Filósofos são apartidários. Por que não devo ser?

Ainda, como se não bastasse a insanidade generalizada, ainda usam camisetas da seleção brasileira cunhadas pela CBF. Quer instituição mais corrupta do que a CBF?

Em 2013 quando o apartidarismo chegou finalmente no nosso país, escrevi um texto dizendo que para uma analise profunda, não deveríamos tratar a politica como jogos de futebol. Dês de então, venho refletindo sobre a base de um pensamento politico voltado muito mais na ética, do que legenda. Quando vou votar, se tenho vontade e vou votar, não voto na legenda e sim no candidato, porque sempre achei legendas e ideologias uma perca de tempo. E ultimamente venho refletindo muito sobre uma frase do filósofo francês Sartre que na essência mostra uma coisa importante dentro do que hoje vivemos, que somos metade vitimas e metade cúmplice, como todo mundo. Exato. Não venham dizer que o governo e seus governantes estão lá por causa dos outros, porque não é verdade, temos uma parcela de culpa nesse processo. Até acho que muitos ainda não entenderam o que realmente um Estado democrático, onde a liberdade de expressão e a liberdade de ir e vir, devem ser preservadas.

Só que pelo que estou vendo, há muito forte ainda uma guerra ideológica quem esta ou não com a razão. Mas no que vejo, ninguém está. Nas manifestações no dia 16 estou vendo uma sequencia de erros ideológicos e históricos que mostram que muita gente anda assistindo novelas – não necessariamente da Globo – ou lendo muita coisa tendenciosa de um lado, não estão pensando no Brasil, estão defendendo uma ideologia. Ser contra um partido ou o ato de um partido que levaram a atos de corrupção, não anulam os atos dos outros partidos que também levaram a corrupção e não venham tirar ninguém da reta. Fica um debate degradante, quando tentam “santificar” um politico só para o “santo” fazer o que se pensa o que é melhor, mas não é melhor e não vai ser feito. Não adianta mostrar as nádegas, pintar a cara, ficar cantando musicas de cantores já falecidos – no caso de Cazuza que nitidamente era a favor do socialismo e do PT registrado na ultima entrevista no programa do Jô Soares – acharem no direito de bater em pessoas com a camisa vermelha, camisas com o simbolo anarquista ou coisa do gênero, a corrupção não vai acabar.

Por que não vai acaba? Porque a mesma sociedade que se escandaliza com os atos de corrupção param em vagas especiais de deficientes, sentam em assentos no ônibus destinados a idosos, não respeitam pessoas nas ruas, não respeitam as fila, reclamam que nem podem jogar lixo nas ruas. Nos centros comerciais, olham com cara de desdem para pessoas deficientes, pessoas com vestimentas simples, se acham até mesmo, donas das igrejas locais. Olha que as pessoas que votam na esquerda fazem o mesmo, toda nossa sociedade em sua maioria – porque existem as exceções, graças a Deus – fazem o mesmo que os políticos, porque está infelizmente na raiz da nossa cultura, porque sempre fomos uma nação não de colonização, mas uma nação de extração. Os portugueses nunca quiseram ficar aqui, porque sempre viam o Brasil como uma Terra que tinha o que queriam e só. Quem ensina o contrario é um irritante romântico.

Aliás, as manifestações dos últimos tempos estão muito partidárias e ideológicas para mim, um filósofo anarco-libertário – não me venham com a insanidade de anarcocapitalista porque não existe isso – não posso apoiar ou não posso ver lógica nisso tudo. Porque todos os partidos, em menor ou maior numero, estão envolvidos e não são poucos que acreditam que tem aqueles que nunca se envolveram. Honestidade não tem vez na politica, porque para ser politico devemos sempre abrir concessões, ou seja, já a séculos atrás Maquiavel denunciava isso dizendo que todo fim justifica o meio. Desconfio que o “populacho” não está preocupado no que se tira do governo, mas que não está participando da “festinha”, pois se não fosse assim, não faziam o que fazem. Então, não voto, não apoio e não acho que deve ter manifestações “pacificas” como se fosse pedir para a presidente sair da cadeira presidencial, democracia tem seus limites. A anarquia sempre pregou a não violência, mas também pregou o seu direito de defesa daquilo que é seu e o seu corpo, que corre perigo com médicos incompetentes e o Estado que ilude o ser humano o bastante para atacar o próximo, tem o direito de se defender.

Depois, não haverá intervenção militar pelo simples fato que não interessa mais para as nações poderosas – você não pode acreditar, mas a gerra fria terminou – intervir no Brasil porque não existe comunismo no mundo. Cuba já abriu a embaixada norte-americana, a China é mais confucionista do que marxista, a Coreia tem um mimado como governante e a Rússia, apesar que o presidente tenha trabalhado na KGB, não é comunista. O que falta no nosso povo é estudar e parar de dizer tanta asneira como dizem por ai, porque repetir “chavões” é fácil, construir argumentos que realmente valem a pena, é dificílimo. Como dizem e concordo, utopias tem que ficar nos livros e na prateleiras, seja de direita, seja de esquerda. Para quê insisti em achar que funciona se está ai para provar que não existe?

Ainda, como se não bastasse a insanidade generalizada, ainda usam camisetas da seleção brasileira cunhadas pela CBF. Quer instituição mais corrupta do que a CBF? Não é incoerente que uma manifestação anti-corrupcao seja caracterizada por uma instituição que vem sujando o futebol nacional como esta? Mais uma vez se faltou um estudo histórico dentro da manifestação, um estudo de fatores importantes para não cair na incoerência e que fatalmente, caiu no ridículo ao ponto de tratar uma consciência politica, que deveria ter o dever de ser séria, como meras torcidas de futebol. E o mais triste e trágico é que as torcidas de futebol sabem do histórico de seus clubes. O que esperar de um povo que trata um ato politico como se fosse um ato de torcida, um ato insano, um ato de pessoas fanáticas prontas até em matar em nome de pessoas mal caráter que usa isso para vender mais livros?

Só apoio se esse ato seja apartidário e não toma lá e dá cá. Numa democracia tem que existir argumentos honestos e não argumentos no calor dos sentimentos, as paixões nunca foram boa para a humanidade, as guerras, as destruições, as misérias, sempre foram uma marca de um poder viciante e desonesto. Então, estão defendendo seus próprios carrascos? São milhões de sadomasoquistas que defendem o Estado e pedem mais chicote dos militares? É “bate que eu gamo”? Isso é reflexo de seculos uma falta de escola de verdade que ensina, que ensine interpretação, ensine a pensar por si mesmo sem essa coisa de ir na onda da maioria. Infelizmente até o ensino de filosofia tem ideologias, deveria ser neutro, mas não é. O que salvará essa grande nação? Seu futuro será bom ou ruim? Aguardem quem vem mais idiotices.

ExibirMinimizar
aci baixe o app