Níveis relacionais: PNL corpo e mente
Níveis relacionais: PNL corpo e mente

Níveis relacionais: PNL corpo e mente

Muito se fala em autoconhecimento e autodesenvolvimento, no entanto, não há uma maneira objetiva de se autoconhecer. Esta série de artigos mostra como fazer o autoconhecimento, de maneira objetiva e ainda aponta para o autodesenvolvimento

Sistemas tão grandes e complexos, como o cérebro humano, a crosta terrestre, a bolsa de valores e o ecossistema podem se transformar não apenas sob a influência de uma grande calamidade, mas também com a queda de um simples alfinete, se as condições forem propícias. Grandes sistemas podem chegar a um estado crítico no qual um evento mínimo gera uma reação em cadeia que, por sua vez, pode gerar uma catástrofe ou um novo estado de ser. (Robert Ornstein)

A vida não é um relógio suíço. Talvez você já tenha ouvido isso. Nunca me interessei em saber como é a dependência de um relógio de cada uma de suas partes, mas se cada peça está lá é porque é importante e, certamente, no que diz respeito ao mecanismo, todas são interdependentes.

E com a vida?

Gosto muito de relógios e aprecio cada segundo da vida, portanto, ter bons e maravilhosos relógios é uma das partes agradáveis para levar a minha. Os relógios quantificam uma das coisas mais importantes, o tempo. No meu caso, quanto maior for este, melhor será para esticar a vida, com qualidade e disposição para desfrutá-la.

Você não precisa ser um relojoeiro para usar um relógio, mas certamente, será importante ser um bom artesão da própria vida para leva-la numa boa. Que tal conhecer suas engrenagens?

Níveis Relacionais, a essência da vida

Em 1992 desenvolvi o conceito de Níveis Relacionais – NRs, e o publiquei no periódico Expressão do Pensamento. OsNRs formam a estrutura que divide os diversos níveis da vida de uma pessoa e funcionam como um sistema complexo, interligado com cada nível influenciando e sendo influenciado pelo outro, o tempo todo. Os Níveis Relacionais permitem traçar a evolução da formação da linha do tempo de uma pessoa, de maneira particular, criando a antropologia pessoal. A estrutura dos NRs é dividida em sete estágios, mais um nível de mudança.

A ideia é bem simples: somos gerados, gestamos e nascemos, portanto, somos um ser de corpo e cérebro e temos uma família, crescemos e começamos a formar nossa mente, vamos para a escola, nos relacionamos, trabalhamos, sociabilizamos, formamos outra família, economizamos dinheiro, adquirimos bens, continuamos aprendendo, temos certo grau de autonomia e realizamos projetos especiais, etc.

A pergunta fundamental é: como cada uma dessas dimensões da vida influencia, positiva ou negativamente a outra e como podemos acertar os ponteiros desse sistema para tornar a vida mais equilibrada?

Níveis Relacionais, PNL corpo e mente é o primeiro, de uma série de oito artigos. No final de cada um deles haverá links que levarão aos demais. Desfrute.

Os Níveis Relacionais da vida, PNL corpo e mente

São oito os Níveis Relacionais: O primeiro deles é o Físico e Mental:

Físico:

Representa seu corpo, sua estrutura física e fisiológica. Também está relacionado a tudo que faz parte de seu corpo, como o tipo e estilo de roupas, indumentárias, maquiagem, acessórios, etc. O corpo precisa de energia para se manter e essa energia vem de várias fontes, o que você come, como você come, quanto e como você dorme, respira, bebe água, etc.

Determina como você cuida do seu ambiente físico, casa, quarto, bolsa, carteira, carro, gavetas, local de trabalho, etc. Para refletir sobre isso, responda à pergunta: o que você está fazendo para preservar seu corpo em boas condições e apresentação? O que você faz para preservar e manter em harmonia os seus espaços físicos?

Mental:

Representa seu Estado Emocional, suas crenças e valores que, por sua vez, estão relacionadas à estrutura: pensar – sentir – agir/reagir – obter ou não resultados satisfatórios. O tipo de informação que mais atrai você (jornais sensacionalistas, revistas de fofoca, crimes, informações sobre economia, negócios, tecnologia, saúde, dinheiro, etc.).

Faz parte também desse nível o seu direcionamento emocional. Para refletir sobre isso responda às seguintes perguntas: “Motivo-me mais quando estou diante de um desafio que pode me fazer crescer, ganhar mais ou quando a coisa fica preta e tenho que me virar ou algo pior acontece?” Se sua resposta foi para a primeira parte da pergunta, seu direcionamento é de aproximação ou busca do prazer, se foi para a segunda parte, seu direcionamento é de afastamento ou fuga da dor.

Isso está relacionado ao nível de saúde e bem estar. “Sou uma pessoa de bem com a vida e que vê nos problemas uma oportunidade de desenvolvimento de soluções ou sou uma vítima de tudo que pode dar errado?” Seu humor determina o que você passa e recebe do ambiente em que vive. A maioria das pessoas não gosta de gente reclamona e que se passa por “vítima”. Pelo contrário, a maioria das pessoas adora lidar com gente que passa uma energia para cima, que contagiam o ambiente com seu alto astral.

Compreendendo seus Níveis Relacionais

Para se tornar forte e vigoroso, tanto física quanto mentalmente, é necessário que você faça uma auto-avaliação criteriosa do seu nível físico e mental. Considere que o seu sonho, seu objetivo seja ficar cem por cento satisfeito com seu Nível Relacional Físico e mental (e com todos os outros que veremos ao longo das oito semanas desta série).
Pense numa escala que vai de zero a 100, e que tudo que estiver entre 0 e 49,9 seja considerado insatisfatório (-) para você. 50,0 será o ponto de equilíbrio e tudo que ultrapassar 50,1 até 100,0 será satisfatório (+). Lembre-se que 100 será a perfeição, como ela não existe… Seja realista.

Cada nível possui um subnível. Exemplos de Subníveis de Físico e Mental:

Físico: Organização de espaços pessoais, bolsa, armário, carro, mesa de trabalho, agenda, cuidados com o corpo, alimentação, exercícios físicos, indumentária, cabelo, unhas, desempenho e prazer sexual, etc.

Mental: Estado emocional, estrutura de pensamentos, direcionamento motivacional (prazer/dor), concentração, nível de atenção, desejo sexual e alimentar, stress (-)/(+), irritação, impaciência, etc.

O valor atribuído a cada subnível é relevante apenas para você, é subjetivo, pois é mensurado pela sensação de satisfação (+), neutralidade (+/-) ou insatisfação (-) com cada item. Os itens são muito particulares e dizem respeito a cada pessoa. No entanto, cada subitem mostra como está a esta parte da sua vida e especifica qual é a partícula mais frágil. Isso elimina generalizações e possibilita focar-se no que realmente importa. PNL corpo e mente tem como proposta auxiliar você na tarefa de particularizar seu desenvolvimento.

Calcule o seu Nível Relacional Físico e Mental

Para descobrir como está o seu Nível Relacional Físico e Mental faça uma tabela, pode ser manualmente ou numa planilha eletrônica. Veja como ficou a tabela usando-se o exemplo acima:

http://www.cursocoachingpnl.com/wp-content/uploads/2015/01/fisico_e_mental_tabela.jpg

Conte os itens relacionados, no exemplo, 7. Assim a média deste nível, apenas com base nesses subníveis, é encontrada somando-se os valores e dividindo o total pelo número de itens, ou seja, divide-se por sete: (20+70+45+50+30+25+20) = 260/7 = 37,14%. Portanto, insatisfatório.

Valor de um nível: a soma das partes, a força é definida pelo menor valor, parte mais fraca. No exemplo as partes que estão com 20%. Se este nível fosse uma corrente de sustentação da vida dessa pessoa tal corrente se romperia exatamente num dos dois mais fracos ou em ambos.

Tempo para mensurar seu Nível Relacional

Passe uma semana se auto-avaliando. Crie sua tabela e liste tudo que for relevante para você, neste momento de sua vida, e que esteja relacionado com seu estado físico e mental, atribua um percentual a cada item de sua lista(satisfação, neutralidade ou insatisfação) depois some os números e os divida o resultado pelo número de itens. O resultado da divisão será o percentual de satisfação ou insatisfação que você nutre pelo seu Nível Relacional Físico e Mental. Depois faça uma lista de coisas que você precisa fazer para melhorar os pontos mais críticos, em segundo lugar os intermediários e depois veja o que você pode fazer para melhorar, ainda mais, os pontos em que o nível de satisfação já é bom.

Na próxima semana avaliaremos o Nível Relacional Familiar. No final desta série disponibilizaremos para download uma ferramenta para você integrar todos os seus níveis relacionais e fazer seu plano de desenvolvimento relacional. Até lá.

Artigo publicado originalmente no site do IBGA

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento