EXIGÊNCIA DE UM PLANO DE NEGÓCIO QUANDO DA ABERTURA DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

EXIGÊNCIA DE UM PLANO DE NEGÓCIO QUANDO DA ABERTURA DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Está na hora de ajudar a proteger as empresas que mais empregam neste país, as micros e pequenas empresas. Em meus artigos anteriores tenho feito críticas, sugestões de capacitação dos dirigentes sugerindo que voltem as faculdades, fazendo uma pós-graduação em gestão empresarial para se reciclarem e até mesmo criar a nível técnico para aqueles empresários que não possuem curso superior, um curso de gestão empresarial. Nos Estados Unidos, após os escândalos financeiros das empresas Enron, Worldcom e outras, foi promulgada em 30/07/2002 a lei Sarbanes-Oxley também denominada lei Sox para que as empresas demonstrem eficiência na governança corporativa, isto é: (1) garantir a efetividade e eficiência nas operações; (2) dar confiabilidade aos relatórios financeiros; e, (3) atender as leis e regulamentos dos órgãos públicos.Com isto tanto as empresas serão incentivadas a não cometer atos ilícitos, como também os investidores que compram as ações estarão seguros. Este é um exemplo de preocupação de um país que valoriza e protege suas empresas e os investimentos da população, como também a economia como um todo, o que não podemos dizer o mesmo do Brasil. O Sebrae em pesquisas recentes mostrou que são poucas as micros e pequenas empresas que alcançam o 6o.ano de vida, trazendo desemprego, perda do investimento do empresário, prejuízo a economia como um todo e a frustração pessoal. Tudo isso por falta de um planejamento prévio do negócio, por deficiência e falta de conhecimento da gestão diária do negócio e outros motivos como crédito e incentivo do governo. A situação continua a mesma, os números levantados pelo Sebrae continuarão a se repetir, e não se faz absolutamente nada ou pouco se faz, privilegiando alguns poucos que tem uma visão maior de negócio. O que poderia se fazer para evitar a mortalidade precoce das micros e pequenas empresas. Além da capacitação do micro e pequeno empresário que o próprio Sebrae já vem fazendo como também outras entidades o fazem, existe a necessidade de se promulgar uma lei com a obrigatoriedade quando da abertura de uma micro ou pequena empresa da apresentação de um Plano de Negócio para a obtenção do CNPJ, plano este aprovado pelo Sebrae, ou Associação Comercial, ou Federação das Indústrias, ou Simpi (Sindicato das micros e pequenas empresas), ou outra entidade séria da categoria. Não estou com isso querendo complicar a vida das micros e pequenas empresas que já estão saturadas de tantas exigências e obrigações desnecessárias, mas que consigam planejar e decidir a respeito do futuro de sua empresa, conhecer melhor o mercado que irá atuar, seus clientes, seus concorrentes, os riscos e as oportunidades, identificar seus pontos fortes e fracos, analisar o desempenho financeiro de seu negócio, avaliar investimentos e retorno sobre o capital investido; caso ache muito complicado tudo isso você não estará preparado para iniciar o negócio. È oportuno lembrar que o próprio governo está exigindo através do MCT, BNDES, CNPQ, um Plano de Negócio, como base para análise e concessão de crédito, financiamento, benefícios fiscais e recursos às empresas; se você terá que apresentar este plano para conseguir crédito, porque não faze-lo quando da abertura da sua empresa, você ficará melhor preparado, e o escritório de contabilidade que irá fazer a abertura de sua empresa poderá colaborar em muito, pois ele próprio conhecerá melhor o negócio que você irá entrar, dando-lhe sugestões de quais os caminhos a seguir. O Plano de Negócio pode ser algo bem objetivo, tal como o Sebrae tem um modelo que passamos a copiar abaixo para ajuda-lo: PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma avaliação antes de colocar em prática a nova idéia, reduzindo assim, as possibilidades de se desperdiçarem recursos e esforços em um negócio inviável. Também é utilizado para a solicitação de empréstimos e financiamento junto a instituições financeiras, bem como, para expansão de sua empresa. CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO A questão visa conhecer a finalidade do plano de negócios: criando um negócio (implantação), expandindo um negócio já existente ou modificando a localização de sua empresa (relocalização). ( ) Implantação ( ) Expansão/Modernização ( ) Relocalização Faça uma síntese do tipo de empreendimento que você pretende implementar. A pergunta pretende identificar de forma clara e objetiva, o ramo em que pretende atuar e os motivos que o levaram a tomar esta decisão. É interessante oferecer detalhes sobre o empreendimento. Por exemplo: se deseja montar um restaurante, qual é a proposta? self-service (a kg ou preço único) ou à la carte?; se é um comércio, atacadista ou varejista? e assim por diante. ANÁLISE DE MERCADO E COMPETITIVIDADE Descreva quais são as oportunidades que você percebe em seu empreendimento. Muitas oportunidades são encontradas pela identificação de tendências. Estas tendências merecem rigorosa atenção por parte das empresas para se detectar uma nova oportunidade. Quais são as principais ameaças ao seu negócio? As ameaças também são uma constante e surgem de todas as esferas: do desinteresse do mercado consumidor por seu produto à entrada de novos concorrentes com importantes diferenciais competitivos, passando pela carência de insumos e matérias-primas. Por isso, sua atenção às mudanças, chamadas sinais de mercado, deve ser total e contínua, de modo a lhe permitir interagir com previsibilidade e consistência. LOCALIZAÇÃO E INSTALAÇÃO Faça uma análise dos diversos pontos potenciais existentes para tomar uma decisão sobre o local a ser instalado sua empresa. A escolha do local e o espaço físico onde você pretende instalar seu negócio são decisões muito importantes para o sucesso do empreendimento. O local deve oferecer uma infra-estrutura necessária a seu negócio, ter acesso facilitado aos clientes e fornecedores, enfim, propiciar o seu crescimento. Defina um layout para suas instalações. A alocação e distribuição de seus diversos recursos (mercadorias, estantes, gôndolas, vitrines, prateleiras, depósitos e outros) em suas instalações também são importantes para a integração das atividades a serem executadas para a conquista de níveis de produtividade satisfatórios ao seu negócio. O benefício que um bom arranjo físico (layout) pode trazer é, por exemplo: uma maior facilidade de localização dos itens por parte do cliente, um fluxo mais ágil dos materiais, uma disposição mais adequada, etc. CONSUMIDOR Qual o seu mercado potencial? Mercado potencial significa identificar seu público principal para quem você pretende produzir, vender, prestar serviços, etc. (região, sexo, costumes, estilo de vida, renda). Esta análise pode ser estendida para que tipo de empresa (porte, ramo de atuação, nível de faturamento, comércio, indústria), pode ser atendida pelo produto/serviço. Deve-se priorizar os mercados identificados. Dimensione seu mercado principal. As informações quanto ao raio de atuação da empresa, tamanho de mercado, número de clientes/clientes potenciais dentre outras variáveis, podem ser obtidas através da consulta em bancos de dados, de censos econômicos e demográficos, publicações especializadas do setor, associações comerciais e de classes, sindicatos, órgãos do governo federal, estadual e municipal, com os concorrentes ou ainda em pesquisas de mercado junto ao mercado-alvo. O setor possui sazonalidade no consumo? A sazonalidade está ligada diretamente a variação da demanda dos produtos/serviços da empresa. Por exemplo: uma sorveteria tem como pico de vendas no período de verão e uma queda acentuada no consumo desse produto em meses de climas mais frios. Ao conhecer as oscilações que seus produtos/serviços possam sofrer em determinadas épocas do ano, o empresário deve pensar em alternativas para resolver o problema (Exemplo: inserção de novos produtos, promoção, etc.). FORNECEDOR Identifique seus fornecedores considerando sua localização, preço, forma e prazos de pagamento, disponibilidade de fornecimento, lote mínimo de compra, etc. Todos os fatores acima mencionados devem ser levantados para que a empresa possa avaliar a melhor opção para suas necessidades. O setor possui sazonalidade no fornecimento de matérias-primas para produção? Deve ser observado que a disponibilidade de matéria-prima durante os diversos períodos do ano podem sofrer alterações. Logo, é fundamental que a empresa analise a possibilidade de insumos substitutos para que não comprometa a sua cadeia de produção. CONCORRENTE Identifique quais são seus concorrentes e seus pontos fortes e fracos, canais de distribuição, custos e preços de venda praticados, políticas de crédito e formas de divulgação. O conhecimento sobre a concorrência é importante para que a empresa esteja atenta a todos os acontecimentos que estão em torno de seu mercado. Pode também auxiliá-lo na definição de estratégias de atuação junto aos concorrentes. PESSOAL Dimensione sua equipe de trabalho, relacionando número de empregados, cargos, salários e encargos sociais esperados. Nesta etapa deve ser feito um resumo das responsabilidades e qualificações de cada pessoa. Inicialmente você deve fazer um organograma de sua empresa definindo claramente as funções e linhas hierárquicas, isso com certeza o ajudará a definir o perfil das pessoas que irá contratar. Defina o número de pessoas, quais serão seus cargos, funções e responsabilidades e principalmente a qualificação exigida para realizar o trabalho a contento. Com estas informações, você terá condições de procurar no mercado o profissional adequado às necessidades de sua empresa aliado aos recursos disponíveis. PRODUTOS E SERVIÇOS Relacione os produtos/serviços que serão oferecidos pela empresa e suas características. Ao descrever o seu produto ou serviço, deverá deixar bem claro suas vantagens e benefícios. Citar aspectos que levarão o consumidor a escolher o seu produto/serviço, em vez de outros disponíveis no mercado. Deve-se aqui, estabelecer áreas de diferenciação. Listar as vantagens de seu produto em relação aos concorrentes, tais como patente, registro de marca, exclusividade, etc. Se no final, chegar à conclusão que a vantagem está do outro lado, registre modificações que serão feitas para reverter este quadro. Lembre-se: o seu produto/serviço deve ser melhor do que os dos outros. Estime a capacidade instalada para o primeiro ano de atividade. Para evitar ociosidade ou até mesmo desperdício de recursos, é importante que a empresa faça um dimensionamento de suas instalações, volume de atendimento, número de funcionários, dentre outras variáveis que poderão fazer parte desta análise. ESTRATÉGIA COMPETITIVA Defina uma estratégia competitiva com base nas variáveis: liderança no custo e diferenciação. Definir uma estratégia é fundamental para traçar um direcionamento do seu negócio. Essa estratégia pode ser alcançada através de um controle efetivo dos custos ou até mesmo buscar um diferencial no que se refere a qualidade dos produtos/serviços, atendimento, tecnologia, marketing, etc. PLANO DE MARKETING E COMERCIALIZAÇÃO Quais as estratégias de comunicação que serão utilizadas por você na divulgação de seu negócio e/ou produtos/serviços? Devem ser analisados os meios de comunicação (rádio, TV, mala direta, internet, carro de som, rádio poste, faixas, jornal, telemarketing) que sua empresa irá utilizar, sua freqüência e custo. Descreva quais os canais de distribuição que você pretende utilizar. A forma com que você vai levar o produto/serviço ao mercado irá influir no alcance do seu cliente potencial, na sua capacidade de atingir novos mercados e no seu dimensionamento. A empresa pode adotar uma série de canais para isso, como: vendedores internos e externos, representantes, franquias, internet, etc. Defina uma marca para sua empresa e/ou produtos/serviços? Uma marca bem trabalhada pode contribuir de forma efetiva para o sucesso de seu negócio. Ela está associada à qualidade de seu produto/serviço, a credibilidade da empresa junto aos clientes, enfim, consolida uma imagem no mercado. Você deve estar atento para sua facilidade de pronúncia e de memorização, para fácil lembrança e associação com o produto/serviço. Defina uma estratégia de posicionamento/imagem em relação ao mercado. A ação visa buscar uma afinidade com o seu cliente potencial. Pretende direcionar todo esforço de marketing no sentido de associar o seu negócio às diversas características que são atribuídas ao mercado. Exemplo: empresa tradicional, empresa jovem, empresa de vanguarda, etc. INVESTIMENTOS Relacione os investimentos necessários para a implantação de seu negócio. O empreendedor poderá detalhar alguns itens, identificando a quantidade, o valor unitário, o total de cada um deles, etc. RESUMO PASSO A PASSO DE UM PROJETO DE VIABILIDADE ECONÔMICA Passo 1 Levantar o investimento fixo (máquinas, instalações, móveis e utensílios). Passo 2 Estimar os custos fixos mensais. Passo 3 Pesquisar o percentual de impostos + comissões. Passo 4 Estimar o faturamento, as compras e o montante de impostos + comissões. Passo 5 Calcular a margem de contribuição e o seu índice. Passo 6 Calcular o ponto de equilíbrio. Passo 7 Qual o lucro esperado para o faturamento estimado? Passo 8 Determinar o estoque inicial ou de segurança. Exemplo: R$4.000,00 pagamento à vista. Passo 9 Calcular a necessidade de capital de giro. Exemplo: Pagamento das compras: 30 dias da data. Recebimento das vendas: 30 dias da data. Pagamento do custo fixo: R$ 1.000 à vista e R$ 2.000 a 30 dias da data. Pagamento dos impostos: 30 dias da data de faturamento. Passo 10 Investimento necessário: considerado o investimento fixo + necessidade de capital de giro. Exemplo: 10.000,00 + 5.000,00 = 15.000,00 Passo 11 Taxa de rentabilidade: (lucro ÷ investimento necessário) x 100 Exemplo: 1.500,00 ÷ 15.000.00 = 0,10 x 100 = 10% Passo 12 Prazo de retorno do investimento: investimento necessário ÷ lucro. Exemplo: 15.000,00 ÷ 1.500,00 = 10 meses CONCLUSÃO O Plano de Negócios por você desenvolvido não representa somente um instrumento de planejamento formalizado em um papel. Ele deve, sim, estar integrado a toda a empresa, difundido e retroalimentado permanentemente com novas informações que possam contribuir para o sucesso organizacional. O planejamento também deve ser flexível a novas realidades, adaptável a novos paradigmas, sob pena de tornar-se um instrumento ultrapassado e não efetivo. Empreender é sempre um risco, mas empreender sem planejamento é um risco que pode ser evitado. O plano de negócios, apesar de não ser a garantia de sucesso, irá ajudá-lo, entre outras coisas, na tomada de decisões, assim como a não se desviar de seus objetivos iniciais. A sugestão de apresentação do Plano de Negócio deve também ser aplicada a todas as micros e pequenas empresas já em funcionamento, pois somente assim poderemos evitar que essas empresas em funcionamento venham a ter o mesmo destino que as outras, fechar precocemente. Apelo aos parlamentares interessados na proteção dessas empresas, que analisem a proposta e verão que não é tão absurda como parece. Autor: Cláudio Raza; Administrador de Empresas, Economista, Contador, Pós-Graduado em Gestão de Pessoas para Negócio, Professor Universitário, mais de 35 anos assessorando empresas.E-mail: c.raza@terra.com.br
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.