Impactos de uma valorização cambial sobre a economia do país.

Impactos de uma valorização cambial sobre a economia do país

A valorização cambial inviabiliza a produção de bens com alto valor adicionado per capita, e, em consequência, há uma restrição ao crescimento da produtividade do país, que por seu turno, afeta o desempenho do PIB.

Para a economia nacional, a valorização do câmbio vem servindo – tal qual no passado recente – como ferramenta no combate à inflação. A longevidade desta política cambial, entretanto, tende a expor setores voltados ao mercado interno a uma concorrência crescente com produtos vindos do exterior, trazendo reflexos negativos para o emprego e a renda internos.

O prolongamento excessivo da valorização do real, sem medidas compensatórias e setoriais, poderá expor parcelas representativas do setor produtivo nacional à competição internacional, com reflexos indesejáveis sobre o emprego e a renda; A valorização cambial prolongada, como expressão de uma política monetária rígida e ortodoxa de juros reais elevados, coloca barreiras à sustentação do crescimento econômico e do desenvolvimento nacional.

A valorização cambial reduziu a competitividade dos produtos da pauta exportadora brasileira no mercado internacional, com a consequente queda da receita, o que ocorreu concomitantemente ao aumento das importações.

CONCLUSÃO

Em conformidade com as leituras que realizamos, identificamos que a valorização cambial afeta, e muito, a economia do país.

Acreditamos que a taxa de câmbio necessária para o crescimento do país é aquela que torna competitivas as exportações de alto valor agregado local. Se uma indústria local não tem capacidade de competir com empresas estrangeiras, é sinal de que a taxa de câmbio está valorizada.

Outro impacto da valorização cambial está na redução dos investimentos por parte dos produtores rurais e das grandes indústrias, resultando, em um primeiro momento, no encarecimento dos insumos da agroindústria e na redução de sua competitividade.

.

REFERÊNCIAS

MENDES, Carlos Magno [et al.]. Introdução à economia. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB, 2009. Pags 117 – 125.

ExibirMinimizar
aci baixe o app