Líder: Andrew Carnegie

Esse texto faz parte de uma coletânea sobre grandes líderes, iniciada por esse texto, e que contará com dois artigos por semana, às terças e sextas

Andrew Carnegie - Carnegie Steel Corporation

Andrew Carnegie foi um industrial e filantropo. Nascido na Escócia em 1835, mudou-se para os Estados Unidos aos 13 anos e trabalhou no ramo das ferrovias e posteriormente com aço.

Em 1889, Carnegie oficialmente detinha a Carnegie Steel Corporation e em 1901 vendeu seus negócios para a J.P Morgan. A partir desse momento, a dedicação de Carnegie passou para a filantropia.

Quando criança, Carnegie trabalhou para Thomas Scott, um dos maiores concorrentes de Vanderbilt, como assistente pessoal. Thomas Scott gostou de Carnegie e o ensinou boa parte de seus conhecimentos de ferrovias. Em 1865, Carnegie saiu do ramo de ferrovias e aprofundou-se no ramo do aço – anos mais tarde tem-se a Carnegie Steel Corporation, hoje US Steel.

Carnegie era parceiro de negócios de Thomas Scott, que porventura, era inimigo de Rockefeller por tentar influenciar seus negócios. Sendo assim, Rockefeller destruiu a companhia de Scott e ganhou um inimigo a altura – Carnegie.

Quando o seu mentor morreu, Thomas Scott, Carnegie definitivamente queria destruir Rockefeller. Como fazer isso? Ficando mais rico que Rockefeller. Quando a ponte de aço de Carnegie ficou pronta ele notou que o futuro era o aço, assim ele expandiu seus negócios nesse ramo, aparentemente da mesma forma que Rockefeller comprando usinas e as atualizando. Carnegie tinha a compulsão pelo conhecimento, queria aprender como fazer aço, qual era a melhor forma de transporte, como diminuir custos e etc...

Após diversos estudos, Carnegie possuía a maior rede de usinas de aço do mundo, porém não tinha eficiência nas operações. Logo, precisava de alguém para colocar ordem, pelo menos, no administrativo da companhia. Carnegie contrata Henry Clay Frick, outro industrial conhecido pelos seus métodos não ortodoxos na administração de suas companhias, somente para uma breve explanação – Frick foi considerado por uma revista dos EUA como o “pior CEO de todos os tempos”. Carnegie foi conivente com algumas das ações de Frick, como no caso da represa que matou, ao romper-se, mais de duas mil pessoas e com o caso de greve de Homestead, uma das usinas de aço de Carnegie. Essa usina, por exemplo, os funcionários trabalhavam seis dias por semana por doze horas ao dia.

Depois de diversos problemas, Carnegie retornou aos EUA, sim – ele saiu enquanto Frick trabalhava, após uma temporada na Europa retornou e demitiu Frick.

Após anos e anos, depois de diversas brigas com Rockefeller, Carnegie resolve se afastar e vender sua companhia, a venda foi realizada para nada menos que J.P Morgan, dono da United States Steel Corporation – US Steel.

Na área da filantropia doou, aproximadamente, cinco milhões de dólares para a Biblioteca Pública de Nova Iorque, com suas doações mais de duas mil e oitocentas bibliotecas receberam apoio dentre outras instituições de ensino como a Carnegie Mellon University.

Andrew Carnegie faleceu em 1919, reconhecido como pai do aço e um dos maiores filantropos do mundo além de ser um dos homens mais ricos do mundo entre os séculos XIX e XX.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento