Escolhas e decisões: os riscos a serem superados

As decisões e escolhas sobre os rumos da nossa vida começam desde cedo, mas não é um processo simples, é um ato que envolve sentimentos e dúvidas

Desde jovens começamos a amadurecer e definir o que queremos para nós no futuro, seja com relação à nossa profissão, ao salário que queremos ganhar, ao lugar onde queremos viver, ao estilo de vida que desejamos ter, enfim, um complexo leque de escolhas e definições.

Entretanto, a inércia de atitudes, motivada geralmente pelo medo, nos cega, nos priva de progredir e nos mantém parado no tempo... mas o tempo não pára, ele passa, e passa rápido.

As oportunidades começam a surgir e a nos rodear, mas às vezes não enxergamos (ou não queremos enxergar) e quando percebemos, já passou, e não volta mais... Por que uma oportunidade jamais é perdida, pois alguém sempre irá aproveitá-la.

Todavia quando de fato enxergamos uma oportunidade, inicia-se uma série de processos decisórios que nos preenchem com diversos questionamentos do tipo: "será que posso? será que vale a pena? será que tenho capacidade para isso? será que não é muito arriscado?"

Daí vem aquele ditado que nos amedronta imensamente: "mas e se eu fracassar"...

Essas dúvidas até são significativas quando usadas da maneira correta, ou seja, como forma de planejamento e análise do caminho a ser seguido ou como instrumento motivador para avançarmos em nossas convicções... mas podem ser extremamente prejudiciais quando se tornam razões para impedir nossa evolução, um entrave para o nosso progresso e um obstáculo para buscarmos os nossos objetivos.

Em tudo na vida, tudo mesmo, sempre haverão pontos positivos e pontos negativos a serem observados, por falar nisso, é de extrema importância que antes de qualquer tomada de decisão, se avalie todos os fatores pertinentes e relacionados às possíveis consequências da opção a ser tomada.

Mas a grande questão passa a ser: "até onde nossa vontade de vencer e crescer pode superar o nosso receio de fracassar?"

Concluindo, em nossa vida, sempre teremos que tomar decisões cotidianas, mas quando essas decisões referem-se às escolhas que temos que tomar para dar um rumo em direção aos nossos objetivos, daí envolve um conjunto de sentimentos e dúvidas que embaralham nosso discernimento.

Precisamos enfim, "escolher" o que queremos e "decidir" ir em busca disso, sem medo de errar, sem medo de fracassar, pois se isso acontecer, haverá sempre a chande de recomeçar...

E lembre-se: o risco sempre estará rondando nossas decisões, pois por menores que sejam os pontos negativos, eles sempre existem e somente a coragem, a persistência e a convicção do que realmente buscamos pode inibir o medo e proporcionar nosso avanço em busca daquilo que cogitamos ser o caminho a ser seguido.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.