Empreender: devemos enfrentar ou ter medo?

Quem nunca pensou em ter o próprio negócio? Sem dúvida, todas as pessoas, mesmo que nos pensamentos mais distantes já pensaram em abrir a própria empresa e ter a tão sonhada independência longe do chefe

Quem nunca pensou em ter o próprio negócio? Sem dúvida, todas as pessoas, mesmo que nos pensamentos mais distantes já pensaram em abrir a própria empresa e ter a tão sonhada independência longe do chefe.

Durante a vida vemos diversos casos de sucesso, de pessoas que abriram empresas e lançaram produtos/serviços que revolucionaram o Mercado, e os seus donos ficaram milionários. E realmente essas histórias acontecem e encantam, mas para que esse conto de fadas não se transforme em um pesadelo é necessária cautela e muita vontade.

Nesse artigo compartilharemos algumas dicas que podem ser úteis para que você possa ter o tão sonhado negócio próprio.

Quais são as características de um bom empreendedor?

Segundo o SEBRAE, as características de um bom empreendedor são amplas e com certeza se conquistadas o futuro empreendedor terá uma chance maior de obter o tão sonhado sucesso. Abaixo, 10 características de um bom empreendedor:


– Sempre em busca de oportunidades e tem iniciativa

– Corre riscos calculados

– Exige Qualidade e Eficiência

– É persistente

– É comprometido

– Sempre em busca de informações

– Estabelece metas

– Efetua planejamentos e monitoramentos de indicadores

– Poder de persuasão e rede de contatos

– Independência e Autoconfiança


O que tenho que pensar para abrir uma empresa?

Para abrir e gerir a sua empresa nem sempre será uma tarefa simples, pois exige um conjunto de qualidades, habilidades e conhecimento. Primeiramente, é necessário conhecer o Mercado em que pretende atuar, avaliar o publico alvo que pretende atingir, criar um planejamento detalhado do seu negócio.

Um bom planejamento deve considerar desde uma boa estratégia de marketing até um fluxo de caixa bem controlado a fim de demonstrar a rentabilidade do seu negócio.

Um conselho que podemos fornecer é o seguinte: antes mesmo de pensar em abrir a empresa, coloque no papel todas as idéias e desenhe um Plano de Negócios bem abrangente, pois com ele você passará a ter uma visão mais detalhada de cada estágio da sua empresa.

Ok, mas o que pode dar errado?

A primeira lei que o empreendedor tem que ter em mente é: Se quiser ter o seu próprio negócio, terá que aprender a correr riscos.

Se avaliarmos as taxas de mortalidade de empresas no Brasil, ficamos estarrecidos, pois segundo dados do SEBRAE, a cada 10 empresas que abrem as portas, apenas 2 estão de pé após 5 anos, ou seja, temos um índice de sucesso de apenas 20%. O que temos que compreender é o porquê 80% das empresas fracassa, e não apenas olhar esses dados e colocar o sonho de abrir a sua empresa de lado, por medo de fracassar e entrar para a estatística.

As maiores causas de empresas que fecham as portas são:

1- Falta de conhecimento

2- Incompetência para se relacionar com o Mercado e fidelizar clientes

3- Falta de estratégia

4- Não ter uma reserva financeira para possíveis emergências

5- Difícil relacionamento entre os sócios

Então, um conselho que sempre deixamos é: Seja humilde para aprender o máximo possível sobre o Mercado que pretende atuar, e sobre gestão de empresas, pois conhecimento não ocupa espaço.

Como posso aumentar as minhas chances?

Quanto mais conhecimento tiver, maiores chances de ter sucesso você terá. Além disso, colocamos abaixo algumas dicas para que você entre com o pé direito no Mercado:

– Crie um produto imbatível, criativo e inovador;

– Defina um preço que equilibre a relação lucro e o quanto o consumidor está disposto a pagar;

– Procure estratégias para ganhar fama no Mercado, o que hoje é mais fácil com a utilização de mídias sociais;

– Conquiste clientes, mas se preocupe principalmente em fidelizá-los, pois conquistar um cliente novo sempre será mais caro do que fazer um cliente antigo comprar novamente, então se preocupe com a sua carteira;

– Tenha uma reserva financeira para possíveis emergências;

– Se preocupe com o controle financeiro do seu negócio, pois o que não se mede não se gerencia;

– Avalie o prazo de seu produto, pois nunca o deixe envelhecer. Tenha alternativas;

– Se preocupe com a opinião do seu cliente e a forma como ele vê a sua marca e o seu produto, pois um cliente insatisfeito falará mal do seu negócio para muitos.

Quais as opções que tenho para empreender?

Cada vez vemos mais opções no Mercado para que você tenha o seu próprio negócio, e abaixo listamos algumas opções para que você possa abrir o seu leque de análise:

Abertura do próprio negócio: É uma opção para quem quer elaborar algo novo ou ter a seu negócio em um Mercado que já possua conhecimento. Os riscos são maiores, mas o retorno pode ser muito alto também. Como alternativa para você entender mais sobre esse universo do empreendedorismo visite a página do SEBRAE, em http://www.sebrae.com.br.

Franquias: É uma ótima opção para quem nunca empreendeu, pois a experiência do franqueador pode auxiliar demais esse novo empreendedor, porém essa alternativa trás desafios como a busca de um ótimo ponto comercial, e as taxas que se pagam ao franqueador diminuem bastante a margem de lucro. Para avaliar melhor as opções de franquias que temos hoje, acesse a Associação Brasileira de Franchising em http://www.portaldofranchising.com.br.

Representante de Vendas Diretas: Essa alternativa vem crescendo demais no Brasil e no mundo nos últimos anos, e nós consideramos atualmente no mercado como a alternativa mais simples e barata de empreender. Como vantagens vemos o fato de não ter a necessidade de espaço físico, o que trás bastante liberdade ao empreendedor e também um custo muito inferior em relação a qualquer negócio. Para conhecer esse mercado acesse o portal da Associação Brasileira das Empresas de Vendas Diretas acessando http://www.abevd.org.br.

Startups: São empresas que trazem em geral ao Mercado, idéias inovadoras e de alto impacto, que podem gerar um alto lucro em um curto espaço de tempo. Em geral, recebem um alto investimento em seu início, mas pouquíssimas sobrevivem após o fim do período de investimentos. Muitas idéias na área de tecnologia se tornam startups com investimentos externos. Uma alternativa para você viabilizar a sua ideia é o Investimento Anjo, que no Brasil ainda está em fase inicial, mas que vem se tornando cada dia mais uma alternativa para quem quer ter a tão sonhada empresa.

Publicado originalmente no site Economia Sem Mito

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento