Não seja uma "Máquina humana"

Por quantas e quantas vezes você já se viu em uma situação no trabalho, onde seu superior lhe deu uma ordem, para executar determinada tarefa de uma maneira errada, e mesmo sabendo disso você assim o fez?

Por quantas e quantas vezes você já se viu em uma situação no trabalho, onde seu superior lhe deu uma ordem, para executar determinada tarefa de uma maneira errada, e mesmo sabendo disso você assim o fez? Afinal, você só estava cumprindo ordens, pois, no mundo coorporativo manda quem pode, e obedece quem ter juízo, não é mesmo?

Errado!! Dentre minhas diversas experiências profissionais e pessoais, venho observando a chamada “hierarquia” nas empresas, onde somente os “chefes” detém o poder de decisão e os colaboradores “meros mortais”, obedecem as ordens como verdadeiras máquinas, ignorando suas próprias habilidades e conhecimentos da empresa e ignorando oportunidades de questionarem seus líderes, mostrando assim capacidade intelectual para desenvolver novas soluções em suas rotinas de trabalho, que na maioria das vezes é bem estressante.

Normas, leis e padrões de execução de determinadas atividades são coisas naturais em qualquer empresa, meu questionamento aqui é sobre a relação que o profissional tem com a empresa que trabalha, sobre sua capacidade de se questionar como pessoa e como profissional, e consequentemente questionar suas lideranças, não com intenção de afronta, mas com uma sede por conhecimento e melhoria de sua rotina. Em pleno 2016 vejo verdadeiras máquinas travestidas de seres humanos atuando em diversos ambientes, pessoas que simplesmente só executam o que mandam, sem ao menos entender o porquê de tais ordens.

Dentro deste contexto, sempre ouvi muito uma frase: “Sei que isso é errado, mas faço desta maneira porque eu preciso trabalhar”. É lógico e evidente que todas a pessoas precisam trabalhar, mas isso não significa que temos que nos tornar “máquinas”, que funcionam sobre ordens dos líderes. Será que você já parou pra pensar no mal que sua rotina de trabalho pode estar fazendo em sua vida pessoal? Quais as situações que você está se expondo, e muita das vezes fazendo coisas que ferem seu caráter? Você já se questionou sobre o caráter de suas lideranças? Sinceramente, nunca acreditei que alguma pessoa possa separar seu caráter profissional do pessoal, acredito que se alguém tem a conduta ruim como pessoa, fatalmente será da mesma maneira como profissional.

Confesso que este pode ser um tema um tanto quanto complexo, que exige uma ampla discussão. Porém, meu objetivo aqui é fazer com você se questione como profissional e como pessoa. Será que você tem orgulho de quem você é Como profissional? E como pessoa? Será que você realmente é dono da sua vida e de suas decisões?

Por favor! Vivemos em uma sociedade onde pessoas brilhantes se tornam cada vez mais raras, muita das vezes tais pessoas são engolidas dentro de organizações e se acomodam com sua rotina, vivem como passarinhos, em verdadeiras gaiolas profissionais criadas por empresas que buscam “máquinas humanas”, e não seres pensadores, capazes de criar soluções diferentes e de quebrarem determinados paradigmas.

Não seja uma “máquina humana”, tome as rédeas de sua vida profissional, seja audacioso, tenha coragem, faça parte de uma geração que venha para mudar os padrões e criar novas maneiras de se trabalhar e conviver em equipe. Busque opiniões, ouça pessoas experientes, mas acima de tudo, acredite no seus ideais, quebre padrões, questione seus líderes, tenha sede de conhecimento. E se for um líder algum dia, espalhe seu conhecimento, pois o mundo precisa de pessoas assim.

Não seja um profissional que só sabe seguir ordens, seja dono de sua vida e de suas escolhas, seja solução para os problemas aos invés que ser somente parte do sistema. Respeite normas e processos, mas busque melhorias, pois tudo na vida pode ser melhorado, principalmente nós mesmos, em nossos pensamentos e atitudes. Seja uma pessoa digna e justa, acredite nos seus ideais, espalhe bons exemplos, e por favor! Mude o seu mundo.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento