Matemática, português, e por que não educação financeira?
Matemática, português, e por que não educação financeira?

Matemática, português, e por que não educação financeira?

Não imagino que veremos educação financeira em nenhuma escola municipal ou estadual em sua grade de ensino

"E uma mulher, das mulheres dos filhos dos profetas, clamou a Eliseu, dizendo: Meu marido, teu servo, morreu; e tu sabes que o teu servo temia ao SENHOR; e veio o credor, para levar os meus dois filhos para serem servos ”( 2Reis 4:1).

Esse texto tirado da Bíblia Sagrada demonstra que não é de agora, que muitos desconhecem e tem muita dificuldade em se planejar financeiramente, o texto relata que ao morrer o marido, a viúva comunica ao profeta que seu marido tinha deixado uma dívida, que como forma de pagamento, os credores levariam seus filhos.

É observado com muita estranheza que um homem guiado por Deus, seguidor do profeta Eliseu, não se preocupava com as questões financeiras, ao ponto de deixar uma dívida familiar que acarretaria na perda de seus filhos.

Passados muitos anos vivenciamos situações muito parecidas, claro que as dívidas deixadas não são pagas pelos familiares com a entrega dos filhos, mas acarretam problemas graves para as famílias.

Não imagino que veremos educação financeira em nenhuma escola municipal ou estadual em sua grade de ensino, haja vista que nossos governantes nunca tiveram esta intenção, por esse motivo, a educação financeira deve ser inserida na educação de nossos filhos para que no futuro evitem problemas financeiros e fiquem “presos” aos bancos ou agiotas.

ExibirMinimizar
Digital