Homem volta a andar com prótese controlada pela mente

Zac Vawter perdeu sua perna 3 anos atrás. Ficou depressivo e não esperava que a vida fosse lhe dar outra oportunidade de andar. Nesse tempo, encontrou uma empresa que estava disposta a fazer uma pesquisa construindo uma perna biônica que pudesse literalmente funcionar com a sua mente

A perna é o primeiro feito a funcionar perfeitamente com os pensamentos dos humanos, ela não possui falhas, nem ajustes e responde em tempo real.

Vawter com 32 anos diz que sofreu um acidente de moto em 2009. Os médicos tiveram que amputar sua perna, cujo o impedia de se movimentar livremente.

Ele tinha ouvido falar sobre próteses controladas pela mente, mas essas próteses só eram usadas como braços robóticos. Pernas são mais complexas, porque caso elas derem algum problema, você fica mais propensos a ganhar graves ferimentos, como por exemplo cair da escada.

Ele buscou essas novas tecnologias e, eventualmente, tornou-se o “homem de testes” para uma perna biônica criada pela equipe de Todd Kuiken no Instituto de Reabilitação de Chicago. O projeto foi parcialmente financiado por uma doação de US $ 8 milhões do Exército dos EUA.

A perna biônica utiliza eletrodos e um microprocessador para ler as intenções de Vawter através de contrações musculares em sua coxa.

Normalmente, o cérebro envia sinais elétricos através da medula espinal para comandar e controlar os movimentos. Para um homem sem a perna, esses sinais ainda existem, mas, não há mais lugar para que o sinal vá, pois sua perna não existe mais, devido a isso os nervos perto do local da amputação tendem a morrer, ficando totalmente sem ação ou terminações nervosas.

“Quando o paciente pensa que está mexendo os dedos dos pés, ou outro musculo, o cerebro enva sinais para esse musculo, por isso foi um sucesso a reabilitação. “Levi Hargrove.

Eles foram trabalhar na prótese e no software que vai com ele por um longo tempo, mas agora, é quase impecável – a prótese responde corretamente 98% do tempo.

Agora Vawter pode voltar a andar, mas não todos os dias, a perna possui uma bateria que dura apenas 2 kilometros ou 30 minutos, então Vawter está apenas testando a prótese bionica para a equuipe aprimola-la.

Essa façanha se deu por causa da impressora 3D, cujo foi capaz de projetar a nova perna do paciente.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento