Lobo mau ou chapeuzinho vermelho?

E aí? Você é mesmo a vítima do lobo mau ou o vilão da sua história?

Ouvi um amigo dizer que tem uma esposa excelente, foi muito feliz no casamento, mas que ela já lhe passou tanta raiva que o amor acabou. Falei para ele pegar uma folha de papel e colocar de um lado as coisas boas do relacionamento e de outro as ruins. O lado positivo da folha ficou cheio e o outro tinha dois itens. Em seguida perguntei: você acha que o que está acontecendo de ruim a três meses é maior do que o que foi bom a vida inteira?

Como somos levianos. Falamos dos erros dos outros, apontamos, julgamos, sentimos raiva e nos julgamos corretos e vítimas das situações. Será se nada foi feito ou dito por nós para que o outro nos desagrade? Porque nos damos o direito de errar e gostaríamos que os outros fossem perfeitos?

O fato é que existe uma grande história por trás dos relacionamentos e esta deve ser valorizada. Quantos atores fazem ou fizeram parte. Quantos momentos. Enfim, existe um contexto que deve ser lembrado antes de descartar alguém da sua vida.

Nós também falhamos, ofendemos, não atendemos às expectativas e temos defeitos insuportáveis. Já parou para pensar como seria carregar a carga do seu companheiro? Como seria passar pelas mesmas dificuldades? Você aguentaria todos os dias, o pior de você? Ia conseguir se amar mesmo te magoando todos os dias?

Sim! Quando estamos magoados, oferecemos o pior de nós aos outros e queremos que ele aceite. Porque oferecer aos outros, algo que não queremos para nós?

Quantos questionamentos...! Entenda! Seja qual for a situação que nos desagrada, somos responsáveis pela sua causa e resolução. O nosso companheiro apenas pode estar do nosso lado ou não. Ele não pode fazer por nós. O perdão que precisa, é você que tem de pedir, não adianta esperar a raiva passar e não falar nada. O outro não vai esquecer e isso vai te causar um problema maior no futuro. Aliás, a crise de hoje é resultado de conflitos não resolvidos no passado.

Resolva os seus problemas, pois, eles vão atrás de você seja aonde for. Problemas velhos, são como comida, depois de um tempo não tem como jogar fora sem se encômodos para nós e para os outros. No entanto, se tratados no tempo certo, são apenas situações rotineiras.

Não alimente sua cabeça com vingança e nem queira diminuir ninguém. O que você pensa é o que você é, o mundo gira e sua vez vai chegar. Em que tem pensado ultimamente? È isso mesmo que você quer ser?

Se distribui amor, é o que receberá. Não é possível colher o que não plantou. Plante flores se deseja colher perfume. Seja ríspido e receberá resistência e antipatia. É simples, seja o que gostariam que fossem com você. Deve existir coerência entre o que você faz e o que diz para que as pessoas te respeitem e queiram colaborar com você.

E aí? Você é mesmo a vítima do lobo mau? Ou o vilão da sua história?

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento