Não é ano de copa, mas vamos torcer!

É inacreditável como nós brasileiros somos volúveis. Em ano de copa uma inexplicável força toma conta dos brasileiros, e agimos com se fossemos o povo mais patriota do mundo, torcemos de forma doentia pela seleção canarinho. Estendemos bandeiras nas sacadas, colamos adesivos e penduramos bandeirinhas no vidro do carro, enfim vestimos literalmente a camisa do Brasil. Pena que este espírito de patriotismo seja passageiro, aliás, cíclico. Precisamos rever o conceito de patriotismo, e melhor aprender a aplicar o patriotismo que exercemos quando torcemos pelos gols do Ronaldo, em outras áreas. Alguns problemas crônicos da sociedade podem ser solucionados com atitudes simples, como exigir nota fiscal quando efetuar compras, parece insignificante, mas inibe o contrabando e a sonegação de impostos. Imagine se todos brasileiros deixassem de comprar mercadorias em camelô, não teriam mais para quem vender, lembre-se que as mercadorias comercializadas por camelôs são em sua grande maioria, contrabandeadas e falsificadas, além de sonegarem impostos. Da mesma forma ocorre com o consumo de drogas, se não houver quem compre drogas os traficantes não existirão. Patriotismo é não votar em políticos corruptos nem nos coronéis do nordeste que compram votos com pares de sandálias. O brasileiro tem que apreender a acompanhar a vida política de seus candidatos, cobrar e exigir que cumpram suas promessas de campanha, do contrário não votar mais neles e fazer campanha para que seus amigos também façam o mesmo. Vamos hastear a bandeira, entrar em campo e marcar os gols que o Brasil precisa!
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.