Já parou, para pensar? Não pare, se entregue à vida

A vida não nos é apresentada, não existe formalidades, nem manuais de instrução. O que existe são pessoas bem instruídas, ou melhor pessoas que escolhem o que querem pra si, mesmo que não sejam bem sucedidos

Quanto mais primaveras se passam, mais refletimos quanto ao futuro. A necessidade de ter certa estabilidade na vida é reflexo de que chegara uma hora em que não teremos a mesma facilidade para seguir em frente sozinhos, a força, não será a mesma, começar denovo pode ser algo difícil onde um tempo longo será consumido debitando em nossa vida útil. Sim nossa sobrevivência só diminui enquanto as horas, minutos, segundos passam, é desnecessário ficar remoendo um tempo que não pode ser desacelerado. A alternativa mais sensata é viver de maneira intensa, errando quantas vezes forem necessárias, aproveitando ao máximo aqueles que amamos, que embora não seja aplicável atualmente presume-se que suas vidas terminarão antes da nossa segundo o ciclo natural. São tantas indagações que triplicam nossos medos, viver é um risco que não escolhemos, somos condicionados. Obviamente há quem se prive de viver da forma que deve, mas jamais poderão passar a vida inteira na clausura do medo.

A medida que nossos laços mais fortes, aqueles ligados á família vão se desfazendo com partidas inevitáveis e dolorosas, refletimos a respeito do dinamismo do tempo, e nossa fraqueza diante do mesmo. É impossível segurá-lo mesmo que seja por alguns minutos. Pessoas especiais se despedem e dão lugar a outras, não em substituição, é a natural sequencia da vida. É comum o desejo de viver desprendido de tudo e todos em isolamento, mas o ser humano não se sente completo e vivo se não estiver em sociedade. Momentos de distanciamento do mundo são bem vindos, porem vez ou outra, logo somos consumidos por um sentimento incomodo, a solidão.

A vida não nos é apresentada, não existe formalidades, nem manuais de instrução. O que existe são pessoas bem instruídas, ou melhor pessoas que escolhem o que querem pra si, mesmo que não sejam bem sucedidos. O segredo de viver é não ter medo de se arrepender, o arrependimento ocupa um tempo que apenas desperdiça energias, que poderiam dar lugar a motivos para seguir em frente e construir novas escolhas. Não leve a vida tão a serio, sinta-se mais a vontade, relaxe. Não é saudável perder tempo com sofrimento exacerbado, a principal contraindicação de viver é caminhar de mãos dadas com seus medos, pois quem vive de verdade dispensa mãos, algemas, pernas ao contrario de tudo viver é criar asas, para seguir conforme sua imaginação.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento