Café com ADM
#

Ó Abre Alas que eu quero passar

Adiamos continuamente o que deveríamos fazer hoje. Exemplo disso é que o Brasil só começa a funcionar depois do Carnaval. Neste texto, Maurício Louzada faz uma analogia com o Carnaval e dá algumas dicas para evitar o adiamento de tarefas.

Ó abre alas, que eu quero passar...

Que o Brasil só começa a funcionar depois do Carnaval todo mundo já sabe! Até lá, muitas pessoas adiam seus projetos, planos, compras e negociações. A sensação para todos é que o ano efetivamente começa depois que conhecemos a escola de samba campeã do Carnaval carioca. Após o ouvir o veredicto da Liga das Escolas de Samba, olhamos para o calendário, e nos damos conta: "Já estamos em 2011!". Em especial neste ano, pensaremos: "Já estamos em março!".



Esta afirmação esconde outra um pouco mais inconsciente, e um pouco mais dolorosa: "Não fiz tudo o que poderia ter feito desde o início do ano".

O Carnaval, neste caso, é apenas uma alegoria (com o perdão do trocadilho) para uma situação pela qual todos já passamos: o adiamento. Sabemos exatamente o que devemos fazer, mas deixamos para mais tarde, para amanhã, para o próximo mês, ou talvez nunca...



Uma das regras mais importantes para o gerenciamento eficaz do tempo está relacionada com o "não adiamento" das tarefas. Nada pode nos aprisionar tanto ao passado quanto o hábito de deixar para depois. Quem faz isso, se torna vítima das próprias escolhas, por não perceber que, de alguma forma, todas as nossas tarefas estão interligadas entre si. Quando adiamos uma ação, estamos influenciando nas metas de tempo de todas as outras que estão sob nossa responsabilidade.



Está nas mãos de cada um de nós realizarmos imediatamente tudo aquilo que nos é delegado, seja por força de hierarquia ou responsabilidade. Mesmo tarefas que dependem da ação de diversos envolvidos, podem ter seu prazo cumprido à risca, quando decidimos agir imediatamente, e assim nos tornamos exemplo para todos envolvidos no processo.


Definir um cronograma, dividir tarefas complexas em partes, monitorar o andamento das atividades comparando-as com o cronograma inicial e não dilatar prazos são ações que trazem resultados imediatos para o gerenciamento eficaz do tempo.

Internamente, também podemos mudar conceitos e posições que nos atrapalham no que diz respeito a este assunto. Normalmente as pessoas arrumam desculpas para adiar as tarefas, seja por medo, sensação de incapacidade, preguiça ou falta de motivação.

Todos esses fatores são aliados das desculpas que encontraremos para explicar o porquê de tanto adiamento.



Compreender tais motivos é essencial para promover uma mudança comportamental a favor da ação imediata. Cumprir prazos, sair a cada dia da empresa com a sensação de "missão cumprida" e não ter uma agenda cheia de tarefas pendentes são sensações que estimulam cada vez mais o não-adiamento das tarefas, em um ciclo positivo que se realimenta continuamente. Quando começamos a realizar agora aquilo que "até poderíamos deixar para depois", nos sentimos mais fortes para agir no presente novamente. E assim, o trabalho se torna mais prazeroso e dinâmico.



E tal qual a harmonia de movimentos de uma escola de samba, podemos idealizar o momento em que todos agiremos com foco no presente. Desta forma, talvez um dia possamos ver o Brasil funcionar logo nos primeiros dias do ano.



Isso só depende da ação de cada um de nós. Enquanto muitos esperam o Carnaval passar, parados e apáticos, podemos nos movimentar e gritar em alto e bom tom:

Ó ABRE ALAS, QUE EU QUERO PASSAR !


Conheça outros artigos: www.mauriciolouzada.com.br/artigos.html



ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.