Liderança em contexto: Martin Luther King Jr.

Esta artigo trata-se da contextualização da liderança, através de uma breve análise da ingluência de Martin Luther King Jr. para a conquista de direitos iguais na sociedade americana. Encontra-se aqui a figura do líder democrático que busca de forma participativa o cumprimento de objetivos favoráveis à ao grupo e às organizações

1 - Martin Luther King - Biografia

Martin Luther King Jr, nascido em Atlanta no ano de 1929, foi um ministro Batista e um ativista social que desempenhou um papel chave no movimento dos direitos civis americanos de 1950 até seu assassinato em 1968. Inspirado em Mahatma Ganhi procurou igualdade para os americanos, para os desfavorecidos economicamente e para as vítimas de injustiça. King liderou ações em prol da igualdade social na qual uma delas fez seu discurso “I have a dream”. Influenciou fortemente leis marco de igualdade social como a Lei dos Direitos Civis e a Lei do Direito ao Voto. Em 14 de outubro de 1964 recebeu o Premio Nobel da Paz pelo combate à desigualdade racial através da não violência. Foi assassinado em 1968.

2- Liderança

Segundo Hampton (1990) a liderança trata-se de um processo interpessoal de influenciar grupos ou subordinados ao cumprimento de objetivos, sejam eles organizacionais ou sociais. Maxwel (2002) afirma ainda que o líder verdadeiro sente um impulso interno para assumir suas atividades e o senso de responsabilidade. Para nosso estudo de liderança é de primordial importância ressaltar o que diz Nanus (2000) quando afirma que aquele que exerce liderança precisa ter ou desenvolver a habilidade de inspirar as pessoas traduzindo os objetivos da organização e conciliando os mesmos com os objetivos individuais.

3- Estilo de Liderança

Considera-se que Martin Luther King, destacou-se como líder, a princípio como uma herança, uma vez que o mesmo cresceu num contexto religioso de liderança, filho de pastor, com fortes características de influenciador evidenciando assim as características do líder descritas por Chiavenato (1999) ao afirmar que o líder exerce influencia pessoal e dirigida à processos de cumprimentos de objetivos comuns. Líder religioso Martin Luther King carregou consigo características humanas que favoreceram a busca pelos diretos sociais, tendo condições de busca de diretos iguais para todos os membros da sociedade, características que pode-se defini-lo como líder democrático, que segundo Smith e Timby (2005) trata-se do líder que assume uma característica de apoio sugerindo objetivos de forma democrática conciliando objetivos comuns.

Tendo sido um dos mais importantes líderes ativistas do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos, King liderou campanhas contrárias à violência e combatendo fortemente a discriminação racial. King teve condições de observar as necessidades do grupo, ouvir, aceitar críticas, tomar decisões em conjunto e sempre encorajando seus seguidores de acordo com o cumprimento dos objetivos comuns do povo afro-americano na luta em prol de direitos iguais, características da conduta do líder democrático identificadas por Chiavenato (1999). King não centralizava suas decisões e nem impedia relacionamento interpessoal com autocracia, porém conduziu seu grupo de forma participativa e democrática sempre motivando grandes multidões e se preocupando com a compreensão dos mesmos.

Haggai (1990) afirma que para o líder alcançar os resultados traçados com eficácia é essencial que o mesmo desenvolva habilidades de comunicação, habilidade esta que não se trata apenas da repetição de palavras, mas acima de tudo da forma pela qual o mesmo unifica e dirige o grupo. Neste sentido Martin Luther King defendeu ações de mudança social não violenta, desenvolvendo seu ponto forte de comunicação pela habilidade com oratória e valentia na comunicação que atraiu a atenção de seguidores e do governo. Reforça esta teoria o boicote contra a discriminação racial liderado por ele pressionando o governo, uma vez que as companhias de transporte exigiam que os negros cedessem lugares aos brancos. Como consequência deste atoo tribunal decretou esta exigência como uma lei inconstitucional.

A partir de manifestações com estas características em 1964 nasceu à lei dos Direito Civis e em 1965 a lei dos Direitos de Voto.

5- Conclusão

Considerando características do líder como aquele que exerce influência especial e não forçada através da relação de confiança com seus seguidores, afirmada por Haggai (1990), considera-se a liderança autêntica de Martin Luther King pela percepção de necessidade de direitos iguais para toda a sociedade americana. A influência de King pela causa da igualdade formou seguidores na busca de seus objetivos e como consequência desta influência a conquista da lei dos Direitos Civis e do Direito ao Voto. Assim concluímos com Chiavenato (1999), afirmando que o líder é um influenciador interpessoal em determinadas circunstâncias onde através de um processo de comunicação efetiva os objetivos comuns são alcançados.

5- Referências

BENNIS, Warren, NANUS, Burt. Líderes: estratégias para assumir a verdadeira liderança. São Paulo: Harbra, 1988.

CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

HAGGAI, Jonh. Seja um líder de verdade. Belo Horizonte: Betânia, 1990.

HAMPSON, David R. Administração Contemporânea. 23a ed. São Paulo: Makron Books, 1992.

MAXWELL, John C. Seja o Líder Que Todos Querem Ter. 1a ed. São Paulo: Sepal, 2002.

SMITH, Nancy E.; TIMBY, Bárbara K.Enfermagem Médico-Cirúrgica. São Paulo: Manole, 2005.

ExibirMinimizar
aci baixe o app