O atendimento é o grande desafio para Copa de 2014

Para iniciar este artigo, trago alguns números que retratam o panorama da Copa do Mundo em 2014 no Brasil. A pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério do Turismo aponta uma perspectiva de crescimento em torno de 20% em todos os setores envolvidos neste mega evento.

Para iniciar este artigo, trago alguns números que retratam o panorama da Copa do Mundo em 2014 no Brasil.


A pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério do Turismo aponta uma perspectiva de crescimento em torno de 20% em todos os setores envolvidos neste mega evento.


Até 2014 serão criados mais de 2 milhões de empregos (formais e informais), 8,9 milhões será as entradas de divisas internacionais esperadas, as viagens domésticas passam de 56 milhões em 2007, para 73 milhões em 2014 aproximadamente 600 mil estrangeiros e 3 milhões de brasileiros circularão pelas cidades brasileiras, segundo Regina Cavalcante diretora de Qualificação, Certificação e Produção Associada ao Turismo do MTur (Ministério do Turismo), áreas que merecem destaque: gastronomia (cozinheiros profissionais e auxiliares de alta qualidade e experiência), recepcionistas, camareiras, promotores de eventos e barmans. O programa Olá, Turista!, do MTur, está formando 80 mil profissionais em inglês e espanhol em todas as cidades-sede, no Rio de Janeiro a maior demanda de profissionais qualificados é na área de atendimento, portanto a Riotur lançou o programa Rio + Hospitaleiro, que prevê a capacitação de 4 mil pessoas.


Diante destes números precisamos destacar a expectativa das pessoas, que irão impulsionar a economia brasileira.


Quando compramos um produto ou adquirimos um serviço, desejamos plena satisfação, isto envolve o ambiente, o atendimento e o bom relacionamento durante a compra e no pós venda, e principalmente aquela sensação prazerosa que fica no inconsciente.


Desejamos que este momento fosse além das nossas expectativas.


Este é o desejo de milhões de estrangeiros e brasileiros que estarão em 2014, visitando as 12 cidades que estará no circuito da Copa do Mundo (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo).


Construímos uma imagem no exterior bastante positiva, somos considerados os melhores anfitriões do mundo, os estrangeiros que estarão aqui, vem para a COPA DO MUNDO, e o diferencial é que a Copa é no BRASIL e a grandiosidade deste evento se mistura com a grandiosidade do nosso país JÁ PENSARAM QUE MOMENTO ESPECIAL E ESTE?


Quem estiver no Brasil em 2014, sejam brasileiros ou estrangeiros, esperam por um momento mágico, existe uma certeza, o Brasil é um belíssimo lugar, mas precisamos garantir que esta constatação, seja traduzida através de um excepcional atendimento nos diversos segmentos e com garantias de segurança.


Este é o momento da verdade, tudo aquilo que é mostrado e falado, é o que os visitantes esperam que aconteça.


Quantos clientes já perdemos por não investir num atendimento de qualidade? Sabemos o quanto é oneroso uma empresa que tem clientes insatisfeitos.

Muitos dispositivos são criados para medir a satisfação do cliente, o simples fato das empresas criarem indicadores, não garante qualidade no atendimento.


O Marketing boca a boca é ainda um poderoso canal para disseminar as experiências positivas e negativas dos clientes que adquirem os nossos produtos e/ou serviços, na verdade este é o pulo do gato, como o atendimento se transforma num diferencial competitivo.


Vivemos num mercado onde tudo é muito parecido, partindo do pressuposto que os produtos e serviços têm qualidade, a única forma de diferenciação é o atendimento, é causar naquele cliente que adquiriu um produto, a certeza que foi ao local certo e que irá novamente para fazer uma recompra e se por algum motivo o estabelecimento não estiver mais lá este cliente vai procurar saber onde ele está e vai atrás.


Isto é tudo que queremos! Clientes apaixonados.


A formula para disseminar em nossa empresa a paixão pelo atendimento é bastante simples, não tenho nenhum conceito novo, é preciso identificar e desenvolver pessoas que gostem de trabalhar, servir pessoas parece simples, mas este é o caminho. Já conheci pessoas que trabalhavam em áreas que não tinham nenhuma vocação e afinidade, e ai é só somar 2 e 2 e constatar que não da certo.


A educação deve ser contínua para excelência do atendimento, atualmente trabalhos relacionados à Inteligência Emocional têm sido aplicados para capacitação e desenvolvimento de atendentes, quando os processos estão adequados, o passo seguinte é adequar o comportamento.


O atendimento hoje no ponto de vista das organizações é o maior desafio e também o maior valor para o crescimento e sobrevivência dos negócios.


Investimos alto, em mobiliários, equipamentos e instalações, mas tudo isso só é agregado pelo cliente, se ele sentir que ali existem pessoas que são apaixonadas por atender bem as pessoas.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.