Lista das 7 coisas que todo empreendedor deve evitar

Adoro aquele ditado – tropeçamos nas pequenas pedras, não nas grandes montanhas.

Adoro aquele ditado – tropeçamos nas pequenas pedras, não nas grandes montanhas. Um negócio ir mal, geralmente é a combinação de vários pequenos fatores que se acumulam despercebidamente, o que infelizmente é muito natural. Negócios são dinâmicos, vorazes e consomem energia, tempo e disposição como um buraco negro. Faz parte dessa loucura nos perdermos em pequenas coisas e se atentar apenas quando os sintomas ficam muito fortes.


A ideia deste Check List é ajudar você a PREVENIR, antes de ir parar na UTI vendo que a empresa está a ladeira a baixo com freios quebrados. Eu sou seu parceiro nessa, escrevo aqui situações que seguido me pego falhando e preciso ajustar, mas a parte boa é que quando me dou conta disso, sinto um reflexo imediato nos resultados dos negócios. Vamos a elas:


#1 REUNIÕES BOBAS
Possivelmente o maior tomador de tempo de um empreendedor são as reuniões inúteis. Hoje é natural as pessoas resolverem agendar reuniões por tudo e qualquer motivo e dentro dessas não resolvem o que precisam, transformando a solução em mais reuniões.
O uso eficiente do tempo e pensamento é o maior ativo do empreendedor, portanto, não participar de certas reuniões, delegar outras ações, colocar limite de tempo e diversas técnicas para qualificar faz toda a diferença na sua eficiência.

#2 DIZER SIM PARA TUDO
No início é o mais comum de acontecer, enquanto não se tem conhecimento do que é “furada” e o que são boas alternativas. Grande parte dos empreendedores ao menor fio de luz de uma possibilidade, abraçam-na.
Assim como as reuniões, muito tempo é consumido com aquilo que não é adequado ao negócio. Grandes empreendedores sabem dizer NÃO de uma forma educada para a maior parte das propostas que fogem da linha central do business

.
#3 NÃO PERMITIR QUESTIONAMENTOS
Nada pior do que certezas absolutas, elas não permitem evolução. Existem dois tipos de questionamentos, o que menos fazemos é a nós mesmos, quando perguntamos se o produto é bom mesmo, se os clientes estão certos ou se somos bons líderes... Os questionamentos lhe permitem investigar mais profundamente o que amplia a visão das possibilidades.
Outro ponto é o questionamento levantado por outras pessoas, quando reprimidos, evitam também analises importantes. Todas as pessoas devem ser incentivadas a questionar sem preocupação, na verdade com o incentivo de que estão ajudando a melhorar. Afinal mesmo que o questionamento não leve a uma melhoria ou inovação, pelo menos fortalece a crença.

#4 SÓ APAGAR INCÊNDIOS
Enlouquecer resolvendo problemas é algo que todo o empreendedor cai de tempos em tempos. É como as escapadas da dieta que volta e meia fazemos, o problema é não se dar conta rápido e parar com isso.
Uma empresa não cresce apenas com o que precisa ser feito, mas também com o que é importante a fazer. Ao ficar apenas ajustando para que as coisas funcionem, muitas vezes não existe espaço para atuar naquilo que levará ao próximo passo, e nada é pior que isso para o futuro.


#5 NÃO DAR LIBERDADE AS PESSOAS
As pessoas que estão em determinada atividade convivem com aquilo e geralmente acabam descobrindo as melhores formas de resolver as coisas, infelizmente a ambição de centralizar e achar que se tem as melhores respostas faz com que empreendedores não permitam as pessoas fazerem por elas mesmas.
Quem está imerso pode não perceber questões estratégicas importantes, mas operacionalmente tem as melhores condições de lidar com tudo. Portanto, é preciso permitir que elas tentem, errem, aprendam e evoluam.


#6 FOCAR APENAS NO NEGÓCIO
É uma gangorra muito difícil de equilibrar, as reuniões bobas e dizer “sim” a tudo com reuniões de networking importantes, que não são tão diretamente relacionadas ao negócio, mas são fundamentais para o crescimento. Muitos empreendedores fazem ao contrário desses, permanecendo extremamente abertos a tudo e se fecham em um casulo e param de frequentar reuniões para manter laços e aprender.
Ir a eventos para encontrar outros empreendedores, entidades e afins são importantes para fases que estão por vir, receber informações que podem lhe gerar grandes oportunidades. Pessoas se conectam com pessoas, portanto, é preciso estar presente as vezes.

#7 NÃO CONVERSAR COM A EQUIPE
O trabalho está feito, então tudo está ótimo é uma máxima seguida – em time que está ganhando não se mexe né?!. Muitas vezes as pessoas querem falar algo, mas não estão sentindo-se a vontade, outras vezes elas não tem parado para perceber como estão indo as coisas, todos apenas a mercê do furacão business.
O hábito de falar com as pessoas além de manter a conexão e engajamento serve para perceber sobre como as coisas estão indo, parar e refletir, afinal o padrão muda constantemente, não estar a par de como tudo está indo é perder a chance de pequenos ajustes que lá na frente refletirão muito.


OLHE DIVERSAS VEZES.
Este é um tipo de material que vale a pena retomar de tempos em tempos para verificar, certamente sempre terá alguma coisinha que está lhe escapando. Ok, como falei no início – é assim comigo também. Mas o melhor é perceber agora e colocar as coisas novamente no prumo, do que perceber só quando estiver rumo em direção ao poço.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Bruno Perin

    Bruno Perin

    Bruno Perin, um cara Free LifeStyle, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Autor do livro – A Revolução das Startups é graduado em administração de empresas pela UFSM. Integrante do grupo dos 200 maiores talentos brasileiros pelo Virtvs Group. Com experiências em palestras nacionais e internacionais, é considerado fomentador do empreendedorismo de Alto Impacto e da disseminação do conceito de Startup no país. Perin também escreve para 13 blogs e sites cujos conteúdos atingiram em 2014 cerca de 5,6 milhões de pessoas e 2015 aproximadamente 8,1 milhões, tornando-o um dos articulistas de maior presença digital no país.

    café com admMinimizar