Mas Tinha que ser o Severino?

Todos nós sabemos que a eleição para a Presidência da Câmara dos Deputados foi decidida devido a dois fatores: A arrogância do PT, que achava ser capaz de eleger um candidato do Partido, por mais anti-social e antipático que ele fosse e pela falta de articulação política que garantisse ao Partido majoritário a Presidência, como é praxe no Parlamento brasileiro! Mas tinha que ser o Severino o beneficiado pela arrogância e pela incompetência do Partido do Governo? Há, na Câmara, pelo menos, uma dúzia de nomes, tanto da oposição como da base governamental, que poderia encampar a insatisfação dos Deputados e dar uma lição de humildade e competência ao Governo! Mas preferiram consagrar na urna o nome do Deputado Severino Cavalcanti, que todos conheciam e sabiam do que ele seria capaz! Ele nunca escondeu o que pensa, o que sempre fez e o que faria, caso fosse eleito Presidente da Câmara. E mesmo assim, teve 300 votos, dos 513 possíveis! É um Deputado retrógrado, fisiológico e defensor do nepotismo há quarenta e dois anos e todos os parlamentares sabiam disso, porque ele sempre fez questão de mostrar a cara! Fica muito difícil, hoje, os parlamentares justificarem a sua eleição, principalmente os 300 que votaram nele e deram a ele a condição de ser o 2º homem, na cadeia sucessória e gerir um orçamento de milhões de reais! Pode-se entender tudo: A insatisfação dos oposicionistas com o Governo Lula e com o aparelhamento do Governo; a repulsa ao nome apresentado pelo Governo para disputar a eleição; a resposta que uma boa parte dos petistas queria dar ao Governo pela maneira como eram tratados pelo Deputado José Dirceu; e a necessidade de afirmação do baixo clero, que foi espezinhado pelos caciques da Câmara. A única coisa que não se pode entender é a escolha do candidato para essa vingança! Um candidato despreparado e que é a negação de todos os princípios éticos e uma ameaça à democracia, porque simplesmente não tem compromisso com nada e com ninguém, a não ser com ele mesmo e com os seus projetos pessoais. Muitos dos seus eleitores, envergonhados, não têm coragem de declarar o seu voto e não se consegue encontrar na Câmara nem um terço dos votos que o elegeram. É uma desmoralização para o Poder Legislativo, e em especial para a Câmara ter um Presidente com o seu perfil e com o seu caráter, depois de nomes tão ilustres terem ocupado a cadeira de Presidente da Câmara dos deputados. Em se tratando de Severino Cavalcanti, tudo é possível e a gente tem que acreditar em tudo que se fala e que se insinua a seu respeito, porque ele é capaz de fazer qualquer coisa pelo poder e pelo dinheiro. A Câmara agora tem uma batata quente nas mãos e não sabe como lidar com ela. Querem se livrar dele, mas só conseguirão com a renúncia dele, o que seria quase impossível e ele já declarou isso em alto e bom som ou pela sua cassação, o que seria possível provando as acusações contra ele. É o fundo do poço para a Câmara dos Deputados. Uma página que deverá ser virada o mais rápido possível, mas que jamais será apagada, maculando a história de uma das mais importantes e representativas Casas do Poder Legislativo no Brasil. O Governo e o PT mereciam uma resposta, mas tinha que ser o Severino? . . .COMENTE! Seu comentário é importante. POLITIC - UM CANAL DE IDÉIAS http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=3619732 . . .
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.