Metas x Excelência

Quais as características que formam um profissional de destaque? Entre o tempo dedicado na execução de uma tarefa, quanto desse tempo representa um ganho em competência e eficácia no que se faz? Este artigo faz a importante correlação entre a importância de se traçar metas com a finalidade de se obter uma excelência em resultados.

“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito” Aristóteles.

Começo este artigo com a célebre frase de Aristóteles sobre a excelência. Aristóteles deixa claro em sua opinião que a excelência é alcançada ao se fazer repetidamente uma coisa. Quando uma ação torna-se hábito e dessa forma pode ser melhorada dia após dia acumulando aprendizados durante o processo de aprendizagem.

Em qualquer área profissional tem destaque o profissional que entrega resultados, não basta o saber fazer, tem-se que mostrar que se sabe fazer e fazer bem feito. Quanto melhor é o resultado entregue, quanto maior o valor sentido pelo “cliente”, de forma proporcional é a remuneração recebida. Neste caminho em busca da excelência quais são os fatores que determinam o profissional que entrega maiores e melhores resultados dos profissionais medianos? Somente fazer dia após dia à mesma atividade é suficiente para se alcançar a excelência em algo? Para o psicólogo Anders Ericsson, as pessoas que são consideradas gênios em determinada área tem em média dez mil horas de prática naquela atividade. Ou seja, o caro leitor pode pensar: Praticando por 10 mil horas seguidas posso me tornar um “gênio” em uma atividade? Exatamente neste ponto que coloco o foco deste artigo.

Se 10 mil horas de prática é o que define a maioria dos profissionais que se destacam em uma atividade. Por que alguns ganham notoriedade e outros não? O que diferencia o profissional mediano do excelente, é que além das 10 mil horas de trabalho o excelente se desafiou. Procurou aprender um pouco a mais a cada dia de sua atividade, dessa forma com o passar do tempo foi agregando diferenciais. Não basta realizar todos os dias a mesma atividade. Alguém que realiza uma atividade durante 6 horas por dia, todos os dias do ano, acumula em um ano 2190 horas. Em cinco anos de prática teria quase 11 mil horas praticadas, mas só isso não garante o destaque no mercado. Hoje muito profissionais acumulam a experiência proporcionada pelo tempo, mas tem todos entregam resultados diferentes ao longo do tempo.

Metas desafiadoras o caminho para a Excelência.

Ao realizar a mesma tarefa todos os dias, o profissional pode cair na grande armadilha da “segurança”. Achar que já domina tudo da área, que não precisa aprender mais nada, e a rotina diária ao invés de melhorar o profissional, faz dele um profissional mais desleixado. Que não presta mais atenção aos detalhes, não se desafia, faz somente aquele “arroz com feijão” todos os dias. Em cinco anos o resultado que este profissional entrega é o mesmo que entregava no primeiro ano de trabalho, quando não pior, pela falta de atenção aos detalhes.

Para não cair nesta armadilha de que somente o tempo de experiência basta para entregar um melhor resultado, crie metas e indicadores que possam medir seu desempenho. Na mesma pesquisa que citei acima, Anders Ericsson demonstra que estes profissionais além da dedicação e paixão pelo que faziam também se desafiavam mais que os outros da mesma área. Para crescer é necessário se desafiar, romper barreiras. As metas são um excelente caminho para isso, crie metas que te “puxem” para cima, te desafiem, force que você seja melhor hoje do que era ontem. Divida aquele projeto grande em pequenas partes, e estas partes serão suas metas, certifique-se de que este ano vai fazer algo melhor do que fez no ano passado. Não busque só as 10 mil horas, busque que a cada hora seja melhor que a anterior. É um dia de sua vida que troca pelo que faz hoje, então se certifique de que está fazendo seu melhor.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.