Empresas com altos endividamentos bancários e a renegociação como uma alternativa de solução
Empresas com altos endividamentos bancários e a renegociação como uma alternativa de solução

Empresas com altos endividamentos bancários e a renegociação como uma alternativa de solução

Negociação realizada por especialistas, sucesso garantido

A necessidade de crédito é constante no meio empresarial, entretanto, quando a alavancagem é alta, há sérios riscos a Gestão Empresarial.

A disponibilidade de crédito

Realizar a gestão de empresas e não necessitar de recursos de terceiros, é uma realidade quase que impossível para qualquer gestor, mesmo porque muitas vezes é interessante a empresa captar recursos junto aos bancos.

Quando essa captação ocorre com certa frequência, é importante que os gestores se atentem para a razão dessa “ciranda”, pois o efeito dessas captações acarreta num aumento do custo financeiro e em contra-partida a redução nos Resultados empresariais, exceto se for algo estratégico.

Captação para Capital de Giro

A necessidade de Capital de Giro, também chamado de KGiro é constante nas empresas, com as mais diversas linhas de crédito disponíveis, principalmente quando os Resultados não estão atingindo o Ponto de Equilíbrio e também quando a expansão da empresa ocorre e para financiar esse crescimento é necessária essa captação.

Aumento das Taxas de Juros e Redução dos Limites

Todas empresas que captam recursos junto aos bancos tem suas informações expostas no Banco Central e essas informações podem ser acessadas pelos bancos (caso o cliente autorize); de posse do endividamento total e também das informações do cliente tais como: DRE e Balanço Patrimonial e Faturamento Mensal, é possível mensurar o “risco” que a empresa representa.

Uma vez esse risco identificado o cenário é alterado para a empresa com relação aos bancos (essa análise é individualizada por banco).

Taxas de juros passam a incorporar um spread maior, ou seja, nas operações banco x empresa será adicionado uma taxa referente ao risco de inadimplência; outro ponto interessante é que passarão a ser exigidas garantias maiores que as habituais, geralmente nesses casos os bancos passam a priorizar garantias reais (imóveis, ou mesmo aplicações que ficam “travadas”).

Os Custos Financeiros e as Amortizações Mensais

Quando o endividamento é alto, e a empresa tem a gestão de seus resultados periodicamente, é possível identificar que a participação dos custos financeiros acaba por corroer ainda mais as margens da empresa, e essa situação é gravíssima.

Paralelamente ao aumento dos custos financeiros, ocorre também a redução dos prazos dos contratos e por consequência isso asfixia o Fluxo de Caixa das empresas, tornando cada vez mais alto as saídas de dinheiro para pagamento das parcelas.

Amortização das Dívidas ou Amortização da Empresa?

Cumprir compromissos assumidos junto a terceiros (bancos), é um credito moral que muitos empresários tem, e isso é muito valioso (crédito moral), porém, é importante ter ciência que não adianta cumprir um compromisso assumido e “matar” a empresa; e isso acontece na grande maioria das empresas que tiveram sérios problemas de gestão em razão da crise econômica e financeira que se instalou em nosso país nos últimos anos.

Os benefícios da Renegociação Bancária realizada por profissionais!!!

Continuar pagando as parcelas conforme reza o contrato pode levar a empresa a falência, a encerrar as atividades; Reestruturar essas dividas, ajustando as parcelas a capacidade de pagamento da empresa é uma forma profissional de honrar os compromissos assumidos diante da manutenção da empresa e principalmente dentro de sua capacidade de pagamento.

É fundamental que a empresa pague seus compromissos e mantenha-se ativa, e com capacidade e energia de gerar novos negócios, entretanto, quando essa renegociação não acontece, é muito difícil ver um cenário positivo na empresa.

A Renegociação ou Negociação do Passivo Bancário como uma alternativa de solução.

Pode até não ser algo planejado, entretanto, não pode ser descartado caso necessário, pois o risco de “desidratar” a empresa, quando falamos de caixa, pode comprometer o futuro e ocasionar a inadimplência como um todo.

Sentar-se junto aos bancos e apresentar um plano de pagamento diferente dos atuais (que estão aos poucos “matando a empresa”) faz parte da estratégia de gestores; ter expertise para essa negociação, não necessariamente é uma obrigação dos gestores.

Um ponto importante: uma negociação mal conduzida, pode aliviar no curtíssimo prazo a Gestão Financeira, entretanto causar um dano muito maior, pois além de aumentar os custos financeiros também reduz a credibilidade da Gestão como um todo.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento