LinkedIn: muito mais do que uma rede social de vagas de emprego

O Brasil é o terceiro maior país em número de usuários no LinkedIn, rede que quando bem utilizada gera excelentes oportunidades de negócios e parcerias tanto para empresas, como para pessoas

O Brasil é o terceiro maior país em número de usuários no LinkedIn, são 21 milhões de pessoas cadastradas na rede – no mundo, são 350 milhões. A plataforma, além de permitir um cadastro completo do perfil que inclui foto, informações acadêmicas e profissionais, permite a inclusão de causas que apoia, trabalhos voluntários, prêmios ganhos, certificações conquistadas, projetos, vídeos e links, reconhecimento de competências e depoimentos de recomendação é a mais poderosa rede de negócios mundial.

Contudo, além do cadastro do perfil, a rede é um excelente canal para compartilhamento e obtenção de conteúdo especializado (com a chegada da funcionalidade Pulse no Brasil, isto tende a aumentar), teste de melhores instituições educacionais para o próximo curso, manter aquecido o relacionamento com sua rede de contatos, se candidatar a vagas de emprego, participar de grupos de discussão sobre temas de seu interesse, isto é, vai muito além do que uma simples plataforma de currículo on-line.

As empresas podem criar uma página personalizada, uma Company Page e utilizar a plataforma também de diferentes formas que vão além do anúncio de vagas. Por meio da página, é possível divulgar as ações corporativas mais relevantes, promover produtos e serviços, transmitir sua cultura organizacional, fazer negócios, acessar soluções de vendas com produtos como o LinkedIn Lead Accelerator (LLA), promover anúncios, buscar talentos, entre outras tantas funcionalidades.

Fato é que o LinkedIn é uma plataforma que permite a troca de conhecimentos de caráter corporativo, diferenciando-se, por isso, das demais redes sociais. Engana-se o profissional que não acessa com frequência a rede, pois está satisfeito com o atual trabalho ou que não está procurando emprego, afinal com o canal é possível divulgar com mais profissionalismo as habilidades e projetos organizacionais em que está envolvido, ampliar os negócios, inclusive construir uma marca pessoal e fortalecer sua imagem e reputação corporativas. Podem-se surgir novas oportunidades como ministrar palestras, escrever para algum canal, lecionar aulas, participar de projetos paralelos, ações que contribuem para que o plano B que todo profissional deve ter siga em paralelo com a mesma prosperidade que o plano A.

Para as corporações, trata-se de uma rede riquíssima para as áreas de vendas, pós-venda, marketing e comunicação, indo muito além do departamento de Recursos Humanos. Algumas instituições que proíbem o uso da rede durante o horário de trabalho poderiam rever suas diretrizes e normas para alavancarem ainda mais negócios.

Enfim, o LinkedIn quando bem utilizado gera excelentes oportunidades de negócios e parcerias tanto para empresas, como para pessoas. Seja qual for o perfil que você administra na rede, escolha com critério que profissionais e empresas com quem vai se relacionar, que tipo de conteúdo irá gerar, gostar e compartilhar. Afinal, o comportamento na rede social diz muito sobre a marca (seja ela pessoal ou de uma empresa).

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento