Legal, quero empreender! Mas por onde começar?

Todo mundo tem mil idéias e um grande paradigma para quase todos empreendedores ou aspirantes é como por idéias que estão na cabeça em prática e por onde começar. Este artigo fala deste dilema que é comum à todos e que a solução está muito mais em nós mesmos, antes de qualquer coisa. Partimos da premissa que qualquer projeto tem um percentual de chance de falhar e para mitigarmos este risco, temos que trabalhar nosso autoconhecimento pois a primeira batalha está dentro de nós

Costumo brincar que sempre começo meus projetos e ações pelo início e por mais paradoxal que esta afirmação possa parecer, o que eu quero dizer com isso é que todo o projeto tem que começar por algum ponto

“O importante é começar”


Novamente, parece óbvia minha afirmação, mas eu mesmo vejo que muitas vezes acabo procrastinando ações para realizações concretas, seja de projetos ou de mudanças em minha vida, pela busca infindável de informações ou condições ideais para que eu tome determinada ação. Condicionar uma ação à uma condição ideal de fatos ou situações são armadilhas mentais que devemos estar atentos para não cair nelas.

Diria mais, que muita gente vive adiando sua felicidade em função exatamente deste busca de uma condição perfeita e que sabemos, dificilmente existirá. Quando eu conseguir ganhar na loteria eu serei feliz, quando eu conseguir aquele emprego que sonho serei a pessoa mais feliz e isso é um grande erro. Seja feliz com o que você tem hoje, mesmo sendo uma felicidade relativa. Para que você alcance uma condição diferente da que você tem hoje e seja mais feliz ainda, você deve esta aberto para isso e para estar aberto, você deve estar feliz consigo mesmo. Saber das suas limitações e restrições e ter consigo que se você não tem a condição que você gostaria no momento, você pode mudar esta realidade.

Mas voltando ao foco, vejo que muitas vezes adiamos nossas ações para realizar nossos projetos por medo. Medo de fracassarmos e novamente incorremos em um erro, pois a primeira premissa que todos nós devemos ter conosco é que todo o projeto é falho e, por ser falho nós temos grande chance errar. É através da tentativa e erro é que vamos aprimorá-lo, ao ponto de chegar ao sucesso. Nada começa cem por cento e isso é da vida.

Fracasso é não tentar. Melhor o feito que o perfeito


Portanto, saia desta inércia e comece com um método que eu aconselho à todos. Estabeleça uma objetivo e divida este objetivo maior em metas menores, em pequenos passos, inciando com aquilo que está em seu alcance hoje, procurando não superestimar esta meta e também não subestimar para que você não fique correndo atrás de algo impossível ou fique preguiçoso estipulando desafios muito pequenos.

Mas como vou saber se minha meta esta superestimada ou subestimada?

Definindo um ciclo de aferição que lhe mostre seu progresso e avaliando isso com relação ao seu atingimento. Se você estabelece que vai fazer 1 milhão de reais em 1 ano e você não tem nada, não tem um negócio ou emprego que aponte um rendimento considerável durante todos os meses deste ano, isso por si só já lhe indica que você está superestimando e isso é uma insensatez até. Ah, mas eu tenho um negócio que me rende tantos mil reais e descontado todos os meus custos operacionais eu atinjo uma receita líquida de cinquenta mil reais ao mês. Bom, ai já é mais realista dizer que você pode trabalhar com esta meta. Ah, mas mesmo assim eu vou imputar uma meta de atingir seiscentos mil reais este ano, porque o cenário é de crise e tal… Pô, se você já tem uma realidade que aponta para quase isso ao ano, isso não é nada desafiador, muito pelo contrário, isso é desanimador. Enfim, o que eu quero dizer é que primeiro, você deve fazer uma análise da sua conjuntura de vida, da sua história, das suas competências para que mediante isso, você estabeleça metas realistas.

Por isso, insisto muito com o fato que para tomarmos ações concretas para desenvolver um projeto ou uma mudança de vida, precisamos trabalhar o nosso autoconhecimento, pois conhecer a nós mesmos, define muitas questões que qualquer projeto acaba demandando, seja ele um projeto de negócio ou de vida.

O início, mesmo que não saibamos disso, começa em nós mesmos, seja com um descontentamento ou com uma projeção, nós começamos mentalmente nossas buscas e precisamos ter a consciência de que projetos que ficam em eterno planejamento não são projetos, são sonhos e viver de sonhos infelizmente não é possível.

Parta para a ação, levando em consideração também que isso deve ser uma coisa exequível, ao alcance. Por isso a divisão de um objetivo por partes menores para que você consiga atingir o resultado final. Como já diz o provérbio de Sun Tsu:

“Uma jornada de mil milhas de distância, começa pelo primeiro passo.”

Dê o primeiro passo, porém, mesmo que o primeiro passo seja elaboração de um planejamento, não fique indefinidamente no planejamento, para que o mesmo não vire um sonho.

Capiche?

Se você gostou deste post, deixe seu comentário, dúvida ou questionamento. Terei imenso prazer em conversar sobre.

Post, originalmente publicado no blog Plataforma Empreendedor.

ExibirMinimizar
aci baixe o app