Marketing Digital - A Era do Vídeo

A convergência para o vídeo ao mesmo tempo que é assombrosa é natural. Todos consomem conteúdo em vídeos e isto é só o começo. E sua empresa já está no vídeo?

Gatilhos mentais: Gere história e não comerciais para vender!

Um novo recurso fabuloso que despontou recentemente e que impulsiona e gera autoridade num tempo fenomenalmente meteórico, são os vídeos.

Ignorar o efeito de mostrar seu rosto, de sua equipe, de construir histórias que disparam gatilhos mentais que levam a compras do seu produto, é um desperdício que sua empresa, não pode se dar ao luxo. Então, seja mediático e entre logo no mundo dos vídeos.

Mas, faça bem-feito, você não pode gerar um canal de vendas para sua empresa, isto já existe há décadas e gera pouco ou nada de resultados como canal de vendas. Você precisa criar um canal para você contar sua história, de sua empresa, de sua equipe e de seu produto. Um canal que dispare os gatilhos mentais em seus clientes e que geram vendas. E sempre lucrativas!

E a primeira desculpa que escuto é que você não entende nada deste negócio de vídeo. Mas isto é vantagem para você. Ao menos não vai se encantar com a tecnologia, design e efeitos de edição e; esquecer da história, como temos visto com muita frequência, por ai. Lembre-se: seu cliente, seu prospect compra porque você disparou gatilhos mentais nele.

Recursos necessários para começar

Nada! Você já tem tudo! Este seu smartphone e toda sua história de vida e empresa, que está na sua cabeça! É só para fora, ou melhor, em vídeos.

Coloque seu celular fixo numa xícara de café em cima da mesa, em cima de uma panela mesmo, para dar altura e pegar sua face, seu rosto, naquele ângulo que você mais gosta, comece a gravar e conte sua história para as pessoas, acreditando que o mundo todo está interessado e quer te ouvir.

Ao errar na contação de história, continue assim mesmo, depois você edita, é você mesmo, podemos falar disto depois, mas agora, só preocupe em gravar sua história. Você vai descobrir que até os erros autênticos de gravação, geram histórias e disparam gatilhos mentais para gerar vendas para seus prospects.

Feito isto, com sua conta Google, aquela do seu email, lá do Gmail; abra um canal no Youtube, se já tiver um, ignore, comece um outro novo do zero e vá gravando vídeos sobre sua história e postando lá no Youtube. Use seu celular mesmo, para fazer isto. Procure na internet para sanar suas dúvidas básicas e bom ou ruim vai em frente, continue escrevendo, melhor, gravando e publicando sua história.

Mas cuidado! Você pode amar este negócio e se tornar um Youtuber logo! E não há nada de errado nisto. Quanto mais audiência que acompanhou sua história, mais seu alicerce se solidifica e disparará um dos gatilhos mentais de compras mais importantes de uma venda: Autoridade!

Porque vídeo e não texto?

Porque todo mundo só quer vídeo e nem eu e você estamos com paciência para ficar lendo textos como este aqui. E mais, num vídeo você tem métricas: você sabe se está agradando e a quem está agradando, se estão assistindo “ouvindo” sua história toda. E até que parte estão ouvindo mais. Para você enfatizar este trecho da sua história que dispara mais gatilhos de vendas.

Num texto, a gente não consegue saber nem se o sujeito leu tudo ou que parte leu mais. Por exemplo, neste texto, não sei se você vai ler tudo por isto gravar um vídeo é muito melhor, nos dá parâmetros de quanto dele é interessante para meu público. E no vídeo dá para saber quanto você gostou ou não, ou seja, qual trecho está sendo mais assistido.

E não se preocupe com número de seguidores, eles virão com o tempo. E você aprenderá que número de seguidores não significa muito, neste momento! O que lhe interessa é Views. Ou seja, a quantidade de pessoas, prospectes que estão lhe assistindo e interessado em sua história.

Compartilhamento

Um outro item muito indicativo é quantidade de compartilhamento de sua história, de seus vídeos, que as pessoas estão compartilhando. Ah, como amo os compartilhamentos de meus vídeos, Compartilhamento é a melhor métrica positiva que uma história pode ter. Porque me diz claramente que além de gostar de minha história a pessoa ainda enviou para outra pessoa. E enviar algo para outra pessoa significa que assina embaixo, endoça o cheque.

E você deve usar o recurso de pedir para as pessoas compartilharem suas histórias. A propósito, você poderia compartilhar esta história aqui com seus amigos e sua rede? Um clique e está feito!

Isto que eu acabei de fazer com você é um erro grosseiro que você deve evitar! Você pode sim pedir para compartilhar, mas no final, até agora ainda não gerei gatilhos mentais em você suficiente para lhe convencer que esta minha história aqui, sobre vídeos é de fato boa e que você vai endoçar para seus amigos. Vou fazer isto no final, pode ter certeza que lhe pedirei para você compartilhar este artigo no final.

Quanto tempo leva para converter história em resultados?

Só vai depender da qualidade de sua história, de sua consistência, ou seja, de sua perseverança e persistência em vencer os obstáculos iniciais e manter o ritmo da contação de sua história.

Você vai ter que ter real comprometimento com ao menos os seguintes gatilhos mentais que geram vendas, neste processo:

1. Prova: você tem que mostrar quais clientes já entregou valor de verdade e eles têm que afirmar isto para os outros.

2. História: tem que ser real e mostrando seus erros e acertos: Ninguém gosta de lidar com especialistas o tempo todo, pessoas gostam de iguais, para saber que também têm chances e não precisa ser super-herói para conseguir sucesso, basta trabalho, métodos e processos.


3. Reciprocidade: Gere conteúdo de valor, algo que outros cobram e você dá de graça para que seu cliente entenda que você está interessado em ajudá-lo e não só vender para ele. Ele vai querer te pagar no momento que acreditar em você. E não vai te pedir descontos

4. Comunidade: Crie uma comunidade ao redor de sua história, para que ela “compartilhe” sua história e gere provas da sua história

5. Autoridade: Mostre suas habilidades, seus reconhecimentos públicos e que você é um “doutor” nos assuntos que envolvem seus produtos e serviços. É o produto deste “doutorado”, informação, que você entregará gratuitamente para seu cliente, para ele comprar seu produto e serviço e então pagar por ele.

6. Evento: Promova e faça eventos. As pessoas gostam de eventos, de ver que tem mais gente (comunidade) acreditando no mesmo que ele está em relação a você, seus produtos e serviços. Ao menos para ele achar que se está sendo “trouxa” há outros “trouxas” com ele. Nós somos assim e pronto e sem frescuras.

7. Antecipação: Para sua comunidade, para os VIPs, aqueles que lhe deram provas que conhecem sua história e querem seu produto e serviço, forneça diferenciais em relação aos demais prospects. Ofereça vantagens para ele. Antecipe uma informação exclusiva para sua comunidade, dê algo mais que você não oferece aos demais, para que os participantes de sua comunidade sintam-se priviligiados em fazer parte de.

8. Há outros gatilhos como escassês que precisa ser verdadeiro e outros itens que virão como consequencia de sua história.

Conclusão

Grave rapidamente sua história em vídeo e publique, engula as críticas, da família, os mais chegados então! Esteja preparado para ouvir, entrar num ouvido sair no outro. Mas faça! Logo! E nunca minta, de forma alguma minta, repito, seja íntegro ao extremo, verdadeiro ao extremo e sua história será fácil de virar vídeos de valor que disparará gatilhos mentais que venderão seus produtos e serviços com muita facilidade. Na verdade, os clientes é que correrão atrás de você!

E como prometi e tenho que cumprir (risos), gostaria muito que você compartilhasse este artigo com seus amigos nas suas redes sociais e o link dele nos seus contatos whatsapp.

Pense nisto e sucesso!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Roger Maia

    Roger Maia

    Mestre em Educação pela UEMG, Especialista em Sistemas de Informação pela UFMG, MBA em Gestão Empresarial pela FACED e graduado em Ciências pela FUOM, Professor universitário e de pós graduação, CEO da Vilesoft e Search Fund da Widjet Celera. É membro efetivo da SBC - Sociedade Brasileira de Computação, desde 2005 e também é membro do IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers of USA

    café com admMinimizar