Motivação e mudança

O artigo fala sobre o desaafio de motivar uma equipe sem enxergar que cada um é um indivíduo complexo que traz consigo bagagens emocionais. Toda mudança gera perdas e por este motivos muitas pessoas não mudam. Não há motivação sem que inspiremos o outro a se motivar, dando um motivo para a mudança

Você já parou para pensar o quanto é importante motivar as pessoas de sua equipe?

Já pensou sobre quais os benefícios de uma equipe motivada pode trazer para sua empresa?

Tenho certeza de que se você trabalha com pessoas e precisa de melhores resultados já refletiu sobre essas perguntas, e quando ainda se perguntava sobre elas surgiu uma terceira pergunta:

Como motivar minha equipe para que haja uma mudança nos resultados?

A primeira coisa que temos que levar em consideração é que o ser humano não é uma ciência exata.

A Gestão de pessoas requer muito mais que regras pré-fabricadas, precisa de muita perspicácia e muita atenção para tratar cada caso com a complexidade que eles exigem, por que o ser humano é complexo por natureza.

Sou palestrante "inspiracional", geralmente quando uma empresa me contrata para “motivar” uma equipe de vendas, me perguntam sobre o efeito que isso irá causar nos resultados das equipes, no Faturamento da empresa e minha resposta é sempre a mesma: Não sei! – logo darei o motivo da resposta.

Todos ficam atônitos com minha resposta.

É nessa hora que os faço pensar sobre alguns fatores da motivação e da mudança, que veremos a seguir.

Precisamos entender que motivação está intrinsecamente ligada à mudança.

Não precisamos motivar a ninguém a fazer o que gosta de fazer.

Tentamos motivar as pessoas para que elas mudem o que estão fazendo ou para que elas alcancem melhores resultados no que já estão fazendo.

O os gestores, por vezes, esquecem é que pessoas são dotadas de vontades próprias e ninguém consegue forçar uma pessoa a fazer o que ela não quer fazer, a não sobre grave ameaça, o que não é o caso aqui.

Nenhum especialista em PNL, Coaching e etc. é capaz de motivar uma pessoa sequer a fazer qualquer coisa, a não ser que seja despertado um desejo.

A motivação não é um fator externo e nenhum fator externo é forte o suficiente para motivar uma pessoa.

Então, o que fazer quando as pessoas de sua equipe não querem fazer o que você precisa que seja feito?

Não é o que digo que motiva uma pessoa, mas a vontade de mudar a motiva!

O que motivam as pessoas são os motivos.

Não temos o poder de motivar, mas podemos inspirar as pessoas a terem um motivo que as motive.

Quantas pessoas você conhece que emagreceu por que você disse que ela estava acima do peso?

Quantas pessoas você conhece que emagreceu por que o medico disse que se elas queriam viver mais deveriam emagrecer?

Qual é a diferença?

Você apenas disse que a pessoa precisava emagrecer, o médico deu um motivo pelo qual ela devesse emagrecer.

Para facilitar as coisas para você, sempre que pensar em “motivação” pense em dar num motivo.

Dar um motivo é na verdade explicar o porquê que a mudança se faz necessário.

Quando damos um motivo para que as pessoas mudem ou façam algo, devemos levar em consideração a explicação de pelo menos três fatores que nortearão a pessoa nas próximas ações, são eles:

  • Porque a mudança é necessária
  • O que eu ganho ao mudar
  • O que eu perco ao mudar

Dentre os três fatores acima o mais importante e igualmente mais complexo é o de fazer a pessoa entender o porquê que a mudança é necessária, isso mexe com qualquer pessoa.

Se você é um palestrante e uma pessoa olha para você e diz que você precisa melhorar, com certeza você não ficará satisfeito, por que na verdade todos achamos que estamos fazendo o melhor e quando o nosso melhor é colocado em cheque, nos causa frustração e um sentimento ruim de que não estamos agradando.

Nossa mente começa a criar situações do tipo:

Será que outras pessoas já pensaram em me dizer isso...

Será que não passei naquele teste por causa disso...

Você não pode simplesmente querer que as pessoas mudem, elas precisam entender o que mudou a sua volta e o como essa mudança está impactando no comportamento dela.

Pessoas evitam mudanças a todo custo por que sabem que mudanças geram perdas e por isso devemos sempre valorizar o que a pessoa tem a ganhar, mas sem ser insensível com aquilo que a pessoa perdeu.

Supervalorizar o que se perde é tão prejudicial quanto fingir que nada aconteceu!

Quando estamos prestes a iniciar um processo de mudança, de qualquer natureza que seja, a única coisa que sabemos é que estamos perdendo algo, e não temos garantia do que vamos ganhar e essa sensação de insegurança faz com que muitas pessoas nem pensem em mudar.

Uma das formas de ajudar as pessoas que estão vivendo momento de perdas é reconhecer isso.

Como assim?

Um Jovem que está prestes a casar-se com uma bela moça, está perdendo sua vida de solteiro e por isso ele faz a despedida de solteiro uma festa para o que está acabando. Sua empresa pode sim, reconhecer as perdas de diversas maneiras.

Uma das coisas que atrapalham o processo de mudança é o nosso passado.

O passado é nosso, não podemos simplesmente apagá-lo.

Toda mudança traz consigo uma carga emocional muito grande das nossas decepções, o que começamos e não terminamos e do que nos demos mal ao tentar mudar.

O que devemos fazer é reconhecer os passos que damos para frente e relevar os passos que demos para trás.

Não existe nada mais frustrante do que olharmos apenas para os passos que damos para trás.

Isso acontece muito com alguém que está motivado a emagrecer.

A pessoa está focada a semana toda e segue à risca a dieta, mas no final de semana, quer comer um chocolate.

Na segunda-feira seguinte ela abandona a dieta, porque comeu o chocolate, jogando fora tudo o que fez na última semana.

O que precisamos trazer a reflexão é que como seres humanos, somos diferentes mesmo quando falamos sobre fatores que nos motivam.

Muitos gestores e supervisores querem burlar a máxima de que somos seres únicos, e tentam a todo custo reproduzir fórmulas exatas nos processos de gestão de pessoas.

O malefício desta falha não traz prejuízo apenas para a organização, mas também abala a eficácia da equipe que talvez nunca chegue ao patamar a que são motivados a chegar.

Usar uma única estratégia para todos é inadequado.

É por isso que não sei se uma palestra motivacional contribui para que o resultado do grupo melhore, talvez uma ou outra pessoa melhore, mas como grupo não podemos afirmar.

Sem dúvida manter uma equipe consistente é a coisa mais fácil de fazer e de justificar, porém será que conseguiremos os melhores resultados colocando todos em uma forma?

Fica ai uma reflexão.

Davidson Justi

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento