Empresário nos EUA – Um green card para você (Parte 1)

Muitos brasileiros sonham em sair do Brasil, se mudar e viver nos Estados Unidos, aproveitar todas as vantagens que esta nação oferece normalmente: economia estável, segurança, infra-estrutura, abundância de investimentos, oportunidades, etc. É um sonho digno. Centenas, e me arrisco até a dizer milhares, de brasileiros vem para os EUA com este sonho anualmente, porém apenas uma minoria consegue realmente o status de viver e desfrutar de tudo o que o país oferece para seus residentes permanentes e cidadãos

Muitos brasileiros sonham em sair do Brasil, se mudar e viver nos Estados Unidos, aproveitar todas as vantagens que esta nação oferece normalmente: economia estável, segurança, infra-estrutura, abundância de investimentos, oportunidades, etc. É um sonho digno. Centenas, e me arrisco até a dizer milhares, de brasileiros vem para os EUA com este sonho anualmente, porém apenas uma minoria consegue realmente o status de viver e desfrutar de tudo o que o país oferece para seus residentes permanentes e cidadãos.

Obter o Green Card que, resumidamente explicando é o Visto de Imigrante dos EUA, garante a residência permanente em território americano, permitindo trânsito livre para viagens internacionais e, após 5 anos de permanência, garante ao portador a opção de passar de imigrante legal com residência permanente para cidadão americano.

Nessa série de artigos, apresentarei um dos caminhos mais seguro e interessante para o empreendedor e empresário Brasileiro que planeja não apenas morar nos EUA, mas também ser um empresário do mercado norte-americano de forma economicamente viável.

Diferença entre o Visto Não-Imigrante e a Situação do Visto Não-Imigrante

A primeira coisa que precisamos entender é o que é um Visto Não-Imigrante e uma Situação do Visto Não-Imigrante, que a partir de agora passo a chamar apenas de Visa Status, que é o que você recebe ao entrar nos EUA.

Quando você vai ao consulado norte-americano no Brasil e requer um Visto, você passa por uma pequena entrevista explicando que não tem interesse em imigrar para os EUA, e, sendo assim, recebe um Visto Não-Imigrante, que é um adesivo colado em uma página de seu passaporte. Esta é a sua permissão para entrar nos EUA. Essa permissão normalmente é verificada no aeroporto antes mesmo do embarque, porém isso não significa que agora você tem liberdade para entrar e sair dos EUA quando quiser, para o que quiser e permanecer o quanto quiser, quem dera fosse simples assim!

Quando você chega aos EUA, você passa pelo controle de imigração, ainda dentro do aeroporto, logo após o desembarque. Neste momento, a imigração irá entender o objetivo da sua visita aos EUA e lhe dará um Visa Status, que tem um código específico, os mais comuns são: B1 (para Negócios) e B2 (para Turismo). Junto a este código haverá uma data que é o prazo que você poderá permanecer nos EUA, e essas informações estarão no carimbo que é dado em uma das páginas de seu passaporte. Este é o momento em que a imigração poderá decidir se você tem motivos para entrar nos EUA ou até mesmo se é bem vindo ou não. Sobre isso vejo muito mais lendas do que casos verídicos (mas isso seria pauta para um outro artigo). Invariavelmente, se você é um cidadão de bem, está com seus documentos todos corretos e com o Visto Não-Imigrante na validade, não terá problemas para ter seu passaporte carimbado com seu Visa Status, contendo o código e a data limite de permanência. O prazo limite de permanência por lei é de 6 meses (180 dias) para Não-Imigrantes.

Meu Visa Status é B1(Negócios), posso trabalhar?

Este é um detalhe importante e que é bastante confundido. Você deve estar ciente de que mesmo com o Visa Status B1, de Business (para Negócios), que para nós, brasileiros, é um termo amplo, você não pode trabalhar nos EUA. Entenda esta diferença: você pode viajar a trabalho para os EUA em nome de uma empresa que trabalha no Brasil, pode fazer reuniões, ir a eventos, escrever propostas, enviar e-mails, e tudo o mais que você faz no seu trabalho para a empresa do Brasil… Tenha a certeza de que nenhum agente da imigração americana vai arrombar a porta do seu quarto de hotel flagrando você enviando uma proposta e alegar que você estava trabalhando nos EUA, dizendo que seu visto não permite esta atividade e lhe extraditar, não é isso. (Rs)

Sendo um Não-Imigrante, com Visa Status B1 nos EUA, o que você não pode fazer é trabalhar em uma empresa americana e receber pelo trabalho nos EUA. Você não pode receber por nenhum trabalho executado em território americano sem ser um cidadão e/ou sem estar pagando impostos. Sendo assim, você não pode receber nada. Seu trabalho, como cidadão brasileiro, é no Brasil, e não nos EUA. Simples assim.

Para trabalhar nos EUA, ou seja, para uma empresa americana, e receber nos EUA como Não-Imigrante, você precisará de outro tipo de Visa Status, tais como o H1B, L1, E2, dentre outros, que são comumente chamados de Vistos de Trabalho. Estes sim irão lhe garantir uma identificação chamada Social Security, que tornará possível às entidades fiscais americanas identificá-lo e torná-lo parte dos sistemas fiscais e legais dos EUA.

Concluindo esta Parte 1

Preferi iniciar essa série de artigos explicando da forma mais clara possível estes conceitos básicos, pois o entendimento deles será bastante explorado nas próximas partes. Tenho certeza de que foram conceitos simples expostos até o momento, e por isso, muitas vezes são comumente confundidos. Essas são dúvidas constantes de diversos empresários que entram em contato com a AWM Interactive.

Na Parte 2 desta série vou entrar no processo de abertura de uma empresa e sua formatação de negócio com o objetivo de imigrar para os EUA, os detalhes pertinentes aos vistos e o processo que o empresário deverá fazer para começar a dar seus primeiros passos a caminho do Green Card.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento