Fazer o bem sem olhar a quem

Nenhuma culpa encontro nele. É costume entre vós que eu solte um preso, na Páscoa. Quereis que vos solte o rei dos judeus? Estes não gritaram de novo, clamando: Esse não, mas Barrabás!" -- Pilatos ao povo (João 18) A Páscoa é um momento no qual muitas pessoas param para refletir sobre os seus atos, sobre seus valores, sobre suas vidas, afinal foi nesse período que Jesus de Nazaré (o filho de Deus para os Cristãos) foi julgado, condenado e crucificado por um crime que não cometera. Em nosso dia-a-dia, muitas vezes, o mesmo acontece quando pré julgamos outras pessoas, sem nem mesmo conhecê-las. Alguns profissionais de vendas, a exemplo dos que compõe a linha de frente do setor varejista, são muitas vezes mestres na arte de pré conceituar e, principalmente, de subestimar clientes. Quem nunca ouviu um caso de alguém que entrou mal vestido em uma loja e foi deixado de lado? Ou quem nunca foi mal atendido pelo fato de não parecer tão importante? São variados os casos que podem ilustrar a discriminação que muitos sofrem por alguns vendedores. Nas lojas em que existe vez (uma espécie de fila de atendimento, onde cada vendedor tem sua vez de atender) a decepção é maior quando um sujeito mal vestido, mal encarado, desarrumado, despenteado ou qualquer outra coisa que fuja do padrão, adentra a loja. Se o mesmo, ao ser abordado, disser que só está dando uma olhadinha a coisa piora e a decepção passa para desespero, pois se o dia não for dos mais movimentados e a loja tiver muitos vendedores, a outra vez pode nem existir e, conseqüentemente, desaparecem as chances de venda. É importante que o vendedor se conscientize de que a venda é conseqüência de um bom atendimento, ou seja, ele deve atender bem a todos, independentemente do fato de ele imaginar se aquela pessoa irá comprar ou não alguma coisa, até porque, o potencial consumidor pode não comprar naquele momento, mas em outra oportunidade lembrará do bom atendimento e retornará às compras. Fazer o bem, sem olhar a quem! É assim que todos nós devemos agir sempre: seja em nossas vidas pessoais, em nosso trabalho, com nossos amigos, colegas e, principalmente, com desconhecidos, com pessoas que não fazem parte da nossa rotina, mas que, por algum motivo, precisaram de nós. Interesses e princípios são a base de muitas de nossas atitudes. Agir por interesse não é pecado, mas agir por princípios é, sem sombra de dúvida, a salvação! Uma boa Páscoa a todos!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    café com admMinimizar