Intermediário ou informediário

Mapear e garimpar bons negócios é o papel do informediário que vai em busca das melhores oportunidades para sua empresa.

Quando você está a procura de um apartamento para comprar, em geral você se depara com um personagem, que pode ser um indivíduo ou uma empresa, que em nome do proprietário negocia, avalia e faz propostas.

Estamos falando do intermediário.


O processo de compra e venda sempre foi construída na figura do intermediário, logo, intermediário é aquele elemento que favorece a ocorrência da troca e é remunerado por isso.

Com o desenvolvimento acelerado das tecnologias de informação e das comunicações e a sua aplicação a múltiplas áreas de atividades teve como conseqüência o advento da sociedade da informação que têm suscitado alterações substâncias em todas as áreas. Podemos comparar este momento com a Revolução Industrial, que alterou todo o modus vivendi da sociedade. Está nova revolução trás implicações profundas na generalidade dos diversos setores de atividades, tanto econômicas quanto social.

O termo sociedade de informação apareceu em 1973, quando Daniel Bell publicou seu livro O advento da sociedade pós-industrial. Nele Bell afirma que o eixo principal desta sociedade será o conhecimento teórico e adverte que os serviços baseados no conhecimento se transformarão na estrutura central da nova economia de uma sociedade sustentada na informação.

Com o desenvolvimento da Internet nos anos 90, a expressão reaparece com força e em 1995 foi incluída na agenda das reuniões do G8, onde se reúnem os chefes de Estado das nações mais ricas do mundo.

Paralelamente, o acesso à informação torna-se cada vez mais um ativo estratégico essencial à sobrevivência das empresas. O problema é que o volume de informações é enorme e é preciso garimpar as informações que interessam à empresa. Assim, a figura do intermediário, acompanhando a tendência de mudança, evolui para o que está se dominando informediários.

Informediários são, na verdade, intermediários de informação no mercado da eletrônica desta nova economia conectada. São aqueles indivíduos que garimpam, em meio ao mar de informações, aquelas que poderão ser úteis à empresa, para que ela possa tirar proveito ou lhe dar alguma vantagem no mercado competitivo.

Falando de mercado vamos embarcar na máquina do tempo e retornar ao século XVIII, lá iremos nos deparar com o grande Adam Smith que se baseava em três conceitos básicos quando se relacionava ao mercado.

No primeiro deles afirmava que num mercado existem muitos compradores e muitos vendedores, porém, nenhum deles detém uma parte significativa do todo, até porque não seria justo e iria se caracterizar como um monopólio.

Sabemos que o custo do setup de um negócio é inúmeras vezes menor do que você ter que se deslocar a uma loja tradicional, não virtual para fazer uma pesquisa. Isso envolve tempo e deslocamento. Com a opção da loja virtual basta apertar um botão para fazer o download de um produto, assim, não é de se estranhar que existem milhões de sites e milhões de internautas que navegam em busca de bons negócios.

Mapear e garimpar bons negócios é o papel do informediário que vai em busca das melhores oportunidades para sua empresa.

Em seu segundo conceito Adam Smith afirma que não existem peculiaridades entre unidades diferentes, o que torna as mercadorias transacionadas extremamente homogêneas.

Para comprovar este conceito basta prestar atenção em uma esquina e você irá ficar em dúvida se o carro que está a sua frente é um Corsa ou um Fiesta. Hoje vivemos em um mundo de produtos iguais cujas diferenças estão nos serviços que vêm agregados, sendo assim, o valor da mercadoria pode ser definida por seu tipo sem que se precise considerar suas particularidades, até por que elas não são significativas.

Por outro lado, estamos vivenciando um processo contínuo de customização que significa a capacidade de particularizar cada unidade de produto de acordo com as necessidades individuais de cada consumidor e este processo só é possível devido ao avanço da Internet que permite a empresa se relacionar com seus clientes de forma individual.

Conhecer e descobrir quais são estas particularidades pode ser uma tarefa importante para o informediário.

Em seu terceiro conceito Adam Smith já anunciava que compradores e vendedores são muito bem informados sobre a qualidade, características principais e preço de uma mercadoria com a qual pretendem fazer negócio.

Se naquela época já era assim, imagine hoje que vivemos em uma sociedade absolutamente bem informada, onde a publicidade, apesar de importante e necessária, já não tem tanta influência assim na decisão de compra que passou a ser muito mais racional.

O papel dos informediários agora é promover o máximo de informações disponíveis sobre cada produto ofertado, manter estas informações permanentemente atualizadas, para que a decisão de compra, do consumidor ou da empresa, seja embasada no maior número de informações úteis possíveis. Com relação a isso as empresas estão entrando com o conceito e.procurement através dos portais corporativos que nasceram com a finalidade de oferecer comunicação on line a baixo custo entre a empresa, o cliente e os diversos fornecedores.

Num mundo em que o sucesso está intimamente ligado aos diferenciais competitivos, se especializar no mapeamento das inúmeras informações úteis a empresa talvez seja um ótimo ingrediente que o ajudará a seguir caminho na difícil estrada rumo ao sucesso.



ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.