Jornada da multimulher

Multiplique-se, organize a vida em casa e viva sem limites.

Nunca vou me esquecer de uma frase sobre os cinco turnos da mulher. Ouvi faz tempo, se não me engano, da nossa monumental Fernanda Montenegro. Jornada dupla? Puro eufemismo. A jornada é quíntupla: mãe, esposa, profissional, dona de casa e ainda tem que ser... pessoa, isto é, alguém que, além das funções que exerce, cuida de si, pensa em si.

É certo que nem todas as mulheres exercem todas essas funções, e, nos dias de hoje, com as variadas configurações familiares, a jornada quíntupla pode não ser exclusividade feminina. Mas não é difícil encontrar pessoas que são ainda mais múltiplas! Eu conheço, e conto já, já.

Costumo dizer que, para exercer tantas atividades, é preciso pensar em se multiplicar, jamais em se dividir. Muitas mulheres que comandam casa e família tentam se dividir entre essas funções, é normal cair nesse erro, mas isso não funciona! Digo por experiência própria. Só alcançamos todos os objetivos trocando os sinais: é preciso se multiplicar, porque queremos ser 100% em cada uma delas, e não uma “mãe 1/5 amada”, ou uma “profissional 20% competente”.

Para isso, é preciso estruturar uma “jornada da multimulher”, que é o modo inteligente de administrar as tarefas domésticas com método, organização e planejamento, visando a uma vida de qualidade e sucesso, e com tempo livre para ser feliz. E isso inclui até estabelecer o que é ser 100%. E – posso garantir – a satisfação de cumprir toda a jornada, com a qualidade que estabelecemos, é imensa. Porque, obviamente, todas essas funções são escolhas e não faz nenhum sentido vivê-las, se for para sofrer.

Criei a “Jornada da MultiMulher” e não abro mão dela. O planejamento inclui todas as áreas da vida doméstica: da elaboração dos cardápios à lista de compras, do cronograma de tarefas às planilhas de orçamento. Parece que dá mais trabalho, mas alivia muito o tempo, e é altamente compensador. Porque – veja só – a jornada da multimulher ajuda a resolver os principais aspectos da vida:

Relacionamentos: equilibra e harmoniza os relacionamentos, seja entre pais e filhos; marido e mulher; companheiros em geral, incluindo amigos que dividem o apartamento; patrões e empregados. Simplesmente porque cada um sabendo o que tem que fazer, não tem jogo de empurra e nem sobrecarga para um ou outro.

Economia e finanças: evita o desperdício e permite que você economize, sobrando dinheiro para investimentos.

Saúde e beleza: proporciona otimização do tempo, sobrando tempo livre pra cuidar de si, física e espiritualmente.

Mas percebi que montar uma jornada como esta podia não ser tão óbvio para todas as pessoas. Preciso confessar: sou virginiana, dos pés à cabeça! Meus amigos atribuem a isso a facilidade que tenho. Sempre fui organizada e me “multiplico” com tranquilidade. Segredinho: quando era pequena, era fã do desenho animado “Os Impossíveis”, e meu personagem favorito era... o MultiHomem. Devia ser um sinal. Ou uma sina... Mas vamos combinar que multi mesmo somos nós, mulheres. Já está na hora de surgir a MultiMulher, personificação das heroínas em ação todos os dias: "As Possíveis"!

Quando uma amiga muito querida e muito próxima me pediu ajuda, tive que formalizar o que eu já fazia “naturalmente” e montar toda a estrutura da jornada da multimulher para ela, que tinha acabado de se separar, com uma nova vida para reconstruir, com filhos, casa, carro (sim, este também tem suas demandas e precisa ser computado), empregada e ela mesma para cuidar.

Ela nunca foi lá muito metódica – costumava, por exemplo, fazer a lista de compras antes de elaborar os cardápios, e acabava tendo que ir várias vezes ao mercado, porque sempre faltava alguma coisa (e ela não está sozinha em práticas como esta!). Não era ela que comandava a casa; a casa é que arrastava essa minha amiga, que fazia tudo sempre de modo totalmente atabalhoado. Mas naquele momento estava especialmente aflita, sofrendo horrores, porque separação já não é exatamente “suave”, mesmo sem tudo isso para administrar.

Citei para ela a frase da Fernanda Montenegro (mesmo que não seja da querida atriz, poderia ser, porque ela é um exemplo vivo da jornada múltipla). Minha amiga, mesmo com toda a sua dor, riu, porque, além de mãe, ex-esposa (o que algumas vezes pode ser mais trabalhoso que ser esposa – e era o caso dela), profissional, dona de casa, ainda era filha de pais idosos, que vinham demandando muita atenção, e... síndica! Só rindo mesmo, para relaxar e poder recomeçar a vida. E ela recomeçou. Mesmo não sendo “naturalmente organizada”, ou uma administradora formada, a Jornada da MultiMulher colocou-a no comando da sua vida e do seu tempo.

No próximo artigo, vou falar mais detalhadamente sobre como pode funcionar a Jornada da MultiMulher. Mas gostaria de ouvir você, saber se você tem algum comentário, alguma dúvida, alguma história, se conhece alguém com dificuldades assim. Não deixe de postar aqui e de se cadastrar no nosso site para saber mais.

Até a próxima!

ExibirMinimizar
aci baixe o app