Marca pessoal 3.0: entenda por que o marketing pessoal tradicional já era
Marca pessoal 3.0: entenda por que o marketing pessoal tradicional já era

Marca pessoal 3.0: entenda por que o marketing pessoal tradicional já era

Estamos na era 3.0. O mundo, as motivações, as formas de aprendizado e a própria maneira como se faz marketing são completamente diferentes de algumas décadas atrás

A era 3.0 é o momento da inovação, que carrega consigo visões, conceitos, pensamentos e atitudes completamente distintas da maneira tradicional. Toda a história do profissional, o conhecimento adquirido ao longo dos anos, as experiências vivenciadas dentro ou fora das empresas, as habilidades, a criatividade precisam oferecer um sentido real, ou seja, se tornarem uma marca pessoal única. É nisso que o marketing pessoal 3.0 se baseia: estratégias para o aprimoramento e desenvolvimento das capacidades e do autoconhecimento, que resultarão em uma marca forte e com grande potencial.

O perfil de um profissional 3.0

Esse profissional consegue se reinventar em pequenos ciclos de conhecimento, já que está sempre atualizado com as mudanças (seja na internet, nos canais de comunicação ou no modo de aprendizado) e sabe usá-las para reinventar sua carreira. Ou seja, esse profissional é diferente, conectado, antenado e domina as novas formas de comunicação. Além disso, consegue “pensar fora da caixa” quando necessário. Isso significa encontrar soluções simples para problemas que a população enfrenta diariamente, ou mesmo para um problema próprio. Além disso, o profissional 3.0 é versátil, proativo e adaptável a diferentes realidades e culturas empresariais.

O mundo é 3.0

A economia está deixando de ser baseada naquele modelo industrial tradicional. Isso afetou também o profissional, que antes crescia voltado para setores específicos, baseados mais em manter as coisas funcionando do jeito que já estavam do que em inovar.

Hoje, a geração de riqueza tem uma nova base: conhecimento e poder de inovação das pessoas. Esse mundo 3.0 foi uma alternativa encontrada para alcançar a prosperidade global e é muito mais realista do que o modelo 2.0, já que leva em consideração grandes mudanças causadas pela integração entre países e pessoas. Nele são levadas em conta as falhas de mercado, a semiglobalização e as diferenças fundamentais entre os países.

Marketing 3.0

A expressão "marketing 3.0" ganhou grande relevância após o lançamento do livro Marketing 3.0 - As Forças que Estão Definindo o Novo Marketing Centrado no Ser Humano, de Philip Kotler, sexta pessoa mais influente no mundo dos negócios, de acordo com o Wall Street Journal. O economista já prestou consultoria em grandes empresas, como IBM, Michelin, Bank of America, Merck, General Electric e Motorola. Segundo Kotler, essa geração do marketing é a união de três outras eras: da participação e do colaborativismo, do paradoxo da globalização e do marketing cultural, e da sociedade criativa e do marketing espiritual (espírito humano).

Para reduzir as distâncias culturais, administrativas, geográficas e econômicas, a palavra-chave escolhida para orientar as ações de marketing 3.0 foi “integração”. Por isso, profissionais que estão andando junto com a evolução do mercado e de como a sociedade se comporta, já descobriram que o caminho é a identificação das necessidades e desejos das partes envolvidas, seja uma empresa, um cliente ou a própria sociedade.

Em suma, o desejo genérico dos consumidores acaba sendo ver uma sociedade feliz e um ambiente que, de forma geral, se torne ideal para se viver. É baseado nessa lógica que ações, ferramentas e instrumentos do Marketing 3.0 são desenvolvidos e aplicados ao mundo atual.

Learning 3.0

O grande trunfo do learning 3.0 é o foco em compartilhar. Ou seja, o que é produzido por meio da aprendizagem não é mais determinado por especialistas, mas surge dos desafios encontrados no mundo a volta do usuário. Além disso, o processo é inclusivo e promove uma espécie de confronto com variadas perspectivas.

O diferencial do modelo é a reflexão sobre o papel da aprendizagem na vida dos seres humanos. A partir do modelo 3.0, o profissional pode aprender mais rapidamente e continuamente tudo o que precisa para ser bem sucedido como profissional do futuro.

Motivação 3.0

Até a motivação profissional mudou. Aquela motivação que previa recompensas e punições não é mais eficiente no mundo 3.0. De acordo com Daniel Pink, referência mundial em gestão e comportamento, os verdadeiros fatores motivacionais vêm de dentro das pessoas. Ou seja, é o legado que será deixado e o nível de satisfação pessoal e profissional de cada um que fará com que o profissional busque melhorar seu desempenho e resultado do que se propõe a fazer. Em outras palavras: fazer algo que acredita que importa, fazê-lo muito bem e fazê-lo objetivando algo maior.

Em resumo, a marca pessoal 3.0 vem agregada à evolução da humanidade e da tecnologia e tem o potencial de adicionar à carreira dos profissionais, valor, conhecimento e visibilidade. Em um mundo em que tudo é 3.0 é preciso reinventar-se, e a marca pessoal pode ser o início dessa mudança.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento