Mulher no mercado de trabalho

Todos nós procuramos um emprego produtivo, com boa remuneração e, se possível, sem qualquer forma de discriminação. Mas quando é a mulher almejando ingressar no mercado de trabalho, este sonho é ainda mais difícil de alcançar.

Parece estranho, mas mesmo em pleno século XXI o mercado de trabalho é muito cruel com o sexo feminino. Segundo pesquisa lançada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mesmo a mulher sendo a maioria na população brasileira é ela que se encontra sem emprego. Os fatores são diversos, mas a maioria fica impossibilitada de ingressar no mercado de trabalho por causa da família.


As mulheres estão mais presentes nas salas de aula que os homens, mas mesmo assim enfrentam maior dificuldade para conseguirem trabalho. Suas remunerações chegam a ser 60% menores em relação à dos homens de mesma escolaridade. A presença da mulher no mercado de trabalho predomina nos serviços domésticos e na administração pública. As mulheres trabalham menos horas que os homens por possuírem jornada dupla de trabalho. Além do trabalho remunerado, as mulheres brasileiras ainda possuem as tarefas domésticas.

Mundialmente, a relação Mulher e Mercado de Trabalho não muda muito nos países. As mudanças, em sua maioria, são relacionadas à cultura dos povos, mas podemos resumir que, mundialmente, as mulheres ocupam menos lugares de trabalho. Foi o que definiu a Organização Internacional do Trabalho: em 2007, trabalhavam 1.200 milhões de mulheres em todo o mundo.

Vejamos agora um resumo do mercado de trabalho para as mulheres no mundo:

Àfrica: Região com a maior pobreza no mundo. As mulheres não possuem outra opção a não ser trabalhar em lugares não muito dignos. Na África falta emprego até para o sexo masculino.
Oriente Médio: De um lado, a região Petrolífera (Estados de Golfo). Do outro, os conflitos entre Líbano e Palestina. Com esta conjuntura, a barreira que a mulher enfrenta para ingressar no mercado de trabalho é muito alta. Nesta região, a participação das mulheres é de 33,3% - a segunda menor do mundo.
América Latina: Em 2007 havia 67 mulheres ativas para cada 100 homens. Elas ocupam, principalmente, cargos nos setores de serviço.
Ásia: Oportunidade de emprego existe, mas faltam condições melhores de trabalho.
Europa: Comparando a outras regiões, a desigualdade é menor. Existem aproximadamente 80 mulheres trabalhando para cada 100 homens.

Apesar de tudo, há importantes avanços no papel das mulheres no mercado de trabalho. Mas ainda há muito o que fazer para conseguir essa igualdade. Cabe às mulheres demonstrar todo seu potencial e profissionalismo.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.