Inverno deve aquecer vendas no comércio

O começo do período de frio está ajudando a aquecer as vendas no comércio. São muitos os setores que serão impulsionados pela queda nas temperaturas, e se os termômetros continuarem baixos até meados de agosto, o incremento nas vendas podem igualar os 4,5% do ano passado.

No varejo de bens não duráveis, o principal aumento deve ser no consumo do cacau. De norte a sul, o Brasil é um grande consumidor de chocolate durante todo o ano, mas as baixas temperaturas trazem opções que não são tão consumidas durante os períodos de maior calor, como fondues, chocolates quentes e cappuccinos.

Já no setor de semiduráveis, pode ocorrer um crescimento de até 3% na procura por agasalhos, se comparado com julho do ano passado. Cobertores de lã, mantas, luvas e casacos são os produtos mais procurados. E com a chegada de agosto e do Dia dos Pais - que mesmo não sendo considerada uma das melhores datas comemorativas para o comércio, impulsionou em 2014 um crescimento nas vendas de cerca de 9% - o frio deve ajudar a aquecer as vendas, pois os filhos provavelmente irão presentear os pais com produtos tipicamente de inverno.

Os comerciantes devem estar preparados para as demandas especiais que os consumidores procuram no inverno, mas não é indicado fazer grandes investimentos esperando retorno imediato. Segundo estudo da LCA Consultoria, o consumidor brasileiro está mais endividado neste ano, cerca de 60% da população declara possuir dívidas entre cheques pré-datados, cartões de créditos, empréstimos e etc, e essa dívida dos brasileiros já atinge 40% da quantia anual de rendimentos da Previdência Social e do Trabalho, ou seja, isso pode influenciar na hora da compra e fazer com que o consumidor fique mais cauteloso.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento