Eu já matei uma pessoa! Você precisa matar também

Tenho que ser honesto e confessar que sim, já matei uma pessoa. Não há problema nenhum nisso, muito pelo contrário, até recomendo que você faça o mesmo. Nosso cérebro é adaptável, se estamos com pessoas inteligentes, nos tornamos mais inteligentes, se estamos com conformados da mesma forma nos tornamos conformados. Isso para tudo, vida social, política, sonhos, legado e impacto. Parece que a grande massa é instigada desde cedo a ser conformada com tudo que acontecera...

Tenho que ser honesto e confessar que sim, já matei uma pessoa. Não há problema nenhum nisso, muito pelo contrário, até recomendo que você faça o mesmo.

Nosso cérebro é adaptável, se estamos com pessoas inteligentes, nos tornamos mais inteligentes, se estamos com conformados da mesma forma nos tornamos conformados. Isso para tudo, vida social, política, sonhos, legado e impacto.

Parece que a grande massa é instigada desde cedo a ser conformada com tudo que acontecera até ali, e até mesmo com o que vai acontecer amanhã, como se fosse o sistema de castas da Índia, onde alguém que nasce pobre, já mais poderá ser rico. Mas o quê tudo isso tem a ver com “matar uma pessoa”? Vou explicar pra você. Na verdade nosso dia a dia é como se fosse um campo de batalha, onde querendo ou não, estamos na guerra. Cada passo dado é como no xadrez, tudo deve ser pensado de forma estratégica para chegar ao final do jogo. Agora, lhe pergunto: se você é obrigado a guerrear, como você vai? O detalhe se encontra aqui, “como você vai”.

Devemos entender que, é comum em nossa sociedade ser, acomodado, ignorante, resmungão, que prefere fazer o que alguém já fez (ao invés de criar), que tem medo de arriscar, não vive por um propósito, não sabe o que está fazendo no campo de batalha, e pior ainda, não sabe aonde quer chegar.

Tudo que fora citado agora acima é comum estar internamente no ser humano. Vez e outra nos acomodamos, ignoramos, resmungamos, temos medo, não vemos sentido nas coisas, não acreditamos e não sabemos onde queremos chegar. Por mais que pensemos que não, isso tudo está com a gente sim. Se vamos levar para a guerra, é outra história.

Sobre “matar alguém”, como eu fiz, aconselho que faça o mesmo, pois esse alguém é a reunião de todos esses fatores desfavoráveis apontados, e que estão com a gente.

A partir do momento em que cometi esse homicídio com esse ser desfavorável que habitava dentro de mim, minhas batalhas passaram a atingir mais êxito. Não estou vendendo nenhuma fórmula e dizendo que ao fazer isso você será bem sucedido na vida, não, mas uma coisa é certa, você será mais vitorioso em suas batalhas, afinal, não dá para fugir delas.

Encerro com esse pedido, que você mate esse ser que habita dentro de você e que antes de dar qualquer passo, verifique se não há rastros do mesmo.

Ninguém entra na batalha para perder, portanto, leve o melhor de você.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento