Nosso desperdício de tempo é o vilão da produtividade

Enquanto algumas inovações, como os eletrodomésticos (cito a máquina de lavar louça, roupa, micro-ondas) nos poupam tempo, já outros aparelhos eletrônicos, como o celular e o computador conectados à internet, nos aprisionam, e tem se tornado os maiores aliados da procrastinação.

Vivemos no mundo globalizado, atualmente, uma situação contraditória. As tecnologias avançam a cada dia com a promessa de nos trazer mais conforto e poupar tempo para que possamos realizar outras atividades. No entanto, acabamos por nos tornar escravos, por assim dizer, das inovações tecnológicas, e o tempo, que em teoria economizaríamos, acaba sendo dedicado a distrações.

Enquanto algumas inovações, como os eletrodomésticos (cito a máquina de lavar louça, roupa, micro-ondas) nos poupam tempo, já outros aparelhos eletrônicos, como o celular e o computador conectados à internet, nos aprisionam, e tem se tornado os maiores aliados da procrastinação. Com o advento da tecnologia e das redes sociais, estamos vivendo um “ataque ao cérebro de informações”, de modo que as pessoas sabem de tudo um pouco, mas de maneira superficial. Toda essa sobrecarga gera desgaste mental, que nos leva a esquecermos muitas coisas e nos tornarmos pessoas desfocadas e distraídas.

A regra para isso é simples. Nossa mente não tem capacidade de armazenar na memória cada segundo das coisas que vivenciamos em um dia. Se nos apegamos a questões desimportantes, acabamos perdendo o foco e esquecemos das importantes. Nosso HD interno não tem conseguido processar tantas informações, que ainda se somam às multitarefas e muita pressão do dia a dia.

Essa é a receita para baixa produtividade, o grande mal da atual geração de jovens, que prejudica o desempenho, a carreira, e consequentemente o mercado de trabalho e a economia. A falta de foco e planejamento leva o indivíduo a acreditar que está com o dia “recheado de atividades”, quando, na verdade, está perdendo tempo. Trabalhar o dia todo, ter uma mesa lotada e correr muito não significa ser produtivo. Pelo contrário, isso pode representar que o indivíduo não tem organização, por isso sente-se sempre atarefado, sem de fato cumprir com suas atribuições.

Por isso, gerir bem o tempo é o grande desafio da contemporaneidade. Não devemos nos abdicar das maravilhas que a tecnologia proporciona. Pelo contrário, elas existem para nos auxiliar e proporcionar, justamente, a possibilidade de poupar tempo, desde que utilizadas com inteligência. Priorizar a organização e o planejamento, sem dúvida, vale a pena. Basta tentar para perceber que podemos realizar nossas tarefas diárias sem a sensação constante de que não somos capazes. Feito isso, nada melhor do que ter tempo de verdade para aproveitar com quem quisermos e como quisermos.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento