Liderança: o que isso significa frente à organização?

“Liderar pode ser definido como a arte de comandar pessoas, atraindo seguidores e influenciando de forma positiva mentalidades e comportamentos, conseguindo que suas ações sejam atendidas por essas pessoas”

A palavra liderança tem um significado muito amplo, e infelizmente algumas pessoas confundem o comandar com o mandar. Ora, aparentemente, ambas as palavras se confundem na grafia, mas seus significados e posicionamentos são totalmente adversos.

Comandar significa orientar sua equipe, chefiar, representar a posição de liderança frente a efetuação de um procedimento por isso comandar não é algo que qualquer pessoa possa fazer, pois exige uma distinção muito profunda sobre o senso de se ter liderança e como se a administra.

Já mandar é algo que qualquer pessoa faz, a gente manda os filhos fazerem o dever, manda o cachorro ir para fora, manda o time de futebol jogar direito etc. Mandar simplesmente se constitui em expressar uma ordem, você diz e a pessoa tem que fazer. Mas no dia-a-dia da vida mandar nem sempre fornece bons resultados, como educadora e mãe tenho pleno conhecimento disso já que muitas vezes mando minha filha fazer algo útil como ler ou praticar um esporte em vez de ficar enfiada no acesso as redes sociais, e na maior parte do tempo ela ouve, mas simplesmente ignora. Por isso mandar é algo simples de se fazer, o desafio está em convencer pessoa a tomar à medida que você apresentou como certa.

Agora se em casa na vivência doméstica o mandar já é uma jogada tola, imagine isso dentro de uma organização. E sabendo disso porque tantos profissionais preferem vestir a capa de chefe em vez da de líder. O que os guia nesse caminho, e mais como mudar essa postura dentro de uma organização?

Uma organização é feita por um conjunto de inúmeros departamentos que atuam de forma integrada, onde em cada setor temos várias pessoas atuando em um mesmo ponto, normalmente o gerente de cada departamento tem a responsabilidade de comandar essas pessoas a fim de o processo de suas ações culminem no bom resultado para a empresa. Até aí tudo bem não tem nada de estranho, ora esse é o propósito de toda organização alcançar seus resultados. Mas esquecemos que procedimentos são executados por pessoas e que pessoas não são máquinas programáveis que você digita um comando e pronto o outro está lá fazendo o que você solicitou, dessa forma um gestor não pode ignorar essa primeira premissa sobre sua ação de comandar.

A segunda premissa se atenta justamente na diversidade, cada ser humano é uma peça única, um ser diferente e por mais que muitas pessoas possuam características semelhante notoriamente elas não são iguais. Portanto só aí já vemos um grande desafio, uma vez que cada pessoa dentro da organização é uma peça única como conseguir conciliar as diferenças de pensar, de agir, de falar, de tomar decisões frente a administração junto a organização?

Nessa base o gestor tem diante de si algo crítico, porque nem sempre o modo como se falar com um vai ser recebido da mesma medida pelo outro, se você tem uma equipe formada por 30 pessoas dentro do seu departamento como conseguir que essas trinta pessoas atuem na mesma linha e sigam o mesmo contexto?

É nessa linha tênue que vem o que chamamos de arte de liderar , um líder é alguém conhecedor de procedimentos, de sua capacidade e principalmente ele é um grande observador , pois para atuar frente a uma equipe ele tem que conhecer seus colaboradores, e quando se diz conhecer estamos falando muito aquém das características profissionais , o líder deve conhecer as pessoas , o que elas são, quem são , como veem a organização , como atuam, quais seus pontos fortes , seus pontos fracos e então ele poderá traçar as estratégias em equipe, onde o conhecer a si mesmo também implica-se como um premissa para o seu líder. Nem todo mundo está preparado para comandar e saber reconhecer isso na caminhada do processo faz toda diferença, pois as vezes dentro de uma organização somos alocados a um setor que é fora do nosso cotidiano, e temos que atuar no mesmo padrão, ou seja, dar resultados. Mas como exercer o papel de líder quando você é aquele que tem que aprender, como conseguir que a equipe confie em você e siga seu comando?

Essa também é uma premissa a se considerar, mas as respostas a essas questões não se constituem de modo algum em estudos complexos, questões mirabolantes, desafios invencíveis, a não pelo contrário. A resposta é simples começa-se por um passo chamado humildade, se eu não sei admito e procuro aprender, valorizo o papel de quem sabe ao meu lado, e demonstro isso a minha equipe, procuro alinhar aquilo que eu estou trazendo de bom e absorvo o que a equipe possui e o que podem melhorar minha gestão.

Um bom líder tem como principal ferramenta de trabalho o saber ouvir, o avaliar, ele está sempre presente junto a sua equipe. Outro ponto que responde a essa questão chama-se trabalho, se eu cobro eu tenho que ser exemplo, não posso cobrar o que não faço, portanto um líder muitas vezes trabalha mais que sua equipe, ele está ali sempre atuante, se precisa ficar até mais tarde para se atingir a meta ele fica, se precisar trabalhar final de semana ele atua, isso faz com que a equipe o respeite e esse ponto responde o ponto principal de qualquer relação humana , como vou acatar a alguém cujos valores e princípios eu não respeito. Por isso um líder tem que demonstrar valor aos seus colaboradores, tem que mostrar serviço e tem que ser digno de seu respeito.

Como gestor de um departamento o profissional sabe que mais do que mandar é preciso ser alguém, ser aquele que é respeitado e por isso não preciso gritar com ninguém para ter suas solicitações atendidas para pedir, e aquele que recebe a ordem o faz porque te respeita e principalmente porque acredita nessa medida e valoriza o seu trabalho assim como você valoriza o dele.

Assim uma organização que valoriza as pessoas que compõem seu quadro de funcionários sempre será bem-sucedida, porque os procedimentos são feitos por pessoas e estas merecem ser levadas em consideração, merecem ser valorizadas e incentivadas a crescer cada vez mais, uma vez que dentro de uma organização o Capital Intelectual é hoje o maior recurso que uma empresa possui e se este é bem administrado o sucesso é algo continuo dentro das organizações.

Analisando tudo isso porque tantas empresas ainda não conseguem focar sua gestão dentro do senso do ser liderança, esse sempre será um tema delicado junto a gestão das organizações , mas cabe a cada profissional consciente desta premissa , atuar junto a empresa a fim de colocar o liderar como o processo da diferença e mostrar aos demais que ser líder é muito mais que expedir ordens ao longo do dia, ser líder é atuar lado a lado de sua equipe, e fazer deles uma parte de sua família , é respeitar o direito do outo em não concordar com você e dar ao outro o exemplo do trabalho, ou seja, o de pedir aquilo que você faz como líder , defender sua equipe como garra, pois você valoriza o trabalho de cada um, é ter imparcialidade e saber separar as questões pessoais do profissionais , afinal de contas todo o trabalho é feito para o bem da organização e uma vez que isso não ocorra todos serão prejudicados.

Admitir que não se sabe tudo, que estamos sempre a apreender e que podemos trocar conhecimento enriquece nosso dia-a-dia nos tornando pessoas melhores, profissionais melhores, isso é o que faz a diferença entre o mandar e o comandar uma equipe frente a uma organização, são essas medidas que a movem rumo ao sucesso.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento