Marketing do abandono

Embora o que estou escrevendo seja o básico que qualquer empreendedor, vendedor e comerciante deveria saber e praticar, infelizmente ainda encontramos pessoas e empresas tão preocupadas em fazer novos clientes, que pouco se dedicam na manutenção daqueles que foram conquistados.

Quero analisar com você três situações distintas, antes de explicar o que chamo de ‘Marketing do abandono”, vamos lá?

  1. Você já recebeu uma mensagem automática de felicitações por seu aniversário, da parte de alguma, empresa, loja ou comércio? Caso nunca tenha recebido, provavelmente deve ter ouvido alguém contar que recebeu um sms, e-mail ou carta com este perfil de mensagem, certo?
  2. Ao fazer sua compra em um hipermercado, já foi surpreendido ao ver na etiqueta dois preços para o mesmo produto? Um preço para pagamento á vista em dinheiro maior e outro preço mais em conta para quem optar por pagar com o cartão da loja?
  3. Já se assustou ao perceber que aquilo que pesquisou no Google, de repente, ao entrar em seu perfil do Facebook, lá estava um anúncio exatamente do produto que você pesquisou?

O que estes três eventos aleatórios têm em comum?

Existe algo que ligue os pontos?

Eu se eu dissesse que sim e que perceber isso poderia aumentar suas vendas e resultados?

O que vou falar aqui é muito básico, mas infelizmente alguns empreendedores e/ou vendedores parecem se esquecer.

Existe algo percebido pelas grandes corporações e à medida que os pequenos e médios empreendedores e vendedores perceberem, muita coisa irá mudar radicalmente.

Esses três comportamentos acima citados, esboçam exatamente uma ação de marketing, que em nosso artigo chamarei de “Marketing de Relacionamento”.

Trata-se literalmente como a própria definição do termo sugere.Criar uma marca buscando e/ou nutrindo conviver por mais tempo e com melhor qualidade com os clientes já captados.

Ora, quem pode se lembrar dos vendedores que nas periferias batiam às portas com as velhas cadernetas, onde se criava crediário imediato para a vendas de cadeiras de balanço, conjuntos de camas, jogos de panelas e outras coisas mais?

Estes já sabiam do valor em criar um genuíno e saudável relacionamento com seus clientes embasado apenas no carisma e simpatia.

De forma que mesmo sabendo que as vezes se pagava até três vezes mais que em outros lugares, suas clientelas se mantinham leais.

Hoje cada uma à sua maneira, grandes empresas perceberam que seja por gestos que demonstre um mínimo de afetividade (mensagens no aniversário), seja oferecendo vantagens para quem demonstra lealdade (desconto para quem paga no cartão da loja) ou criando algoritmo para criar uma bolha que lhe traz na timeline da sua rede social somente o que lhe agrada (Facebook), estão todos focados no tal “Marketing de relacionamento”.

Alguém diria, claro eles fazem isso para vender!

Mas é lógico, se você deseja que o dinheiro que está no bolso do seu cliente venha para sua conta, como acha que fará isso?

Demonstrando algum ou nenhum interesse nele?

Como já disse, embora o que estou escrevendo seja o básico que qualquer empreendedor, vendedor e comerciante deva saber e praticar, infelizmente ainda encontramos pessoas e empresas tão preocupadas em fazer novos clientes, que pouco se dedicam na manutenção daqueles que foram conquistados.

Você pode se esquecer do seu cliente e não demonstrar interesse enquanto está concentrado (a) em conquistar novos, mas aquele cliente decepcionado com esta postura e a esta chamarei de “Marketing do abandono”, pode ter certeza que se lembrará por muito tempo, e enquanto tiver opção, jamais fará novos negócios com você ou com sua empresa, pois alguém em sua concorrência poderá estar apostando no relacionamento.

Óbvio que os exemplos citados no início são apenas meramente ilustrativos, sabemos que nutrir relacionamento com clientes vai muito além de mensagens em datas especiais.

Na verdade, a provocação aqui é:

Oo que você está fazendo para não entrar automaticamente no “Marketing do abandono”?

Há alguma ferramenta, recurso ou programa para ouvi-los com maior atenção?

Se há, você ou sua companhia está usando em seu favor?

Recebo mensagens de vendedores me questionando:

Clayton como faço para prospectar mais clientes?

Pergunto de imediato:

Como estão aqueles já conquistados, você sabe se eles estão bem, se não lhe faltam algo, como eles enxergaram a última experiência com você?

Eu nem deveria lhe falar isso, eu sei que você já sabe que estreitar e personalizar o atendimento conforme seu segmento permitir, principalmente no pós-venda é o caminho para fidelização de clientes.

Sei que é clichê, mas ame seu cliente, não apenas em sua mente, deixe que eles vejam e sintam que não foram “Abandonados” por você ou sua companhia.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Clayton

    ClaytonAdministrador Premium

    Consultor de liderança e vendas, Clayton Milanez é fundador da Ação Águia eventos corporativos e treinamentos. Ganhador do selo Prêmio Qualidade Brasil – 2016, o palestrante é membro da Sociedade Brasileira de Coaching, com especialização em Neurolinguística, Life, Profissional, Executivo e Business Coaching. Em sua trajetória, realizou palestras e workshops dentro e fora do Brasil, formando líderes e profissionais, desde o alto escalão até os colaboradores de base, em uma multinacional de Angola. Escritor de artigos e criador de conteúdo sobre vendas e empreendedorismo no Youtube, recentemente, Clayton foi convidado para ser um dos escritores do livro “O Pulo do Gato em Vendas”, pela editora Unisv, com lançamento previsto para 2019.

    café com admMinimizar