Gestão: como aproveitar o potencial das scale-ups

Em tempos conturbados, em que muitas empresas estão tendo que provar a sustentabilidade e a relevância dos seus negócios, as scale-ups estão cada vez mais conectadas e em pleno desenvolvimento, pois podem encontrar oportunidades para crescer e virar o jogo da crise

Caracterizadas pelo crescimento de alto impacto (20% ao ano, nos últimos três anos) e por serem responsáveis por quase 60% dos novos empregos que surgem no Brasil, as scale-ups estão chamando atenção no cenário brasileiro, apesar de representarem apenas 1% das organizações do país. Os dados são do estudo “Scale-ups no Brasil”, da Endeavor, que mostra a relevância destas empresas para a economia no país. Em tempos conturbados, em que muitas empresas estão tendo que provar a sustentabilidade e a relevância dos seus negócios, as scale-ups estão cada vez mais conectadas e em pleno desenvolvimento, pois podem encontrar oportunidades para crescer e virar o jogo da crise.

A expressão se refere a empresas em expansão, que crescem pelo menos 20% durante três anos seguidos. São pequenas e grandes, diferente de startups, distribuídas por todo o globo e em diferentes regiões do país. Estão presentes de forma significativa nos setores do varejo e construção civil.

Na Involves, vivenciamos diariamente o que é ser uma scale-up, e por isso, podemos afirmar que a geração de emprego é um dos aspectos mais marcantes deste perfil de empresa, que pode criar até 100 empregos a mais por ano do que uma organização “comum”. Em menos de 12 meses, demos um salto no número de colaboradores: começamos com 30 e agora já são quase 70. Dessa forma, conseguimos estabelecer um ciclo virtuoso no negócios, segundo o qual somos mais produtivos, faturamos mais, recolhemos mais tributos e ajudamos a movimentar a economia.

Um dos principais desafios das scale-ups é garantir o crescimento sustentável e ordenado da empresa. Sabemos que a contratação de novos colaboradores sem o devido alinhamento pode prejudicar a manutenção e propagação da cultura organizacional e, neste caso, a expansão pode ser quase um tiro no pé. Sendo assim, acreditamos que o sucesso de uma scale-up está intimamente relacionado à gestão de pessoas e ao fortalecimento da cultura organizacional. Acreditamos que é fundamental que os valores da empresa sejam vivenciados diariamente por todo o time e que não seja apenas um discurso bonito ou impactante.

As scale-ups também costumam levar inovações ao seu mercado e, consequentemente, aumentar a competitividade dos seus clientes. A tecnologia desenvolvida aqui foi disruptiva na forma de gerenciar trade marketing no Brasil e o casamento da inovação com a especialização, com base em modelo de negócio consolidado, fez nosso faturamento duplicar a cada ano, a partir de 2010. Em 2014 aumentamos 2,5 vezes. Em 2015 queremos triplicar e, diante desta meta audaciosa, focamos na consolidação de processos organizacionais para acompanhar o rápido crescimento da empresa.

Sendo assim, apesar do contexto econômico desfavorável, acreditamos no poder da conexão entre as scale-ups como um caminho para superar a crise. Ou seja, nunca o velho ditado "duas cabeças pensam melhor do que uma" fez tanto sentido, pois precisamos de gerar reflexão sobre o conhecimento compartilhado. Contamos com seis sócios e o know how de cada um é complementar na gestão dos negócios, assim como a atuação dos nosso intraempreendedores, de modo que as decisões estratégicas são tomadas em conjunto, o que enriquece o debate e torna a ação muito mais assertiva.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento