Lições do Mundo da Música

Quantas vezes dentro do mundo corporativo, nos esquecemos dos bastidores. Mas assim como nos eventos musicais, se as inúmeras pessoas, que executam inúmeras pequenas tarefas isoladas, fossem abandonadas por um só profissional, por menor que fosse a sua tarefa, o espetáculo não estaria completo.

Recentemente tivemos no Brasil o grande evento de música do país, o Rock in Rio, e este mês, na cidade de Paulina/SP, acontece outro grande evento, o SWU.

Independente do tipo musical que cada um prefere, eventos nesse porte podem nos dar inúmeras lições sobre o mundo corporativo.

Primeiramente, temos os anônimos, que embora não sejam eles que estejam em cima dos palcos, não sejam eles que estão sendo procurados pelos participantes desses eventos, eles são a grande maioria de profissionais desse acontecimento, e sem eles, nada disso seria possível.

Quantas vezes dentro do mundo corporativo, nos esquecemos dos bastidores, da importância das outras pessoas, não valorizamos o companheiro de trabalho por imaginar que o trabalho dele não é fundamental para a empresa. Mas assim como nos eventos musicais, se as inúmeras pessoas, que executam inúmeras pequenas tarefas isoladas, fossem abandonadas por um só profissional, por menor que fosse a sua tarefa, o espetáculo não estaria completo.

De um outro lado, podemos olhar os artistas, aqueles que sobem aos palcos, que são a "atividade fim" dos festivais de música. E deles podemos extrair inúmeras outras lições.

Uma delas é quando conhecemos a história de muitos deles, que "ontem" estavam no meio da multidão, admirando quem subia ao palco, e no intervalos entre um festival e outro, se esforçavam para aprimorar suas técnicas musicais, e de repente, se encontram ali em cima. Agora as estrelas são eles.

E dentre os poucos que têm a honra de serem convidados a protagonizar esses grandiosos eventos, temos ainda, 2 tipos de profissionais:

- os de talento nato: São as pessoas daqueles palcos que nunca estiveram em uma escola de música, que simplesmente um dia tiveram acesso a um instrumento, a um microfone e perceberam que havia uma sintonia entre eles e a música. São aquelas pessoas que com pouco tempo de observação, qualquer um percebe que ela nasceu para aquilo que faz.

- os de talento desenvolvido: São aquelas pessoas, que a sintonia entre eles e o instrumento não era tão boa assim, que muitas vezes foram desacreditados por outros, instruídos a procurarem outro ofício. Mesmo assim não desistiram, estudaram, se dedicaram, insistiram, levaram muitos "nãos", tiveram muitas portas fechando em sua frente. Mas as dificuldades só os tornou mais fortes, e a persistência os fez chegar lá.

Diante de todos esses tipos de profissionais, há uma unanimidade: Todos eles, chegaram onde estão, tiveram a oportunidade de se sentirem parte desses grandiosos eventos, seja nos trabalhos de bastidores ou em cima dos palcos por uma atitude em comum: determinação.

Eles encontraram seus talentos, o que queriam para suas vidas, o trabalho que lhes traria satisfação, pois se sentiriam empregando seus dons. Se formaram, se dedicaram, lutaram por seu espaço, suas oportunidades e conseguiram.

Já diz o ditado: Encontre um trabalho que você goste e não trabalhará nem mais um só dia em sua vida.

Qual é o seu talento? Onde você quer chegar? Qual palco você quer subir? O que tem feito por isso?

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento