Exageros nossos de cada dia

Breve reflexão acerca dos exageros envolvendo uma tragédia

Todos acompanharam o trágico acidente da semana passada. Comoção nacional. Será que alguém pensou na sequência de exageros que nortearam a tragédia?

Consideremos um carro daquele modelo excelente. Bem caro. Mais de cem mil reais. Este carrão vem de fábrica com uma roda feia, uma roda ruim, ou de alguma maneira que justificasse a troca da roda? Um exagero. Consideramos a missão do motorista. Naquela madrugada ele precisava conduzir o automóvel e chegar ao seu destino. Precisava estar acima da velocidade permitida? Outro exagero. Consideremos a obrigação de estar de cinto de segurança. Quando alguém não usa, está cometendo um exagero.

Exagerando no próprio conforto. Já viu aquelas pessoas que dizem “...não uso cinto de segurança, pois me incomoda aqui no pescoço...”? Há alguém sim que deveria deveria ter exagerado exigindo que os passageiros estivessem de cinto de segurança e não exagerou.

Estamos expostos diariamente aos exageros. Meus exageros. Exageros dos meus colegas de trabalho. Exageros dos motoristas pelas ruas. Exageros dos motociclistas pelas ruas. Exagero dos jornalistas. Exagero dos que prepararam o corpo... exageros.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento