Entendendo o Risco Brasil

Muitas pessoas abordam o tema Risco-País na mídia, mas a grande maioria não sabe o que significa e no que esse tema afeta suas vidas. Sendo assim, decidimos escrever um artigo de utilidade pública para explicar melhor esse tema

Muitas pessoas abordam o tema Risco-País na mídia, mas a grande maioria não sabe o que significa e no que esse tema afeta suas vidas. Sendo assim, decidimos escrever um artigo de utilidade pública para explicar melhor esse tema.

Quem criou esse indicador?

Em 1992, o gigantesco conglomerado JP Morgan criou essa métrica, que tinha como objetivo comparar os riscos de cada país, ou seja, ao selecionarmos 2 países que pensamos em efetuar um investimento, o que demonstrasse um Risco-País maior, apresentaria maior risco ao investidor.

Como esse indicador é calculado?

Para efetuar tal apuração, o JP Morgan comparava os juros dos títulos soberanos de cada país frente aos juros dos títulos soberanos do mercado americano, pois assim como o mundo, considera-se os Estados Unidos em relação ao prisma econômico, o país mais estável do mundo. Vale para entendimento, que os títulos soberanos são aqueles emitidos pelo governo, ou seja, no nosso caso o Tesouro Direto.

Como esse indicador deve ser avaliado?

Simples!

Quando você estiver assistindo o Jornal Nacional, e o Willian Bonner falar que o Risco Brasil caiu no último mês, significa que somos mais seguros, pois estamos mais próximos dos juros pagos pelos títulos americanos, sendo assim, um investidor tem mais segurança para investir em nosso país.

Mas o que os Juros tem a ver com o risco de um país?

Para compreendermos esse ponto, temos que pensar na lei de Oferta e Demanda, ou seja, quanto mais você quer que alguém compre seus produtos, mais vantagens você tem que dar ao comprador.

Vamos pensar no caso brasileiro. Quando ocorre qualquer problema na economia mundial, os investidores tendem a retirar seus investimentos do Brasil, migrando os mesmos para os Estados Unidos, por considera-lo assim como dito anteriormente como um país seguro no prisma econômico.

Então, o Brasil para reter esses investimentos e angariar ainda mais, precisa ser mais atraente, e para isso os juros devem ser altos a ponto de compensar o risco do investidor em manter o seu capital em nosso país.

Como entender o indicador?

O indicador é avaliado em uma medida comum no mercado financeiro, chamada de Pontos-Base, ou seja, se você vê um Risco país em 150 pontos, deve dividi-lo por 100, chegando assim a 1,50%.

Isso significa que o diferencial dos juros frente aos juros americanos deve ser maior do que 1,50% para compensar o investimento nesse país em questão, pois caso seja menor, para o investidor compensaria mais ficar no mercado que considera mais seguro.

Mas, por que o índice de Risco País alto é ruim para o país?

Ruim pelo fato de que quanto maior o seu risco país, maior será seus juros, e assim maior será a conta que um país terá que pagar.

Essa regra serve tanto para a vida quanto para um país, pois quanto mais você tem que pagar, maior a chance de calote, e por isso, um risco-país alto demonstra uma chance maior de calote.

Apenas para termos uma ideia, a cada 1% que subimos na taxa de juros de um país, segundo dados do Banco Central, a nossa dívida aumenta em R$ 14 Bilhões de Reais ao ano.

Caso tenha dúvidas sobre o tema, nos envie seus questionamentos e ajudaremos da melhor forma possível.

E como sempre. Desejamos todo o sucesso do mundo para a conquista dos seus objetivos.

Publicado originalmente no site Economia Sem Mito

ExibirMinimizar
aci baixe o app