Falando de gestão: somos muito tarefeiros

Quão planejador você é, em sua vida profissional? Você é daqueles que planejam cuidadosamente, e detalhadamente, antes de iniciar um projeto? Ou você, como diria Chico Buarque, age duas vezes antes de pensar

Quão planejador você é, em sua vida profissional? Você é daqueles que planejam cuidadosamente, e detalhadamente, antes de iniciar um projeto? Ou você, como diria Chico Buarque, age duas vezes antes de pensar?

Proponho uma reflexão baseada no Ciclo PDCA.

Conhecido como um método gerencial extremamente prático, sobretudo pela facilidade de compreensão, o PDCA corresponde, em inglês a Planejar, Fazer (Do), Verificar (Check) e Atuar corretivamente (Act).

A recomendação, ao se usar o PDCA, é que, em qualquer projeto que venhamos a enfrentar na vida profissional ou mesmo pessoal, procuremos Planejar antes de Executar algo; durante e após a execução, coletemos dados para Verificar os resultados; e, ao encontrar resultados indesejados devemos Agir, em vez de protelar a resolução dos problemas.

Infelizmente esta cartilha simples nem sempre é usada. Poderíamos dizer que poucas vezes é usada, de forma sistemática. E como gerencial é atuar de forma sistemática em busca de resultados, há que se ter o cuidado de gerenciar sistematicamente.

Mas, de onde vem o título deste artigo?

O título vem do fato de que devemos praticar P, D, C, e A. Em que intensidade? 25% para cada? Obviamente esta não seria uma resposta adequada. Depende da natureza do negócio, da função que você ocupa, do momento que a empresa passa, etc.

Mas, seguramente, dá para dizer que o gestor, em qualquer nível, deve concentrar seus esforços e tempo nas etapas de Planejar e Verificar.

Aí reside o problema. Em levantamentos que temos conduzido em nossos projetos de consultoria e de pesquisa, a maior parte do tempo que boa parte de nossos gestores dedica é à etapa de Execução – Do. Há casos em que 67% do tempo de um diretor relaciona-se com executar tarefas. Acredite, não inventei estes números!

Mas qual o problema? O problema é que gestor não é pago para executar, para fazer, mas para fazer fazerem. Você já viu um técnico de futebol, vôlei, ou qualquer outro esporte, chutar a bola? NÃO, veementemente não!

Então o papel do gestor não é ficar executando tarefas. Ele deve planejar para que sua equipe execute bem as tarefas que lhes cabem.

A frase que dá título a este artigo foi dita por um gerente, inteligente, competente, mas, acima de tudo, consciente de suas limitações e desafios, ao participar de uma dessas pesquisas.

A notícia boa é que, com um pouco de aprendizado, vontade e disciplina, em pouco tempo ele reverteu a condição tarefeira dele, reeducando-se e tornando-se um gestor planejador e verificador.

Parabéns, meu grande amigo!

Você já não é mais tão tarefeiro como outrora foi!


Outros asrtigos do autor podem ser acessados no blog www.klebernobrega.com.br

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento