Motivação: não deixe que falte

É válido você avaliar a sua falta de motivação. Ela pode interferir muito na sua carreira e nas relações pessoais. O primeiro passo é questionar quais consequências isso pode causar na sua vida. Falta de interesse por suas tarefas no trabalho, por exemplo, podem culminar na perda do emprego, e o mais grave: na perda da sua reputação profissional

Num mundo competitivo, em que cada vez mais somos exigidos, tanto emocionalmente quanto tecnicamente, a falta de energia para encarar os desafios diários pode ser um grande problema. Motivação é algo que não se terceiriza. Tem de partir de cada pessoa e está intimamente relacionada a ação e movimento.

É válido você avaliar a sua falta de motivação. Ela pode interferir muito na sua carreira e nas relações pessoais. O primeiro passo é questionar quais consequências isso pode causar na sua vida. Falta de interesse por suas tarefas no trabalho, por exemplo, pode culminar na perda do emprego, e o mais grave: na perda da sua reputação profissional.

Ter estes encontros com a gente mesmo nem sempre é fácil, mas são necessários. Se falta motivação, muito provavelmente tem uma parte da sua vida em desequilíbrio, que precisa de atenção.

A falta de motivação é mais evidente no trabalho. Em minha experiência no mundo corporativo, volta e meia me deparo com a falta dela. Às vezes, até me pedem para colocar uma frase motivacional aqui e ali. Assim, algo que “desperte” a motivação.

Confesso que, apesar de atender algumas vezes a esse pedido (afinal, a frase sempre pode levar a uma reflexão), não tem estímulo externo que dê jeito se a mudança não partir de cada pessoa.

Separei x passos para avaliarmos a motivação no dia a dia. Acompanhe!

1. Geração Y e o mercado de trabalho

Atualmente, associamos nossa carreira profissional à realização pessoal. A maioria das pessoas querem fazer o que gostam e buscam um propósito naquilo que fazem. Quando a expectativa depara-se com o mercado de trabalho, muitas vezes a frustração pode bater à porta. Frustração é uma das causas da falta de motivação.

Buscar o equilíbrio é o desafio de todo profissional do século XXI. Existe uma cobrança muito grande, mesmo que indireta, com a nova geração. Pessoas que estudaram muito mais que os pais, que tiveram a oportunidade de fazer cursos, especializações, estudar línguas e tudo o mais.

A expectativa em cima da geração Y é enorme (tanto dos pais como dos próprios jovens), e aí mora um grande perigo. A grama do vizinho sempre vai ser mais verde se você ficar parado olhando para ela.

2. A inércia

Se você não se enquadra em um caso clínico de depressão, onde a doença “é resultado de um distúrbio que deixa o cérebro preso à evidência racional de que nada vale a pena”, sai da cadeira, já!

Cada um sabe das suas limitações. Mas, convenhamos, não aceite a inércia na sua vida. Se você não começar a se mexer, A-B-SO-LU-TA-MEN-TE nada vai acontecer.

O universo não vai responder ao seu chamado por um salário melhor, para um romance melhor, por um emprego melhor e para uma vida melhor se você não der os passos necessários para isso.

3. O primeiro passo

Pesquisando sobre o tema, alguns especialistas dão dicas simples, mas eficientes, como escrever seus objetivos e fazer um planejamento estratégico.

Trace suas metas e coloque datas para realizá-las. Trace objetivos reais com prazos que você possa cumprir.

Não há falta de motivação que resista a uma pessoa determinada a tomar as rédeas da sua vida.

Eu já comecei meu planejamento para 2016. E você?

Até o próximo post!

ExibirMinimizar
aci baixe o app