou super empolgado com a oportunidade que apareceu? Aí começam as visitas à empresa. 1ª visita; 2.ª visita; em alguns casos 3ª ou quarta, composta de entrevista, dinâmicas, testes, questionários e mais entrevistas. E de repente a empresa para de te ligar do nada para dizer se foi você aprovado ou não.

É lógico que com o passar dos dias entendemos que não fomos aprovados em alguma etapa do processo, porém, até a "ficha cair", passamos longos dias ao lado do telefone angustiados, e a cada ligação recebida pensamos: é agora! E nada...E você vai perdendo as esperanças, até entender que essa vaga não será sua. Sem contar dos indivíduos que já estão empregados e fazem um contorcionismo para se ausentar do trabalho e comparecer a todas as entrevistas marcadas, colocando até em risco seu atual emprego.

Como profissional de RH, sempre que faço um processo seletivo, na primeira apresentação digo ao grupo que aqueles que não forem aprovados receberão uma ligação de agradecimento por terem participado do processo. Ouço elogios de muitos e os vejo surpresos por esta prática, pois pelo visto, ela não é comum a todas às organizações.

O Setor de Recursos Humanos, ou Gestão de Pessoas, deve ser exemplo na empresa com suas práticas no que diz respeito ao seu capital intelectual, o bem mais precioso de uma organização e qualquer indivíduo que por ali passe. Qual será a impressão que o candidato terá desta empresa que não teve o respeito em avisá-lo que sua vida deve seguir, pois ele não foi aprovado no processo seletivo?

Uma colega de trabalho veio me procurar para contar entusiasticamente que estava participando de um processo seletivo para um projeto de uma organização de renome brasileira, conhecida mundialmente pelos seus importantes serviços prestados à sociedade. Porém, ela pode perceber que o setor de Gestão de Pessoas ainda não é tão desenvolvido quanto aos serviços que a empresa oferece à sociedade. Pois ela passou pelos dias de angústia esperando uma ligação. E o mais interessante é que ela foi informada pelos profissionais de RH que do grupo de participantes, ela foi a única escolhida para a etapa final do processo, o que aumentou ainda mais suas expectativas de ser selecionada para participar deste projeto da empresa. E para sua surpresa está até hoje esperando a tal ligação...

Citando Jesus Cristo, há dois caminhos, um estreito que leva à salvação, difícil de seguir, onde poucos escolheriam e o caminho largo onde muitos passarão, mas que leva à destruição. Esta prática de retornar para o candidato para dar um feedback negativo gera mais custos, o do telefonema e o tempo usado para fazer as ligações. É o caminho mais difícil, no entanto mostrará respeito ao indivíduo que disponibilizou diversas vezes de seu tempo em busca de ser aprovado.

Quanto à minha colega da área, claro que ela já entendeu que não foi selecionada pelo passar do tempo. E eu entendi mais ainda que aquele RH procura o caminho mais largo e logo não está desenvolvido no que tange à gestão de pessoas de verdade.

E seu RH como lida com estas questões? Pense nisso! Tenha empatia com o próximo e lembre-se que você, um dia, já foi candidato e ainda pode vir a ser.

Monique Cavallini é Consultora de RH e Coaching Executiva..

Contato – moniquecavallini@hotmail.com

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Monique Cavallini

    Monique Cavallini

    Especialista em Coach e Recursos Humanos Palestrante de Etiqueta Empresarial, Motivação, Gestão de Pessoas e outros. moniquecavallini@hotmail.com
    café com admMinimizar