Mídias Sociais para maior mobilidade e competitividade

As mídias sociais são uma revolução que pode superar até o surgimento da internet. Este movimento, aliado à tecnologia, está quebrando paradigmas de empresas por tamanho - pequenas, médias ou grandes - e dando espaço às empresas mais ágeis, com maior mobilidade e maior capacidade de "social business"

A cada dia cresce o número de pessoas que entendem que as transformações que as redes sociais trazem para o nosso tempo são tão impactantes que superam o próprio aparecimento da internet.

Em um contexto social, a chamada "Primavera Árabe" é o melhor exemplo, mas outros movimentos como pela Ficha Limpa no Brasil, mostram claramente que estas redes tendem a ter cada vez mais importância, à medida que mais pessoas aderirem ao uso.

Combinadas com outro movimento, da mobilidade, estas novas mídias colocam as pessoas conectadas todo o tempo através de smartphones e tablets, modificando hábitos, tanto em nossas vidas pessoais quanto profissionais.

No começo, todos viam estas redes apenas como uma forma de entretenimento, mas hoje já é bastante utilizada a expressão "social business", que diz respeito às maneiras do mundo empresarial tirar proveito destas redes – de forma simples e direta, podemos dizer que as empresas devem estar onde os consumidores estão.

Vejo este movimento como uma excelente oportunidade para as empresas ágeis. Digo ágeis porque entendo que hoje produtividade é algo que nos remete muito mais a um conceito de agilidade, capacidade de inovação do que ao paradigma de "pequenas, médias e grandes".

E acontece que empresas ditas "grandes", com estruturas mais pesadas, de forma geral têm maior dificuldade em assimilar novidades, são menos ágeis.

Isto pode ser comprovado, por exemplo, com a surpreendente presença de algumas marcas no Facebook, que não estão na lista das chamadas "grandes empresas".

São diversas frentes em que as redes sociais podem aprimorar processos, otimizar recursos e aumentar o faturamento de uma empresa, e as ditas "pequenas", se tiverem coragem suficiente para investir neste movimento, em breve podem figurar na lista das chamadas "grandes empresas" – a arte então, será manter a agilidade.


Horacio Fialho Moreira é diretor de marketing na Firma IT (horacio@firmait.com.br)

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento