Não case com seu funcionário

É importante ter um bom relacionamento com o colaborador, funcionário, chefe, mas é preciso ter limites para que a intimidade não seja excessiva e sua vida profissional seja afetada

Você chega ao trabalho, senta em sua cadeira, liga seu desktop e ele faz questão de iniciar o dia comentando detalhes do final de semana da vida pessoa. Tais conversas continuam durante o dia, você vão embora após o expediente e recebe duas tapinhas nas contas e um – ‘amanhã eu te conto mais’. Cuidado, você pode estar entrando em uma fria organizacional.

Seja chefe, funcionário, colaborador, enfim, com qualquer colega nós precisamos ter uma boa relação social na empresa, isso ajuda a equilibrar as situações conflituosas que nos acometemos durante o expediente. Porém lembre-se: Para tudo há um limite e ficar muito amigo dos seus colaboradores dentro da organização pode ser prejudicial a sua carreira. O chefe deve estimular um ambiente cordial entre os funcionários, mas manter-se atento é sua obrigação.

A confiança é a base de uma amizade, é como o pré-requisito básico para uma, e isso requererá tempo e segurança no trabalho. Dessa forma é válido lembrar e salientar que o ambiente organizacional é um ambiente hostil, competitivo, e seu amigo de hoje poderá se tornar seu inimigo de amanhã.

Bem, o que sabemos sobre as relações humanas é que elas dependem dos pares envolvidos, e dessa forma o que um bom chefe, coerente e maduro poderá fazer é trabalhar a cultura organizacional para que a relação de amizade e afinidades, seja positiva, partindo do suposto que certas coisas não se misturem. Uma delas é evitar a intimidade no ambiente de trabalho, afinal, isso pode de forma inconsciente criar um clima de favoritismo. Onde nessa situação o melhor seria o gestor conhecer melhor os seus outros funcionários, percebendo com quais deles tem uma afinidade aparente e buscar entender por que com alguns é mais complexa a aproximação. Para a psicóloga Maria Clara Whitaker (2011), “não precisa ser amigo de todo mundo; isso soa falso. O caminho está em reconhecer e aprender a lidar melhor com diferentes tipos de pessoas”.

Segundo a psicóloga organizacional, Maria Célia Galhardo (2014) para ser um bom gestor, se deve ter o cuidado de definir claramente os limites entre si mesmo e a equipe por que apesar da interação, a empresa continua sendo um ambiente onde a postura profissional deve prevalecer em todos os sentidos. A psicóloga ainda destaca alguns pontos a serem considerados sobre a amizade entre chefe e subordinado:

"• Esclareça o relacionamento Para manter o respeito de seus liderados, procure ser direto sobre a natureza de seu relacionamento comercial. Isso significa ser claro sobre quais são seus objetivos, como podem ajudá-lo a alcançá-los e o que podem esperar de você. Comunicar os próximos passos reduz o risco de que alguém interprete mal a sua amizade.

• Socialize Na maioria das organizações, é comum haver eventos com o objetivo de reunir os profissionais além do expediente de trabalho, como almoços, happy-hours, festas de final de ano, etc. É natural que os gestores façam parte disso. Apenas lembre-se de socializar com todos, ter cuidado com o álcool e não ser o último a deixar a festa.

• Não aja com favoritismo Um dos piores erros que o líder pode cometer é favorecer determinadas pessoas no local de trabalho. Os outros membros da equipe percebem esta atitude e passam a desconfiar de qualquer decisão tomada, e isso vai refletir até na produtividade. Se você não tem certeza se está mostrando favoritismo, pense sobre o que cada profissional contribui para o negócio. Então, observe como trata cada um, se o seu tratamento se baseia mais no que sente ao invés do que realmente entregam, é hora de mudar o seu comportamento.

• Mantenha o profissionalismo Não importa o tamanho da intimidade que tenha com a equipe, para manter a credibilidade do seu trabalho, o líder tem de ser cauteloso. Informações confidenciais como salários, contratações e demissões e resultados nunca devem ser compartilhadas.

• Seja justo – Um gestor deve sempre prezar pelo lado profissional e manter a imparcialidade, independentemente do nível de amizade com seu subordinado. Em casos onde o colaborador apresenta um desempenho ruim, não hesite em identificá-lo e conversar a respeito.

• Não force a barra – Talvez tente ser amigo para fortalecer a equipe mais rapidamente, porém, parecer interessado demais pode soar falso. Conhecer cada um leva tempo, não faça perguntas a todo o momento, mantenha a espontaneidade."

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento