Mudança organizacional relacionada ao quadro de funcionários

Sabemos que a mudança organizacional é importante para renovar e conquistar espaço no mercado, assim como clientes. Mas o que fazer quanto ao ambiente externo? É necessário trabalhar sobre colaboradores, informando-os, fornecendo qualificação, pois eles são fundamentais para a concretização de nosso plano de mudança.

Em tempos de inovação, revolução tecnológica e mercadológica, entre outros, as empresas sentem a necessidade de modificar suas metodologias internas, como a relação e qualificação de funcionários, para atender as demandas e superar seus concorrentes, ajustando sempre o ambiente organizacional para o alcance das expectativas do público.

Para se adaptarem ao mercado atual, as empresas programam novos processos de trabalho, isto é, realizam uma mudança organizacional. Mas, a questão é: como deve ser feita? Muitas vezes as sugestões e os planos levantados são positivos quanto ao desempenho da organização, porém a forma como são implantados pode determinar o insucesso e o prejuízo pós-mudança. O erro comum dos administradores é estabelecer um processo de renovação sem pensar no impacto provocado sobre os colaboradores e sobre o ambiente de trabalho.


Mudança organizacional não pode ser compreendida como algo isolado e simples, pelo contrário, é muito mais complexa. O saber agir é necessário. Em visão particular, é um processo gradual e que deve ser escalonado, partindo das ações mais fáceis até as mais difíceis, atingindo sua efetividade. Por ações mais fáceis, ou iniciais, entende-se o pôr no papel as atitudes a serem tomadas, e a comunicação para os trabalhadores – mesmo que a instante provoque uma desordem entre eles. Certos do processo, a aplicação de testes, com a finalidade de comparar resultados, podem auxiliar para verificar se o plano de mudança terá prosseguimento. Partindo desse princípio, vejo que a mudança ocorrerá mais facilmente, pois todos os envolvidos estarão a par do que se pretende realizar.

É importante que funcionários saibam claramente as diretrizes organizacionais, e que estejam altamente capacitados, psicológica e tecnicamente, para a nova fase que se inicia, pois a mudança será efetiva se esses estiverem preparados para recebê-la. Assim como eles, o nível estratégico deve ter todo o controle e planejamento da operação, possuir a visão positiva, e também a negativa, do planejado.

Do ponto de vista do funcionário, na maioria dos casos, mudança é significado de demissão. Essa afirmação dá-se pelo motivo: transformação é igual a “sobra” de pessoal. É comum se ouvir semelhanças a isso. Neste caso, podemos dizer que essa imagem compete às empresas que visam à produtividade e o lucro advindo do árduo trabalho de sua mão de obra. Despreocupadas, estão dispostas somente a ampliar seus negócios. Digo que a mudança, quando bem planejada, pode aproveitar todos, e melhor distribuí-los para se chegar às nuvens. Incentivar, mostrar resultados, quebrar as resistências, são maneiras de cativá-los e engajá-los no processo de mudança.

A mudança só será perfeita e de sucesso se o quadro de colaboradores estiver ciente dos porquês de tal iniciativa e pronto, seja em informação, seja em técnica, para encará-la e, sobretudo, se estiver integralmente estimulado para o “you win” da ação.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.