Governança Corporativa como ferramenta para driblar a crise

O aumento das taxas de juros, inflação e disparada do dólar são fatores que estão arrasando com a economia brasileira. Fato este que está colocando em xeque a continuidade de algumas empresas brasileiras diante desse contexto adverso. Um artifício que pode atenuar ou até mesmo superar esse cenário é a adoção de medidas de governança corporativa nas organizações

O aumento das taxas de juros, inflação e disparada do dólar são fatores que estão arrasando com a economia brasileira. Fato este que está colocando em xeque a continuidade de algumas empresas brasileiras diante desse contexto adverso. Um artifício que pode atenuar ou até mesmo superar esse cenário é a adoção de medidas de governança corporativa nas organizações.

A governança corporativa, em um conceito puro, visa obter uma melhoria de gestão das organizações e alinhar os interesses dos acionistas com a longevidade de seus negócios. Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, trata-se de um sistema de controle estabelecido pelos acionistas em que as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas na constante busca pelas boas práticas de mercado.

A governança pode apoiar as empresas nos seguintes aspectos:

Responsabilidade corporativa: trata da visão de longo prazo das organizações, buscando resolver problemas, como má gestão, ausência de planejamento, descontrole das finanças e a baixa eficiência operacional, que costumeiramente estão presentes nas pequenas e médias empresas brasileiras.

Geralmente, empresas que possuem bons níveis de governança constituem conselhos e comitês compostos por profissionais qualificados, auxiliando na gestão dos negócios.

Informação: em um ambiente de negócio nebuloso, no qual estamos vivenciando atualmente, a utilização de informações adequadas sobre o desempenho da organização deve ser o principal instrumento, utilizado pelos gestores, para a tomada de determinadas decisões, de modo a evitar erros no desenvolvimento da estratégia empresarial.

Equidade: estabelecimento de regras bem definidas com um tratamento justo entre acionistas e partes interessadas como colaboradores, clientes, fornecedores entre outros, visando à administração de conflitos de uma forma mais efetiva, fator que é determinante para a geração de valor e riqueza nas organizações.

Em resumo, a governança corporativa tem como meta estimular uma profissionalização da gestão da empresa, independentemente do seu porte (pequenas, médias ou grandes), auxiliando no seu crescimento, geração de valor e processo sucessório. É uma prática já disseminada e conhecida nas companhias de grande porte, e que deve também ser utilizada pelas pequenas e médias empresas. Sem dúvidas é um instrumento que deve ser usado para superar os desafios de nossa economia nos dias atuais.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento