Indicadores - simples e direto ao ponto
Indicadores - simples e direto ao ponto

Indicadores - simples e direto ao ponto

Você provavelmente já ouviu falar sobre indicadores, mas você sabe para que eles servem na prática? Sabe qual é seu real objetivo?

Como é que você sabe se está atingindo suas metas? Como é que você sabe se você está mais próximo ou mais longe das suas metas com o passar do tempo? Você até pode me dizer: “Poxa Santana, é simples, é só eu olhar para minhas metas e ver se estou indo bem ou não”.

Muito bem, esse é um caminho utilizado pela grande maioria das pessoas. Tirar conclusões apenas olhando para os fatos, tirar conclusões apenas “achando isso, achando aquilo”. Tirar conclusões no escuro, tomar decisões sem dados reais, sem fatos reais.

O que eu quero mostrar, caro amigo, é que sem medir a evolução das suas metas você não saberá se está no caminho certo ou não. Portanto, você precisa medir suas metas, e aí entram os indicadores. Um elemento que lhe permite medir, ou seja, com base em fatos e dados, e te mostra o quão longe ou perto você está das suas metas.

No mundo corporativo, o termo mais utilizado é o “Indicador Chave de Desempenho”, também conhecido como Key Performance Indicator (KPI). São muito utilizados nos níveis de gestão de uma empresa, pois todos sabem que o indicador é o que mostra se um departamento está no caminho certo, se a empresa está batendo suas metas. Os indicadores têm um poder absurdo, pois também mostram as metas que não estão sendo atingidas. Com isso, pode-se olhar com mais detalhes para essas metas e entender os motivos do não alcance, criar planos de ação e verificar a efetividade dos planos.

Uma frase fundamental:

"Se você não pode medir, você não pode gerenciar”.

Podemos encaixar essa frase com o item Mensurable (Mensurável) da técnica SMART, onde sua meta deve ter critérios que permitam sua medição. Ou seja, você precisa saber se está próximo da sua meta ou não, se está no caminho certo ou não. Se a sua meta não for mensurável, você nunca poderá alcançá-la.

É exatamente aqui que entram os indicadores. São basicamente pontos de controle que lhe ajudarão a saber se você está dentro da meta, fora da meta, quais as tendências, e assim por diante.

Apenas uma observação importante sobre essa frase que citamos para vocês. Ela é na verdade uma variação de uma frase de Peter Drucker, o pai da administração, que dizia o seguinte:

“O que não é medido não pode ser gerenciado”

Eu queria dizer uma coisa para vocês que é muito importante. Tenho praticamente 20 anos de experiência em grandes empresas, atuando em posições de gestão, liderança, consultoria estratégica, juntamente com cargos de nível executivo. As palavras que mais ouvimos são: Metas e Objetivos. Isso é o que move os departamentos, move a própria empresa e é o que dá vida às coisas. Tudo é movido pelos objetivos da empresa. Mas existe uma diferença crucial na definição das metas corporativas e das metas pessoais.

As metas e objetivos pessoais são decisões únicas e exclusivamente suas. Ou seja, é você quem define seus objetivos, suas metas e quais indicadores usará para medir suas metas. Portanto, você tem a liberdade de escolha, a liberdade de definir o que quiser.

Já os objetivos corporativos são definidos a nível executivo das empresas. Se você não estiver no nível executivo das empresas, você não terá acesso a uma série de informações que motivaram os objetivos corporativos. Geralmente as pessoas recebem os objetivos e metas prontos, ou seja, as pessoas não participam das definições de objetivos e metas. Como eu disse, é uma decisão de nível executivo, e que às vezes chega até o nível gerencial.

Independente disso, esses conceitos podem ajudar vocês tanto no nível profissional, quanto no nível pessoal. Eu só quis fazer essa distinção aqui para vocês, para que fique claro que se você não for um profissional de nível executivo ou gerencial, dificilmente conseguirá participar das definições de metas e objetivos da empresa. Mas isso também não impede que você converse com essas pessoas e dê sua opinião.

Vamos voltar agora ao tema de indicadores. Outra coisa bacana de se fazer quando você for trabalhar com indicadores é usar gráficos. Os gráficos te darão uma visão muito bacana de como você está com relação a sua meta.

E aproveitando, quero deixar aqui outra sacada, e essa é uma das principais:

Uma vez que você definiu suas metas e objetivos, torne aquilo em algo visual para você, algo que você possa visualizar fisicamente todos os dias.

  • Imprima ou anote suas metas, objetivos e indicadores.
  • Coloque-as em um local visível.
  • Acompanhe a evolução das metas diariamente, ou semanalmente.
  • Atualize as informações.
  • Coloque datas e prazos.

Tudo isso lhe ajudará ainda mais no êxito de suas metas. Quanto mais itens visuais você puder utilizar, melhor.

Para finalizarmos esse artigo, seguem mais algumas dicas importantes sobre indicadores:

  1. Os indicadores representam de forma quantitativa a evolução e o desempenho em relação às metas.
  2. O indicador é o que lhe fornecerá a informação de sucesso ou fracasso de suas metas.
  3. Você pode ter um ou mais indicadores para acompanhar suas metas e objetivos.
  4. Quanto mais indicadores, mais difícil a gestão.
  5. Defina indicadores que possam ser medidos.

É isso pessoal. Torço para que esse artigo tenha sido útil, e que você possa aplicar os conceitos na prática. Afinal de contas, de que vale um conhecimento dentro de uma gaveta fechada?

Forte abraço.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento