Liderança não se aprende na escola

No meu primeiro emprego, o patrão me chamou e disse: “Aqui você tem que funcionar como um soldado, toda vez que eu te der uma tarefa entenda que isso é uma missão, ou seja, missão dada é missão cumprida!”. Eu, claro. Disse que havia entendido, mas em seguida ele disse: “Quando eu der uma missão, vai e só volta quando tiver cumprido a missão!” Deu uma breve pausa, olhou-me bem nos meus olhos e disse: “Se não conseguir cumprir, morra, mas não volte sem ter cumprido a missão...”.

No meu primeiro emprego, o patrão me chamou e disse: “Aqui você tem que funcionar como um soldado, toda vez que eu te der uma tarefa entenda que isso é uma missão, ou seja, missão dada é missão cumprida!”.

Eu, claro. Disse que havia entendido, mas em seguida ele disse: “Quando eu der uma missão, vai e só volta quando tiver cumprido a missão!” Deu uma breve pausa, olhou-me bem nos meus olhos e disse: “Se não conseguir cumprir, morra, mas não volte sem ter cumprido a missão...”.

De lá para cá, são quase vinte anos de experiência. Já tive todo tipo de líder que você possa imaginar, e o fato deu estar escrevendo hoje sobre esse assunto é justamente para levantar a questão da formação de uma liderança.

“O mito da liderança mais perigoso é que os líderes nascem assim – que existe um fator genético para a liderança. Isso é um absurdo; na verdade, a verdade é o oposto. Os líderes são feitos, em vez de nascidos” – Warren Bennis.

Já tive todo tipo de líder: “profeta”, “burocrata”, “pit-bull”, “troglodita”, “imaturo”, “inseguro”, “terrorista” e etc. Bom, e se você já ouviu a máxima de que: “para aprender a liderar é preciso aprender a ser liderado.” Deve estar se perguntando, então você aprendeu todas as formas de como ser um líder abusivo, não é mesmo? Mas não.

Foram justamente essas experiências que me ajudaram construir o modelo e conceito de liderança que hoje eu defendo. Falarei dele mais à frente, mas agora eu quero me juntar a você para algumas considerações.

Você já teve um líder manipulador?

Todo líder precisa saber a diferença entre influenciar e manipular. Muitos líderes manipulam seus colaboradores e, às vezes, usam de agressões verbais, ameaças e intimidações para conseguirem o que se quer. Tudo em nome de “metas”, mas que no fundo só revelam o que eles como seres humanos são de verdade. O líder deve influenciar seus funcionários a buscarem aquilo que é bom para a empresa, mas sem obrigá-los ou forçá-los a isso. E digo mais, isso deve estar alinhado aos valores humanos que cada colaborador traz consigo.

Você teve um líder famoso?

Ao contrário do que se pensa, ser carismático não é necessariamente ser viril, sexy ou famoso. Pessoas carismáticas podem ser extremamente debilitadas, porém, sempre mostram uma atitude de mudar o foco negativo de sua deficiência para atributos positivos de conquista pessoal. Ao mostrar qualidades de persistência, coragem e resistência, pessoas frágeis se conectam com milhares de pessoas comuns e este elo é a chave do carisma.

Você já teve um líder que não te conhece?

“Muitas empresas acreditam que pessoas podem ser trocadas entre si. Pessoas realmente talentosas nunca são. Elas têm habilidades únicas. Pessoas assim não podem ser forçadas em posições na quais não se encaixam, e nem deveriam. Líderes eficientes permitem grandes pessoas fazerem o trabalho para o qual nasceram para fazer.” – Warren G. Bennis.

Você á teve um líder desequilibrado?

“O desafio da liderança é ser forte, mas não rude; ser gentil, mas não fraco; ser ousado, mas não intimidar; ser atencioso, mas não preguiçoso; ser humilde, mas não tímido; ser orgulhoso, mas não arrogante; ter humor, mas sem loucura” – Jim Rohn.

No fundo liderança tem haver com os valores que você possui e transmite e, o que você atrai com isso. Dessa forma, vamos tirar da nossa lista grandes líderes como: Hitler, Mao Tsé, Joseph Stalin e etc. Não podemos negar, eles realmente foram grandes líderes, mas o que construíram? O que mobilizaram? Que tipos de movimento criaram?

Do lado oposto temos independentemente das visões religiosas, políticas ou culturais grandes líderes, como: Jesus Cristo, Mahatma Ghandi, Buda, Madre Tersa de Calcutá, Martin Luther King, Abraham Lincoln e etc. Nem preciso perguntar. Perceba a diferença do efeito produzido pela ação desses dois grupos de liderança isolados, um destruiu vidas em quanto o outro grupo criou filosofias que inspiram nossas vidas até os dias atuais.

Lembre-se da história que eu contei lá no início e os tipos de “líderes” que já conheci? Então, na verdade, com o tempo você entende que eles podem ser gestores, patões, coordenadores, chefes e etc., mas isso não quer dizer que sejam líderes.

“Torne-se o tipo de líder que as pessoas seguem voluntariamente, mesmo se você não tiver título ou posição” – Brian Tracy.

Quando trabalhamos em uma empresa que compartilha conosco valores relacionados, ficamos engajados – e vice-versa. Ao entender quais são seus valores, você está mais bem preparado para entender sua compatibilidade com diversas oportunidades profissionais.

“Um líder leva pessoas para onde elas querem ir. Um grande líder leva pessoas aos lugares em que elas não necessariamente querem ir, mas deveriam ir.” – Rosalynn Carter, ex-primeira-dama americana.

Nossos primeiros líderes são nossos pais, avós ou até mesmo aquele tio excêntrico da família, depois nossos professores, religiosos e até nossos amigos. Aprendemos sem querer, influenciados pelo mundo ao nosso redor o que julgamos certo e errado, formamos nosso caráter e passamos a defender nossa visão de mundo.

E você? Qual a sua visão de liderança?

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Flávio Leônidas

    Flávio Leônidas

    Coach e Master Practitioner em Programação Neuro Linguistica.

    café com admMinimizar